Você sabe como fazer a manutenção de sites? Descubra agora!

Quando alguém deseja ter um site, blog ou loja virtual, essa pessoa costuma buscar informações que indiquem como criar tais recursos na Internet. Em geral e com os recursos que temos a disposição atualmente, não é algo complicado. O que muitos esquecem, é que não basta criar o site. Principalmente nos casos em que o tipo de site criado é dinâmico, como é o caso de um blog, é necessário efetuar a manutenção do site.

As razões para realizar a manutenção, são muitas e podem significar apenas atualizações pequenas de conteúdo, como inclusão de imagens em uma galeria, novas informações de contato, lançamento de produtos ou serviços, ou como no já citado caso de um blog, em que periodicamente novo conteúdo é criado para as postagens incluídas. Mas não para por aí e há manutenção decorrente de aspectos técnicos da plataforma usada, como atualização de plugins.

Assim, a manutenção tem com objetivo garantir o funcionamento adequado do site e de todos os seus recursos, bem como minimizar tanto quanto possível as chances de ter o site fora do ar por problemas que você pode evitar.

Mesmo pequenos problemas como um formulário que não funcione ou uma imagem que não carrega, podem afetar negativamente a imagem da empresa, afinal somos levados a pensar que se não é possível manter nem mesmo o site funcionando adequadamente, o que dizer de questões mais cruciais como a qualidade dos produtos / serviços da empresa?

Portanto, saiba agora o que deve ser considerado na manutenção de sites para não deixar que o seu visitante o abandone!

Teste o serviço de hospedagem

Ao escolher uma empresa de hospedagem de sites, naturalmente você deve buscar por qualidade. Há muitas opções no mercado e muitas disputam o mercado baseado em preço, o que muitas vezes significa abrir mão de aspectos técnicos relevantes para conseguirem competir umas com as outras.

A velocidade de acesso ao site, o uptime (quanto tempo os serviços estão disponíveis), as ferramentas e recursos que lhe são disponibilizados, o suporte técnico que é oferecido e que canais lhe fornecem para usufrui-lo, são alguns pontos fundamentais e dos quais você depende para que possa garantir uma manutenção adequada.

Depois de contratada a hospedagem, é necessário monitorá-la frequentemente para ter certeza de que os serviços ofertados, correspondem ao que você necessita.

Existem ferramentas disponíveis na Internet, como o Uptime Robot e o Pingdom, que ajudam a monitorar a disponibilidade e o desempenho do site, respectivamente. Vale ressaltar que embora o serviço de hospedagem seja crucial, há situações em que problemas como um site lento, podem não ser de responsabilidade da empresa de hospedagem tratar. A correta identificação das causas do problema, é fundamental para saber a quem cabe a solução.

Efetue backup

Um dos aspectos mais básicos de segurança dos seus dados, é manter cópias atualizadas de todo o conteúdo relativo ao site (arquivos, imagens, banco de dados, etc). Particularmente nos casos em que for realizar alterações de qualquer natureza que impliquem em conteúdo do site, realizar um backup antes de promover tais mudanças, é fundamental para conseguir restituir o site à condição anterior a algum possível erro de procedimento.

Lembre-se de manter os arquivos de backup em mídias externas e seguras e se possível em mais de uma. Nunca armazene os backups na própria conta de hospedagem.

Normalmente, um bom serviço de hospedagem efetua o backup dos arquivos do seu site de forma automática e periódca. Porém dependendo do plano e empresa, a restituição do backup pode implicar na cobrança de taxas. De qualquer modo, a principal responsabilidade por realizar rotinas de backup, é do seu administrador de site. O backup feito pela empresa de hospedagem, é uma alternativa complementar.

Busque as páginas desatualizadas

Uma característica que afugenta qualquer visitante é se deparar com informações desatualizadas em um site. Há a tendência do visitante perder a confiança na empresa, uma vez que esse tipo de situação denota displicência e uma postura descuidada por parte da empresa. Lembre-se que para todo o contingente que está chegando a você pela primeira vez, através do seu site, ele será o responsável pela primeira impressão que a empresa irá transmitir. É parte do processo de construção da marca e da imagem da empresa.

Para que isso não ocorra, o trabalho de manutenção de sites tem como objetivo varrer constantemente as publicações contidas no site, em busca de informações antigas e atualizá-las sempre que for preciso. Quando o site é pequeno ou no caso de um site institucional, essa tarefa é fácil. No caso de muitas páginas, a sugestão é manter tudo organizado para facilitar o trabalho, por meio de rotinas precisas e previamente definidas.

Algumas ferramentas fornecidas por empresas de hospedagem, possibilitam verificar que arquivos são mais antigos, indicando assim conteúdo que possivelmente pode ter informações desatualizadas.

Corrija os links quebrados

Ao fazer uma postagem, é comum incluir alguns links internos e externos no corpo do texto e que faz parte de um trabalho mais amplo e que se conhece como Marketing de Conteúdo, o qual tem por finalidade melhorar o rankeamento da página nos motores de busca, com por exemplo, o Google e o Bing e trazer visitantes e fazer com quem já o conhece, retorne.

Particularmente no caso de links externos, ou seja, que fazem apontamento para o conteúdo de outros sites, pode ser que algumas dessas páginas apontadas deixem de existir ou mudem de endereço. Caso isso ocorra, o visitante que clicar no link verá o famoso “erro 404”, o que para muitos visitantes não é muito esclarecedor, exceto pelo fato de que ele acreditará que é responsabilidade sua tal erro estar ocorrendo.

Nessa situação, o cliente se sente frustrado e tende a construir uma imagem negativa do site e consequentemente da empresa e de seus produtos / serviços. Portanto, tenha certeza que todos os links do seu site apontam para o local correto, fazendo verificações periódicas, principalmente nos links relativos aos sites de terceiros.

Também é uma ótima oportunidade para atualizar informações, principalmente as dinâmicas, que são as que mudam com o passar do tempo, como estatísticas, dados de pesquisas, etc. Se por exemplo, um determinado artigo do seu blog, tem um link para a renda per capita do brasileiro no ano de 2015, é oportuno buscar algum dado mais atual para efetuar a atualização do conteúdo e do link.

Não abra mão da segurança

Para garantir a integridade dos arquivos e que o site permaneça no ar, é preciso ter muita atenção à segurança.

Atualmente, é muito comum sites que sejam afetados por problemas de segurança, principalmente em sites que usam CMS como WordPress, Joomla, entre outros. Assim, esses sistemas precisam estar constantemente atualizados e deve-se instalar apenas plugins, temas e complementos bem programados e de boa procedência.

Geralmente os CMSs mais consagrados, como é o caso do WordPress, têm um site oficial no qual constam informações relativas a plugins e temas disponíveis. Os mais populares costumam ser checados pelos próprios mantenedores, bem como recebem feedback dos usuários.

Não é raro ocorrerem invasões que não prejudiquem o site de forma visível, ou seja, nem toda invasão tem como objetivo danificar o site ou tirá-lo do ar. Nesses casos, um site pode estar invadido e continuar a funcionar normalmente.

O que o invasor geralmente pretende em situações assim, é colocar conteúdo malicioso usando sua conta de hospedagem. Exemplos comuns de invasões que não afetam de modo aparente um site, podem ser:

  • Hospedar malware para disseminação por meio de e-mail phishing ou mesmo links maliciosos em outros sites, que uma vez clicados, efetuam o download para o dispositivo do visitante;

  • Instalar scripts de envio em massa, SPAM e phishing, sendo que scripts nada mais são do que programas que usam sua conta de hospedagem para os envios;

  • Criar e hospedar sites falsos, em diretórios ocultos ou com muitos arquivos e que dificultam sua identificação. Também está associado às práticas de phishing;

  • Armazenar scripts destinados a ataques DoS e DDoS e nestes casos, quando os scripts são executados, o servidor no qual seu site está hospedado passa a realizar ataques a outros servidores;

A lista acima, contém as situações mais frequentes, mas não fica restrita apenas a elas.

Para quem administra um site, não é muito difícil identificar quando isso ocorre. Há alguns métodos e ferramentas que ajudam no processo de descoberta do problema:

  • Os bons provedores de hospedagem fornecem ferramentas, geralmente localizadas no painel de controle do serviço, que fazem a varredura do conteúdo de uma conta, em busca de certos padrões comuns neste tipo de problema. É semelhante ao antivírus que temos instalado em nossos computadores e smartphones;

  • Ao publicar um site, é possível saber quantos arquivos estão contidos na área relativa ao site. Guarde este número e atualize-o sempre que fizer modificações que impliquem em diminuição ou aumento no conteúdo. Através de linhas de comando, ou de programas de gerenciamento de arquivos, que você ou o suporte técnico podem executar na conta, é possível saber se houve alteração e consequentemente, se um invasor incluiu conteúdo em sua conta;

  • O mesmo tipo de raciocínio do item acima, se aplica a alteração de conteúdo, ou seja, quando o invasor não gravou novo conteúdo na conta, mas alterou conteúdo legítimo, objetivando ocultar a alteração. É possível saber tanto pelo gerenciador de arquivos da conta, como por linha de comando, conteúdos que foram alterados dentro de um período específico.

Outra preocupação relativa a segurança do seu site, é ter um rígido controle das senhas. Tenha o hábito de mudá-las com frequência e use senhas fortes para as contas de e-mail, painel de controle e painel de administração do site, bem como quaisquer outras que forem exigidas.

Acompanhe a velocidade de carregamento

Mudanças na velocidade de carregamento do site, são um indicativo de problema e por isso devem ser acompanhadas com frequência. Quando se nota que o site está lento, há dois grupos de possíveis situações: problema no site ou na conta de hospedagem.

A seguir um checklist que pode ajudar a identificar a causa e consequentemente o que se fazer para corrigir o problema:

  • Se alguma alteração no site foi feita anterior a constatação de lentidão, procure restaurar o site ao seu estado anterior. Pode ser algum problema de programação;

  • Sites que utilizam como base de desenvolvimento, algum CMS – como o WordPress por exemplo – podem passar a apresentar problemas de desempenho quando se instala uma atualização, plugin ou tema. Identificar que esta é a razão, é simples, bastando desativar o componente instalado ou restaurar um backup anterior à instalação;

  • Aumento de visitação acima do que o plano de hospedagem comporta, o que é possível principalmente em planos de hospedagem compartilhada, os quais têm limites que visam impedir que sites com visitação intensa afetem outros usuários que compartilham o servidor. Ferramentas como o Google Analytics ajudam a identificar situações como essa. A solução neste caso, quando o aumento é resultado de ações do administrador e se pretende que seja permanente, é mudar para um plano condizente com a nova demanda, que pode ser um plano personalizado, por exemplo;

  • Ataques e invasões. É possível identificar quando isso ocorre, adotando os procedimentos que indicamos nos tópicos relativos a segurança. O suporte técnico da empresa que você hospeda o site, também é capacitado a identificar situações como essa, principalmente quando a invasão afeta o ambiente de hospedagem;

  • Há ferramentas que permitem avaliar o desempenho do site e assim saber se a eventual lentidão é um problema local – na sua conexão de Internet – ou no site;

  • Problemas no servidor são geralmente reportados pelo suporte quando se entra em contato para relatar problemas de lentidão. Nestes casos, é necessário aguardar as medidas técnicas do suporte.

Conte com uma agência ou desenvolvedor profissional

Depois de ler todas essas dicas, algumas pessoas colocarão a mão na massa e farão elas mesmas a manutenção de seus sites. Muitas outras, no entanto, não terão tempo ou segurança ou os conhecimentos técnicos que as vezes são necessários. Se esse for o seu caso, não arrisque. É melhor contar com especialistas na área.

Existem no mercado agências e profissionais que se especializaram em efetuar o monitoramento e a manutenção de sites, como por exemplo, um web designer, emitindo relatórios de desempenho e efetuando as correções necessárias. Pode ser uma opção bem interessante para deixar seu site funcionado perfeitamente.

Gostou das dicas? Então não as deixe apenas na teoria! Coloque em prática tudo isso que você aprendeu aqui e tenha um site de sucesso, sempre disponível para os seus visitantes.

Agora sim, você sabe como fazer manutenção de sites. Não deixe de compartilhar esse post nas redes sociais — pode ser que um amigo esteja precisando exatamente dessas informações!