O que é WordPress? Tudo que você precisa saber sobre o assunto!

O primeiro boom da Internet – que culminou com a bolha da Internet – foi no início dos anos 2000. Naquela época já era notório para muitas empresas, que ter um site na Internet, era importante. Mas eram outros tempos e o que víamos, era de um lado alguns bons sites criados pelas grandes empresas, a custo de investimento proporcional ao seu poder financeiro e do outro, sites que hoje em dia não poderiam nem mesmo serem classificados como amadores.

Isso porque não havia muitas ferramentas ao alcance daqueles que não tinham muito para investir em um site. Tampouco não tinham o conhecimento técnico para fazê-lo por conta própria.

Mas logo isso começou a mudar e um dos nomes responsáveis por novas perspectivas àqueles que desejam ou precisavam de um site e que fosse ao mesmo tempo acessível em termos de criação e administração e ainda fosse barato, foi o WordPress. Mas afinal, o que é o WordPress? Aqui você terá tudo o que precisa saber sobre o assunto!

O que é WordPress?

Se você já usou o Microsoft Word alguma vez para criar mais do que um simples documento de texto, inserindo imagens ou gráficos, escolhendo fontes, tamanhos, diagramações, não vai ter grande dificuldade em usar o WordPress. Se nunca usou, também não terá.

O WordPress não é muito diferente de muitos aplicativos que já usamos e temos instalado em nossos computadores. A maior diferença, é que ao contrário do MS Word ou de outros programas que conhecemos, é que ele é instalado em um servidor de Internet, assim como ocorre com os Apps que usamos em serviços cloud ou na nuvem, como por exemplo, o Google Docs.

O resultado daquilo que criamos, editamos e publicamos com o WordPress, é visível no site ao qual ele está associado. Sim, a primeira resposta para “o que é WordPress?”, é um programa que é instalado em um servidor web, para criar e gerenciar sites.

Assim, quando você opta por usar o WordPress para criar um site, de forma similar ao que você faz quando cria um documento no Google Docs ou Office 365, você se loga na plataforma, clica na opção de criar um novo documento - post no caso do WordPress – e começa a criar o conteúdo, contando com várias ferramentas de edição, que permitem inserir um link, uma imagem, visualizar o resultado antes da impressão (publicação), etc.

O WordPress foi lançado em 2003. Nasceu como um CMS (Content Management System) voltado a administração de blogs, que na ocasião surgiam como um tipo de site e que apresentavam alto crescimento na Internet. Naquela época, um blog era predominantemente um site linear, ou seja, em que cada novo conteúdo – chamado de blog post – era inserido na sequência inversa do anterior.

Assim, um novo assunto ou publicação ou postagem, entrava em primeiro lugar, “empurrando” para baixo a publicação anterior e as demais, exatamente como ocorre quando você insere algo no seu Facebook, por exemplo.

Rapidamente o WordPress tornou-se popular, visto que era Open Source, gratuito e colaborativo. Inclusive o caráter colaborativo e o fato de ser Open Source, fez com que um grande número de pessoas se interessasse por ele, ajudando no processo de criação de novas funcionalidades, por meio de plugins e da modificação da sua aparência, por meio de temas.

Graças ao elevado número de pessoas que aderiu à plataforma, seja como simples usuários, seja como desenvolvedores independentes, aos poucos o CMS que nasceu para ser uma plataforma para um blog, passou a oferecer alternativas para outros tipos de site, como um site de conteúdo e até mesmo uma loja virtual.

Se os motivos para usar o WordPress como base para um blog, já eram muitos, com a ampliação das possibilidades em termos de resultados, o WP – como também costuma ser referenciado – ganhava adeptos entre aqueles que queriam mais do que apenas um blog e precisavam de uma plataforma simples, acessível e que produzisse um ótimo resultado final.

Como o WordPress funciona?

Como já adiantamos, o funcionamento do WordPress é semelhante a maioria das aplicações para criação e edição de conteúdo para Internet e também com aplicações que temos instaladas localmente no nosso notebook ou smartphone.

Há basicamente duas maneiras de se começar a usar o WP. A primeira e mais trabalhosa, é instalando o CMS na sua conta de hospedagem. Não é o propósito deste artigo ensiná-lo a realizar o procedimento de instalação, porque há particularidades que variam em função do tipo de hospedagem que você tem e principalmente do que a empresa de hospedagem lhe oferece. Mas mesmo nos casos mais difíceis, não ha algo que exija muito do usuário e geralmente o suporte técnico da hospedagem deve ser capaz de ajudá-lo

A segunda maneira e que hoje é o mais comum, e contar com um instalador automático de CMS, que faz todo o trabalho de deixar o WP pronto para uso, em menos de 2 (DOIS!) minutos e que qualquer um consegue conduzir, sem nem mesmo um tutorial ou exigindo conhecimentos mesmo que básicos.

Seja em um caso, como no outro, a instalação do WordPress, bem como seus plugins e temas, exigem determinados requisitos do sistema, mais propriamente do ambiente de hospedagem. Particularmente no caso da instalação manual, deve-se verificar junto ao suporte do hosting, as versões mínimas requiridas para o PHP e o MySQL.

Já nos casos em que a empresa de hospedagem fornece um instalador, como por exemplo, o Softaculous ou Installatron, normalmente a versão disponível para instalação, é adequada ao que os servidores de hospedagem têm em termos de serviços (PHP, MySQL, etc).

Uma vez pronto para uso, normalmente o acesso é feito por uma URL que deve ter a seguinte aparência: http://www.seudominio.com.br/wp-admin

Os dados de acesso (usuário e senha) são os que você informou durante o processo de instalação. Portanto, é importante guardá-los, bem como usar um usuário que não seja óbvio ou comum e uma boa senha.

A interface de administração do WP, é simples e intuitiva, o que significa que rapidamente você se familiariza com os procedimentos necessários para utilização. À esquerda, há um menu que contém as opções mais comuns, como por exemplo, a instalação de plugins, que basicamente são módulos que são adicionados ao programa principal e que conferem funcionalidades, como por exemplo, um sistema de comentários com moderação ou até mesmo um plugin que transforma o layout em uma loja virtual.

Quais as vantagens do WordPress?

No artigo “WordPress: Por que usar?”, nós abordamos de maneira mais detalhada, quais as vantagens mais importantes e que justificam a adoção do WordPress, tanto como plataforma para criação de um blog, como para outros tipos de sites.

No entanto, de modo mais sintético e objetivo, podemos destacar as seguintes vantagens:

  1. Flexibilidade – a quantidade e variedade de plugins, permite adicionar rapidamente e de maneira muito fácil, recursos diversos;

  2. Vários propósitos – como já comentamos, você pode ter apenas um blog, mas sabendo escolher o plugin certo, pode produzir um site institucional típico, ou um site de conteúdo, uma galeria de fotos e até um site de e-commerce;

  3. Facilidade – a utilização propriamente da ferramenta, bem como o aprendizado, é outra grande vantagem. É quase tão simples de usar como qualquer editor de texto;

  4. Portabilidade – devido ao alto grau de utilização, já que é o CMS mais usado no mundo, atualmente qualquer empresa de hospedagem de sites oferece um ambiente compatível para seu uso, o que permite que você migre seu site para onde quiser;

  5. Open Source – como toda solução open source, o WP consiste de uma aplicação que prioriza transparência, segurança, longevidade, entre outras vantagens;

  6. Adaptabilidade – também graças aos plugins e por suas próprias características, é fácil produzir um site responsivo e até mobile;

  7. Plugins – como consequência de ser open source, estar no mercado há muitos anos e por ser o mais usado no mundo, é o CMS que conta com a maior quantidade de plugins, garantindo que se consiga praticamente tudo o que se necessite em termos de recursos de um site;

  8. Personalização – outra característica marcante, é a quantidade de temas WordPress existentes, o que garante que se possa ter um resultado final com a aparência que você deseja para seu site;

  9. Segurança – embora existam problemas de segurança – como qualquer sistema – uma vez que se adote procedimentos simples, como utilização de plugins de segurança e mantenha-se o sistema como um todo atualizado, é uma das plataformas de desenvolvimento mais seguras;

  10. SEO – a importância de um trabalho de SEO para sites, é facilitada pelos recursos que o WP já oferece nativamente e que podem ser expandidos através de plugins destinados a este fim.

Que recursos estão disponíveis?

Fazer uma lista de recursos disponíveis para o WordPress, é algo inviável. Quase tudo que você consegue imaginar e que já viu como recurso de um site, existe algum plugin que faça igual ou até melhor.

No entanto, é preciso cautela. Como tudo que existe, até mesmo no mundo real, há o que lhe proporciona mais qualidade e há que não lhe dá tanta. Quando falamos em um software – e o WordPress é um software executado no servidor de hospedagem – instalar qualquer plugin, pode significar problemas de segurança e desempenho. Pode até mesmo significar um site fora do ar, ou em casos extremos, a perda de dados.

Há muitas opções gratuitas de temas e plugins, que literalmente transformam o seu site, mas em casos específicos, é adequado considerar as alternativas pagas. Embora não seja uma implicação obrigatória, mas geralmente as empresas que produzem plugins e temas pagos, dão suporte e garantias mínimas de funcionamento e porque dependem do sucesso do componente produzido, têm um compromisso com qualidade.

Seja qual for a opção escolhida, a comunidade de desenvolvedores e usuários do WordPress, reúne-se em fóruns e sites especializados em tratar de dúvidas e comentar as novidades que circulam no meio. Sendo assim, sempre é adequado fazer uma pesquisa antes de fazer opção por algo novo para seu site.

Outro ponto fundamental, é sempre realizar um backup completo (arquivos e banco de dados) antes de instalar qualquer item novo no seu site. Mesmo que não seja frequente, há relatos de casos em que a instalação de um tema ou plugin, resultou em um site inoperante e perda de dados. De posse de um backup, caso isso aconteça, o site pode ser revertido à sua condição anterior à instalação.

Por fim, mas não menos importante, já há algumas poucas empresas de hospedagem que fornecem planos personalizados, especialmente concebidos para hospedar sites WordPress. A grande vantagem que um plano desses oferece, é que o ambiente é pensado para que o usuário tenha o melhor que o CMS pode oferecer, desde o momento da instalação, passando pelo desempenho e culminando no que ninguém gosta, mas que um dia será necessário, que é o suporte.

Conclusão

O WordPress é atualmente o CMS mais usado no mundo para criação de sites. Tendo nascido como plataforma para criação e administração de blogs, ao longo do tempo evoluiu e desenvolveu um conjunto de habilidades que fizeram dele uma solução completa e de qualidade para se basear qualquer tipo de site que se queira.