Meu primeiro site – os erros mais comuns e como evitá-los

O primeiro site, como tudo na vida, está sujeito a erros e acertos. É natural que seja assim, seja pela falta de experiência e retrospecto, seja porque criar um site passo a passo, é cada vez mais fácil, não exigindo um profissional da área.

Mas não necessariamente precisa ser assim. É possível pular etapas e evitar erros comuns, se você souber o que muita gente faz quando cria seu primeiro site, mas que não deveria.

Fazer você saber o que fazer e o que não fazer de forma alguma no seu primeiro site, é a proposta do nosso bate-papo de hoje!

Por que o primeiro site é importante?

Há a crença generalizada que todo principiante tem direito de errar.

De fato, quando se pensa no primeiro site, não é diferente e não há problemas ou consequências irreversíveis, ou que não possam ser resolvidas com algum – ou muito – trabalho ou que pelo menos nos sirvam de aprendizado.

Mas mesmo sabendo que muitas coisas podem ser corrigidas, há situações em que se pudermos, é oportuno fazer o certo logo na primeira vez.

Redes sociais

É bastante provável que se você esteja criando o primeiro site, já esteja nas redes sociais mais usadas no Brasil, mas não queira estar 100% sob o controle e as decisões que são exclusivamente de terceiros.

Sendo essa a principal razão, é preciso que seu site ofereça justificativas para que os clientes que hoje usam as redes sociais, passem a também acessá-lo quando necessário.

Assim, se por exemplo, hoje o principal motivo para um cliente acessar alguma rede social em que você esteja, é a comunicação que ele tem com você, o site precisa oferecer uma variedade de canais de comunicação e que sejam eles sejam eficientes.

Mas e se ao acessar o site da empresa, os visitantes não tiverem uma boa experiência, por qualquer razão que seja? As chances dele não retornar, são grandes.

Primeira boa impressão

Costuma-se dizer que na maioria das vezes não temos uma segunda chance de causar uma primeira boa impressão.

Provavelmente essa é uma grande verdade quando o assunto é a Internet, afinal um visitante tem literalmente um mundo ao alcance da sua tela.

Quais de nós se preocupa em saber se aquele site acessado não cumpriu o que deveria, mas é aceitável pois é apenas a primeira versão do site e que no futuro os seus pecados serão corrigidos? Ninguém, é a possível resposta.

Por isso, começar acertando – ou errando o mínimo possível – é altamente recomendável.

Reputação digital

Outro ponto intimamente relacionado ao anterior, é a reputação digital.

Já a partir do primeiro site – afinal ninguém a não ser você sabe qual a versão do site – a reputação de uma marca, empresa ou produto, começa a ser construída.

Reputação é construída ao longo do tempo. Leva-se tempo para construir uma que seja positiva, mas apenas um fato negativo, muitas vezes tem o poder de destruir todo um trabalho.

Quantas vezes um depoimento desfavorável, uma reclamação ou opiniões podem afastar clientes em potencial? Em boa parte das vezes!

Perda de tempo

Perder tempo fazendo coisas que precisam ser corrigidas posteriormente é o mesmo que fazer um trabalho que não traz resultados. Menos mal se não afetar a reputação e a imagem da marca, da empresa e dos seus produtos.

O tempo é um investimento necessário na Internet. A não ser que se disponha de muita capacidade de investimento, consolidar um site requer tempo.

Por isso, começar sem erros ou com a menor incidência possível deles, evita que se perca tempo e o retrabalho.

Desperdício de recursos

Erros na criação do primeiro site, também implicam em desperdício de recursos, o que cada vez é mais combatido em empresas de todos os segmentos e portes.

Dependendo da natureza dos erros e da sua quantidade, pode ser necessário reinvestir o que já foi gasto na primeira vez, isso quando não acarreta em perdas difíceis de serem mensuradas, mas cujos impactos são importantes, como a perda de clientes em potencial.

12 erros mais comuns no primeiro site

Agora que se sabe as principais consequências e qual a importância de criar um primeiro site que se não for isento de erros, que eles sejam mínimos, vamos aos principais erros cometidos.

1. Não se preocupar com a hospedagem

Não que as pessoas não se preocupem com a empresa em que hospedarão o seu primeiro site.

O que normalmente ocorre, é que não usam critérios adequados para avaliar, por nunca terem usado o serviço e não sabem como escolher um provedor de hospedagem de site. Assim, é normal – e até compreensível – que preço seja um dos principais aspectos ao se considerar a primeira empresa de hospedagem.

Ao fazer uma pesquisa no segmento de hosting, observa-se que a diferença de preço entre as melhores opções e aquelas que colocam o preço como sua principal vantagem, na maior parte das vezes não é maior do que o equivalente a um café expresso por mês!

Sim, há muita gente que negligencia a importância do suporte e diferentes opções de canais de atendimento, alternativas de planos personalizados, ambiente robusto de hospedagem, por conta de diferenças mínimas de valores.

É geralmente quando se cria seu primeiro site, que mais se necessita de suporte de hospedagem e que ele seja capaz de lhe atender de modo eficiente.

Assim, acertar na escolha do hosting, é um bom começo.

2. Desempenho do site

O desempenho do site é um fator importantíssimo, tanto que é considerado pelos mecanismos de busca como um dos elementos que influencia o ranqueamento nas páginas de resultados e no caso do Google, é estreitamente relacionado com o que se conhece por experiência na página.

Sites com desempenho ruim, podem ser consequência de não se utilizar as melhores plataformas ou CMS para criar o site, ou porque se escolheu muitos plugins ou os que não são os melhores, ou ainda porque não foi feita uma boa escolha de hosting.

3. Aparência e identidade visual

A Internet é cada vez mais visual, bem como as novas gerações também são.

Por isso, a aparência e que é resultado de uma série de fatores, tem um peso importante nos primeiros segundos da primeira visita.

Sim, segundos! Cada vez mais as pessoas decidem em segundos se permanecem no seu site ou se retornam aos sites de busca por algum que entregue o que buscam.

Isso também faz parte da identidade visual, a qual é um vínculo visual entre seu público e sua marca.

Mas não é apenas o que se vê, as cores, as fontes, as imagens e como tudo está combinado. Está relacionado com a facilidade ou não de encontrar as coisas, como se dá a navegação, a clareza com que os conteúdos são expostos e ainda como isso se combina com o desempenho e que acaba resultando na experiência que o usuário tem no site.

4. Qual o objetivo do site?

Esse possivelmente é um ponto que pode causar alguma confusão e a perda do foco quanto ao que realmente importa.

Quando perguntamos “qual o objetivo do seu site?”, é normal ouvirmos: “trazer mais clientes”.

Que tal você perguntar às pessoas que deverão acessar o site, o que elas buscam?

Você ouvirá delas que querem esclarecer dúvidas sobre a empresa e seus produtos, querem algum tipo de atendimento e com qualidade, buscam mais informações, saber que opções / alternativas elas têm no seu segmento de atuação, entre outras coisas. Nunca dirão: “quero me tornar cliente da empresa”.

Trazer clientes, é consequência de atender tantas necessidades, desejos e expectativas quanto forem possíveis, usando o site como instrumento para tanto.

5. Equívocos na definição de conteúdo

É comum colocar conteúdos que você acha que são importantes e pontos que você acha que se destacam dos seus concorrentes.

Em parte esse engano tem relação com o item anterior e com o fato de que o site não é construído pensando em seu verdadeiro propósito e para quem ele é feito.

O site não deve apenas satisfazer o seu dono, mas quem usufrui dele.

Criar conteúdo personalizado, implica em conhecer minimamente o Marketing de Conteúdo e Marketing de Atração (Inbound Marketing) e que por sua vez, depende de conhecer para quem o site servirá – a persona.

6. Não conhecer a persona e público-alvo

Definir a persona – ou as personas quando for o caso – é um dos primeiros passos para criar um site que cumpre bem os objetivos aos quais se propõe.

Em alguns casos, definir um público-alvo, em vez de uma persona, pode funcionar.

Mas seja em um ou no outro caso, criar um site sem adotá-los como ponto de partida, é como criar um produto para o qual não se sabe quem poderá consumi-lo.

7. Sites institucionais ultrapassados

Quantos sites institucionais acessamos e temos a impressão de já termos visto algo igual dezenas de vezes?

Dá até a impressão que uns copiam os outros. São ultrapassados, pasteurizados, sisudos, monótonos e chatos, para falar o português claro.

Mais do que isso, é comum a crença de que um site institucional não precisa vender. Se você é dos que acreditam nisso, volte ao 4º e 5º erros e releia-os.

Mesmo que não seja um site tipicamente constituído para realizar vendas, como uma loja virtual, deve vender imagem, conceito, tirar dúvidas e estimular o visitante a querer contato.

Portanto, a criação desde da home page, passando pela página de produtos, a quem somos e a de contato, deve quebrar velhos paradigmas que ditam como devem ser as coisas.

8. Originalidade de conteúdo

Esse erro tem origem no anterior. A internet está repleta de plágios e materiais “inspirados” em conteúdos alheios.

O primeiro grande erro de criar conteúdo com base em sites de terceiros, além de comprometer sua imagem perante seus clientes em potencial, prejudicam o seu posicionamento para buscas orgânicas.

Criar conteúdo 100% original dá trabalho, mas o retorno vem na proporção direta desse trabalho.

9. Acreditar que o site está pronto

Site publicado, não é site pronto.

Isso tem várias implicações.

Não significa que ele não precisa evoluir e crescer, nem sofrer alterações.

Um site – seja de qual tipo ele for – deve ser capaz de adaptar-se ao longo do tempo, das novas tecnologias que surgem quase diariamente na Internet, das mudanças por parte dos internautas e de novas necessidades, desejos e expectativas que eles apresentam e mesmo conforme os movimentos da concorrência.

Além disso, todo site precisa sofrer manutenção periódica, atualizações de segurança e de plugins e até mesmo de conteúdo, para que o trabalho de SEO traga resultados.

10. Não colocar a confiança e transparência em primeiro plano

Se é seu primeiro site, lembre-se que sua empresa é uma desconhecida digital.

São muitos os casos em que os consumidores mesmo quando optam pela compra em uma loja física, antes realizam pesquisas online, sendo que muitas das vezes é para se certificarem de aspectos como por exemplo, qualidade, idoneidade ou garantia.

Assim, é fundamental colocar informações que sejam comprováveis e capazes de transmitir confiança e transparência aos possíveis clientes.

11. Desistir do site

Achar que um site não dá retorno e desistir do trabalho feito, é dos principais erros cometidos.

As histórias de sucesso obtido do dia para a noite, são exceção. A regra é que o retorno vem com o tempo, desde que se tenha em mente que um site nunca está pronto – 9º erro. Não se pode apenas criar um site, publicá-lo e esperar indefinidamente.

Além do tempo, é preciso investir trabalho, estudo e até algum dinheiro.

Felizmente se a capacidade de investimento é baixa, há na própria Internet um grande acervo de conteúdo – como esse mesmo artigo – que lhe ensina o que fazer para cada situação, de tal forma que com algum tempo, estudo e trabalho, consegue-se produzir bons resultados.

Aparecer na primeira página do Google, ou mesmo na segunda e não esquecer do Microsoft Bing, é parte do que se deve buscar, sem o que é quase o mesmo que estar invisível no mundo digital.

Também é importante ter o discernimento para enxergar os ganhos indiretos e aqueles difíceis de mensurar, como quando o site é instrumento para melhorar sua reputação digital.

12. Não ser objetivo

Quantas vezes ao buscar saber o que uma empresa faz, você se depara com algo como: “A XPTO provê soluções interativas, criativas e inteligentes para integrar você com o mundo moderno e com as exigências de mercados cada vez mais competitivos”.

Deve soar bonito um texto como esse, afinal muita gente usa algo do tipo. Mas na prática não diz muita coisa para o visitante, o qual busca termos com os quais ele esteja mais familiarizado e, sobretudo, que ele consiga associar com alguma coisa que faça parte do seu dia a dia.

Afinal essas tais “soluções interativas, inteligentes e criativas”, são um software? Um serviço? As duas coisas? Ou nada disso? Quem lê algo assim, continua exatamente como chegou ao site, ou seja, sem saber o que a empresa faz!

O uso de terminologia da área, textos que não vão direto ao ponto, ausência de informação clara e objetiva, constitui erros graves e que precisam ser evitados.

Valorize o tempo do visitante e o clique que o trouxe até seu site.

Lembre-se qual o objetivo do site (4º erro) e que não deve ser confundir e nem menosprezar a inteligência dos visitantes.

Conclusão

Criar o primeiro site, é cada vez mais fácil e está ao alcance de todos. Mas para que seus primeiros passos na Web não tragam mais problemas do que resultados, é importante estar atento a erros comuns mas que são perfeitamente evitáveis.

Comentários ({{totalComentarios}})