Saiba quais são as 7 redes sociais mais usadas no Brasil

O ano foi 2004 e um burburinho logo tomou conta das pessoas ao redor do mundo. Todos queriam receber um convite para ingressar no Orkut e que na época era a única maneira de participar. Não se sabia ainda o que era, mas nascia assim não a primeira, mas possivelmente a rede social a gozar de maior popularidade a nível global até então.

O curioso, é que segundo o que imaginava o seu criador - Orkut Büyükkökten – em determinada escala, qualquer pessoa no mundo poderia se conectar a qualquer outra, por intermédio de uma rede de amigos. Ou seja, você conhece alguém, que conhece outra pessoa e assim sucessivamente, até chegar a mim.

A teoria de Orkut Büyükkökten se provou verdadeira, porque embora tenha começado com apenas alguns funcionários do Google, que foram convidados e que poderiam distribuir 30 convites casa para conhecidos seus participarem, logo milhões de pessoas estavam conectadas ao redor do mundo.

Apenas 4 anos depois, em 2008, o Brasil tomou o posto de país com maior número de usuários no mundo, com mais de 40 milhões e foi assim, até o fim da rede, 10 anos depois.

Hoje nos passos deixados pelo Orkut, surgiram várias outras redes sociais, sendo algumas com propostas similares, como foi em determinado período aquela que hoje é a maior delas e outras com conceitos bem diferentes. O que todos têm em comum e que os credencia a serem classificáveis como redes sociais, é que em algo no seu funcionamento, fazem com que as pessoas relacionem-se socialmente através da Internet e dos recursos criados por cada rede.

O Brasil, assim como foi com o Orkut, lidera ou sempre está entre os primeiros colocados nos rankings das principais redes sociais globais e assim, vamos abordar brevemente o que é cada uma das 7 maiores segundo participação dos brasileiros.

Facebook

Facebook é hoje a princinpal rede social, tendo começado sua subida rumo ao topo, desbancando aquela que foi antes deles a maior e que deu ao mundo o conhecimento do que eram as redes sociais - o Orkut. Lançada em 2004, teve como seus criadores Mark Zuckerberg, Eduardo Saverin, Andrew McCollum, Dustin Moskovitz e Chris Hughes, que na época eram estudantes de Harvard.

Havia então na universidade um livro que continha fotos e informações de todos os alunos e que tinha justamente o nome de FaceBook, ou em tradução livre, "livro de caras". Por esta razão, no princípio a adesão restringia-se aos estudantes de Harvard, mas conforme a ferramenta foi ganhando recursos, também foram incluídos estudantes de outras universidades, como Stanford, Columbia e Yale.

Embora gratuito para os usuários, gera receita publicitária por meio de banners e formatos patrocinados. Assim como era com o Orkut, os usuários criam perfis que contêm fotos, informações pessoais, listas de interesses e aderem a grupos. Podem ainda trocar mensagens privadas e públicas entre si e dentro dos grupos que participam.

O Facebook é um gigante da Internet, nascido de uma rede social lucrativa e que soube explorar seu potencial comercial. A empresa de Menlo Park, California, faz tudo melhor do que quase qualquer outra, mas quando não é o caso, simplesmente compra seus concorrentes por cifras que ninguém consegue negar.

Quando quis melhores tecnologias de mensagens instantâneas, adquiriu o WhatsApp por US$ 19 bilhões. Quando quis a melhor tecnologia de realidade virtual, comprou a Oculus por US $ 2 bilhões. Quando quis o melhor aplicativo de compartilhamento de fotos, tomou o Instagram para si por US $ 1 bilhão.

E assim foi com mais de 50 empresas.

Youtube

Fundado em 2005, o YouTube é um dos sites de vídeo mais populares da Web atualmente. Qualquer um com acesso à Internet pode publicar um vídeo no YouTube, desde empresas grandes até qualquer um que tenha um celular com câmera em que possa ser gravado um vídeo.

O YouTube foi o primeiro site de compartilhamento de vídeos em grande escala na Web e está disponível em quase todos os países e em mais de cinquenta idiomas diferentes.

Os números são colossais e alguns são difíceis de quantificar usando os parâmetros que temos do quão grande algo pode ser, como por exemplo, o volume de dados ocupados por todos os vídeos já publicados e, por isso vamos apresentar alguns dados compreensíveis do que é o canal, que demonstram seu gigantismo:

  • O YouTube é o segundo maior mecanismo de busca do mundo, perdendo apenas para o Google, a quem pertence e o terceiro site mais visitado, ficando atrás apenas do Google e do Facebook;

  • Mais de 400 horas de vídeos são enviadas por minuto, pelos usuários para os servidores do YouTube;

  • A visualização de vídeos diária do canal, corresponde a mais de 1 bilhão de horas de vídeos e supera o volume de NetFlix e Facebook somados;

  • Já há vídeos que tiveram mais de um bilhão de visualizações. O primeiro a romper a casa dos 10 dígitos, foi Gangnam Style. Em dezembro de 2018, o detentor do recorde, é o Luis Fonsi com Despacito.

Pinterest

O conceito que deu forma ao Pinterest é muito interessante e se você o compreende, o nome é extremamente óbvio. Todo mundo já viu quadros de cortiça feitos para se colocar fotos, notas, pedaços de papel e qualquer coisa com o objetivo de formar um mural de lembretes e coisas interessantes para ver e se lembrar, fixadas com tachinhas coloridas, que em inglês levam o nome de Pin. Ou seja, prenda com um “pin”, alguma coisa de “interesse”. Bacana, né?

Casa usuário dispõe de um conjunto interesses selecionáveis, como por exemplo, decoração, gastronomia, tecnologia, moda, artes, etc e a partir daí a própria ferramenta aponta perfis compatíveis com os interesses do perfil, que podem ser seguidos ou não pelo usuário. A ideia é seguir pessoas que tenham interesses parecidos com os nossos, que é o que forma a rede de relacionamentos na rede social.

Esta rede social atingiu no final de 2018 o posto de terceira preferida pelos brasileiros e tem tido um crescimento incrível em terras tupiniquins recentemente. Também é considerada ferramenta essencial em termos de e-commerce e um grande número de usuários afirmam comprarem produtos que conheceram por meio da rede social, o que reforça essa natureza comercial.

É tida como uma rede feminina e jovem, já que estima-se que cerca de 70% dos usuários são mulheres, predominantemente entre 25 e 34 anos. Cerca de 50% tem ao menos um filho e o tempo médio gasto no site é de 1 hora e 17 minutos. Muitas marcas consideram canal propício para ser usado na viralização de produtos e campanhas, visto o índice de repostagem é de 80%.

Twitter

Esta é outra rede social que caiu no gosto do brasileiro e 4 em cada 100 usuários que participam de alguma rede social, tem perfil no Twitter. Um dos principais motivos, é a facilidade de uso. Sua principal característica era a de inserção de posts pequenos, o que facilitava inclusão de conteúdos e um ou dois minutos. Antes eram 140 caracteres. Hoje, são 280.

“Follow” é a palavra-chave dessa rede social, já que se há interesse no perfil de algum usuário em específico, basta

segui-lo que automaticamente a aplicação informa de todas as atualizações feitas pelo “seguido”. No Brasil parte considerável do crescimento veio justamente da criação de perfis apenas para seguir celebridades por parte de seus fãs.

Outro aspecto que deu relevância à ferramente, foi o “Retweet, que consiste em republicar uma determinada mensagem de um usuário para a lista de seguidores. Assuntos polêmicos, com grande repercussão, muito comentados, geralmente são os principais alvos de retweets e a ferramenta mostra os mais populares no momento, através que chama de Trending Topics, ou tópicos mais comentados. Isso virou indicador do quão popular um assunto é em dado momento.

Em termos empresariais, muitas marcas começaram a criar perfis como uma forma prática e rápida de se comunicar com seus clientes, emitindo pequenas notas das ações e movimentos da empresa, como lançamentos de produtos e serviços. O número de seguidores e como eles reagem às postagens, é um bom termômetro das suas ações.

Tumblr

O quinto lugar no coração do brasileiro, reúne o melhor de dois mundos. É um pouco blog, é um pouco rede social. Não é apenas um, nem apenas o outro. Você quer um blog, mas que tenha os principais recursos de redes sociais, como por exemplo, seguir outros blogs, quer fazer postagens curtas como o do Twitter ou mais longas e cheias de recursos como do Wordpress, então você precisa de uma conta no Tumblr.

Ele fornece uma interface fácil e possui os recursos de publicação multimídia mais rápidos de todos os serviços de blog e isso foi um dos aspectos decisivos do seu sucesso, isso somada a quantidade e variedade de tipos de conteúdo que são possíveis, como textos, citações, links, fotos, músicas ou vídeos, telefone e e-mail.

O serviço segundo eles mesmos, exprime bem o que é e seu conceito: “Nós deixamos a coisa muito, muito fácil para que as pessoas possam criar um blog e publicar o que elas bem entenderem. Histórias, fotos, GIFs, programas de TV, links, piadas inteligentes, piadas bobas, spotify, vídeos, MP3, moda, arte, papo-cabeça, etc”.

Além disso, apresenta uma timeline com posts dos tumblrs – que são como se chamam os usuários - que um usuário pode seguir e ainda é possível compartilhá-lo, curti-lo e fazer comentários. Ou seja, são blogs que permitem um nível de interação e relacionamento que nenhuma outra plataforma de blog consegue igualar.

Instagram

Apesar de ser apenas a sexta opção entre os usuários brasileiros, o Instagram ou simplesmente Insta, para os íntimos, é uma das plataformas que mais tem crescido nos últimos meses e representa o melhor em termos de recursos de imagem. Aval da qualidade da ferramenta, foi ter sido adquirida pelo Facebook.

Consiste sobretudo de um aplicativo gratuito de compartilhamento de fotos e vídeos, disponível para dispositivos Apple iOS, Android e Windows Phone e acessível por qualquer navegador de sistemas operacionais para desktop.

Os usuários fazem o upload de fotos ou vídeos a partir dos seus dispositivos (smartphones, tablets, notebooks, etc) para sua conta no Instagram e podem compartilhar este conteúdo com seguidores ou com um grupo de amigos. Da mesma forma que em redes sociais como o Facebook, há a possibilidade comentar e curtir publicações feitas por usuários com os quais você se conecta dentro do Insta.

Há também um crescimento recente de contas empresariais nesta rede social e muitas empresas usam a ferramenta para promover sua marca, seus produtos e serviços. Essas contas têm acesso a métricas de engajamento e impressões. O crescimento comercial do Instagram por estas características, é um dos maiores entre todas as redes sociais e também é um forte indicativo da sua vocação para os negócios.

LinkedIn

A rede social criada especificamente para o mundo corporativo, aparece na sétima e última posição das mídias mais utilizadas por aqui. Embora não seja tão popular quanto as outras, tem sido um importante canal, tanto para gestores quanto para os profissionais que desejam publicar as suas aptidões em busca de novas oportunidades.

O conceito do LinkedIn é simples e bastante similar a outras redes sociais, como o Facebook, por exemplo. Através de conexões entre os profissionais, permite construir uma relação de confiança em diferentes graus, facilitando o encontro de pessoas, empregos ou outras oportunidades.

Para utilizar o LinkedIn, o usuário precisa criar um perfil, preencher todas as suas qualificações e iniciar uma busca por conexões, através de convites para contatos que podem constar ou não na rede. O ideal é que essas conexões sejam formadas por profissionais da área de interesse e que agreguem positivamente ao perfil.

Assim como em outras redes sociais do gênero, ao ingressar no LinkedIn, o usuário tem acesso a um feed com as principais atividades de suas conexões, consegue realizar as suas próprias publicações ou escrever artigos com o objetivo de fortalecer o seu perfil ou, até mesmo, fazer networking e estreitar os laços com outros profissionais.

Conclusão

O Brasil sempre teve alguns dos maiores índices de usuários nas principais redes sociais do mundo, indicando a disposição e o interesse em relacionamentos em todos os níveis. As principais redes sociais da atualidade e que mais têm adepto no país, representam uma diversidade de mecanismos para expressar e exercer relacionamentos, comprovando esta aptidão natural, bem como um enorme potencial a ser explorado em termos comerciais.