#HashTag: O que é? Como usar?

O universo da tecnologia é povoado por dezenas, centenas, provavelmente milhares de termos. Alguns menos conhecidos e usados, outros mais e alguns certamente lideram os rankings dos mais populares. Na última década, um destes tem ganhado especial notoriedade a ponto de não conseguirmos imaginar a Internet como a conhecemos hoje, sem ele – o termo hashtag.

Mas apesar do seu uso por parte de qualquer um que use uma rede social ser amplamente disseminado, você consegue explicar de forma objetiva e completa a alguém que lhe pergunte: “O que é hashtag?”, ou “Para que serve uma hashtag?”, ou “Como usar uma hashtag?”?

Desvendar de maneira completa tudo que está por trás e os benefícios que o uso estratégico das hashtags podem trazer à sua presença digital, exige recorrer à história em termos de evolução da Internet, mais especificamente os sites e alguns conceitos técnicos simples e importantes.

Como surgiu a hashtag?

Da forma que a utilizamos hoje e como ganhou popularidade, foi graças ao Twitter, que desde 2009 iniciou o processo de criar um hiperlink associado a todas as palavras iniciadas pelo símbolo “#”. Ou seja, tornou possível clicar sobre a hashtag e ser apresentado a uma lista de conteúdos marcados com ela.

O símbolo “#”, é referido como hash, em inglês, como costuma ser com muitos dos termos que usamos associados a tecnologia. Em português, é conhecido como tralha, cerquilha ou simplesmente jogo da velha, uma vez que lembra o diagrama usado neste popular jogo. Os músicos ainda conhecem-no como sustenido, que é o indicativo que a altura desta nota deve ser elevada em um semitom, quando aparece à esquerda de uma nota na partitura.

Mas muito antes do Twitter empregar o termo hashtag e conferir a funcionalidade usada, o conceito que deu origem e foi ampliado pelo microblog, já era usado nos primórdios da Internet, nos primeiros sites exclusivamente criados em HTML.

A palavra hashtag é o resultado da junção de como se chama o símbolo da tralha / cerquilha em inglês, ou seja, a palavra hash e a palavra tag, que também proveniente do inglês, significa etiqueta. Etiquetas em sistemas de organização e classificação de informações, de objetos e produtos.

Quando você vai a uma loja comprar roupas, nelas estão afixadas etiquetas com o nome do produto, o tamanho, o valor e eventualmente outras informações. Na própria roupa, há a etiqueta colocada pelo fabricante, com o tamanho, tecido usado, sua composição, modo de lavar, local de fabricação, etc.

Na Internet e mais especificamente quando pensamos nos primeiros sites, que faziam uso exclusivo da linguagem HTML, as tags já estavam presentes e consistem da essência da estrutura da linguagem e, portanto, de como os sites são criados.

Tudo o que você vê em um site baseado em HTML, é resultado da interpretação feita pelo navegador (Chrome, Firefox, Edge, Safari, etc) dos conjuntos de tags que compõem a página acessada, para exibir o conteúdo relacionado a elas. Uma das primeiras tags que são lidas pelo navegador, é o título da página que está sendo exibida.

Portanto, quando o navegador encontra a tag title (título em inglês), ele exibirá na parte superior do navegador ou na guia / aba correspondente à página. A instrução HTML correspondente para a tag title, da página do Wikipedia que trata de hashtag, é:

Hashtag – Wikipédia, a enciclopédia livre

Onde title é usado duas vezes, para indicar o início e o fim do conteúdo ao qual a tag se refere.

Mas não é apenas esta a utilidade que as tags têm. Desde que surgiram os mecanismos de buscas, como o Google, o Bing e tantos outros que não existem mais, criaram-se também os robôs ou robots, que nada mais são do que programas, que varrem os sites da Internet e criam índices dos seus conteúdos e que são armazenados no banco de dados do mecanismo de busca, com o conteúdo de algumas etiquetas do site.

Os robots leem coisas que não aparecem na tela, mas que são úteis para orientar a organização da informação, que mais tarde é exibida nos resultados de cada pesquisa que fazemos. Entre as tags mais importantes e que têm especial relevância, estão as palavras-chaves ou keywords, em inglês.

É neste ponto que uma hashhtag se aproxima das tags do HTML, pois o principal papel da hashtag, é representar uma palavra-chave de um conteúdo inserido em uma rede social. Em suma, são as palavras mais representativas do assunto abordado.

O que o Twitter fez, foi utilizar o conceito já usado pelas ferramentas de busca, refiná-lo e trazer o seu uso antes restrito ao código de uma página, para a área visível deste conteúdo e criando links e índices disponíveis a todos os usuários, a respeito de todo conteúdo que utilizasse as mesmas palavras-chaves.

O que é hashtag? Para que serve?

Com base em tudo que você viu neste breve relato histórico que apresentamos, as respostas, ou pelo menos uma boa ideia do que sejam as respostas a estas perguntas, já deve estar em sua mente.

Mas para que não restem dúvidas, uma hashtag é uma forma de destacar em conteúdos presentes em sites e serviços de Internet, qual ou quais as palavras mais importantes, facilitando a identificação do conteúdo ao qual a postagem se refere, bem como a possibilidade de agrupar todas as demais postagens relacionadas àquelas hashtags.

Assim, as hashtags são uma excelente forma de categorizar conteúdos, facilitando a identificação e localização de postagens que referem-se a determinados assuntos.

Como usar as hashtags?

Embora todos que tenham o hábito de utilizar redes sociais, já façam uso das hashtags, nem todos conseguem enxergar as melhores estratégias para utilizá-las de uma forma a trazer melhores resultados para o conteúdo ao qual são vinculadas.

Quanto à utilização, é simples e consiste de se iniciar pelo sinal de tralha / cerquilha – ou jogo da velha, se preferir – seguido da palavra que representa a ideia central ou o tema do assunto. Quase como uma abreviação do título. Nestes casos, utiliza-se mais do que uma única palavra, mas sempre tendo-se o cuidado de não utilizar espaços para separar as palavras.

Com base nisso, uma possível hashtag para um texto que trate da aclamada série Game Of Thrones, seria: #GameOfThrones. Note que não há distinção entre maiúsculas e minúsculas para as ferramentas que fazem a indexação do conteúdo, mas para efeito de legibilidade de quem lê a hashtag, facilita a compreensão daquilo que ela trata.

Procure de fato usar palavras que constem do conteúdo e representem sua ideia central. Não adianta usar uma palavra apenas porque ele faz parte dos Trending Topics do Twitter ou porque é popular, se o seu conteúdo não é representado por ela. A repetição desta prática vai acarretar uma imagem negativa.

Há hashtags mais apropriadas em cada rede social. Cada qual tem suas particularidades e diferentes impactos, em função dos públicos que as compõem e do uso que cada rede faz das palavras-chaves. O Twitter deu o pontapé inicial, mas atualmente Instagram, Facebook, Flickr, LinkedIn, Pinterest, YouTube e demais redes fazem uso do mesmo recurso.

Ao mesmo tempo que você pode usar duas ou mais palavras em uma hashtag para dar clareza e explicar o assunto associado, evite o uso de muitas palavras em uma mesma hashtag, como por exemplo, #CopaDoMundoFemininaEuVou. Ao invés disso, prefira: #CopaDoMundoFeminina #EuVou.

Procure gerar interação e chame os clientes para a ação (CTA ou Call To Action), estimulando sua participação. Um exemplo comum: #BoraComprarMeuProduto, onde naturalmente você substituirá MeuProduto, com o nome real do produto.

Use a popularidade de empresas consagradas. Suponhamos que você vende capinhas para smartphones, ao invés de usar #CapinhasParaiPhone, prefira #Capinhas #iPhone. A alta popularidade da hashtag #iPhone pode trazer algum público para você e seu negócio.

Esteja a par das hashtags passageiras e permanentes, sabendo quando usar cada uma. As primeiras estão geralmente vinculadas a eventos e quando eles terminam, caem em popularidade. Por esta razão, utilize-as apenas se o declínio da popularidade não interferir na ideia de promoção que você tem. As permanentes, podem até ter variação em termos de uso, mas geralmente sempre estão em alta e têm utilização constante.

Faça um planejamento para uso das hashtags, evitando criar novas para assuntos similares. Alguns conteúdos podem se inter-relacionar e assim, uma hashtag mais generalista pode compreender várias postagens, amplificando o alcance / abrangência que uma palavra tem sobre o conteúdo que você gera.

Na contramão, evite criar leques grandes de hashtags diferentes para postagens que têm afinidade do conteúdo ou o mesmo conteúdo, mas com abordagens distintas. Assim, duas postagens em que aborda um smartphone da Apple e outra da Samsung, devem usar por exemplo, #smartphone e cada qual, #iphone e #galaxy, respectivamente.

Hashtags devem ser tão descritivas quanto for possível. Não vincule siglas pouco conhecidas e que não deem pistas sobre o que tratam.

Seja criativo e procure combinar tantas dicas quanto for possível, principalmente em hashtags que referem-se a sua marca ou produtos ou serviços. Adjetivos e advérbios de intensidade, podem ser usados, tais como #MelhorHamburguerDeSampa ou #ComidaSaudavel

Eventos normalmente devem associar informações como onde e quando ocorrerão e assim, um show do Iron Maiden que deverá ocorrer em 2019, pode ser representado por #IronMaidenBrasil2019 ou #IronMaidenMorumbi

Como se vê, escolher hashtags que sejam ao mesmo tempo representativas do assunto tratado, descritivas, populares e gerarem engajamento, envolve criatividade e elaboração de um conteúdo condizente. O trabalho ainda deve ser fruto de planejamento e pesquisa, para produzir resultados consistentes.

Conclusão

A hashtag é um instrumento que tem por papel produzir uma rápida identificação daquilo a que ela se refere, ser descritiva, sintética, produzir engajamento, além de permitir às pessoas que possam localizar facilmente todo conteúdo relativo ao assunto referido. O uso inteligente e apropriado das hashtags, pode gerar resultados muito bons em termos de atração da audiência para o conteúdo que você posta.