O que é Inbound Marketing? Saiba mais sobre o marketing de atração

Microempreendorismo, e-commerce e startups. O comércio brasileiro, a cada ano, é recheado de novas possibilidades mais viáveis para a abertura de empresas em qualquer segmento.

Afinal, o capital inicial necessário hoje, para começar um negócio não passa do que há 10 ou 20 anos era preciso! No entanto, como consequência, a concorrência é intensificada, e os faturamentos caem. Por isso, o Marketing de atração chama, cada vez mais, a atenção das marcas como solução para esse problema.

Por que? Bom, ao contrário do Marketing tradicional (ou outbound marketing), a divulgação dos produtos pelas empresas é feita com a publicação de conteúdos úteis e relevantes, nos diversos canais digitais, como blogs, e-mail e redes sociais, para a atração do público-alvo de interesse das empresas, nas vendas.

Quer saber como tudo isso funciona e qual a sua relevância na captação de clientes em um mercado cada dia mais competitivo? Então, continue conosco neste post e conheça a fundo o Marketing de atração!

Afinal, o que é o Marketing de atração?

Também conhecido como Inbound Marketing, essa modalidade de divulgação não se sustenta nos tradicionais métodos interruptivos de venda do passado. Ou seja, as estratégias não interrompem mais pessoas aleatoriamente selecionadas para a exposição das marcas e de seus produtos e serviços. Pelo contrário!

Seu desenvolvimento foi pautado na premissa de que os consumidores da atualidade (com maior acesso a informações pela Internet) priorizam muito mais empresas que sejam capazes de oferecer experiências correlatas às marcas, como as informações disponibilizadas, e não simplesmente bons produtos. 

Assim, esses trabalhos adotam medidas de atração do público-alvo para os blogs das empresas, em que conteúdos úteis e informativos são facilmente encontrados.

Dessa forma, a partir do momento em que os visitantes se conscientizam da existência de alguma necessidade relacionada às marcas, por meio desses textos e vídeos, os produtos e serviços são enfim ofertados pelas empresas, para a satisfação dessas demandas. 

Por isso, quanto mais frequente é o acesso dos visitantes aos canais virtuais das empresas, mais certos eles estarão sobre a confiabilidade dos produtos e serviços disponibilizados pelas marcas e, por consequência, tendem a adquiri-los. O que, em números massivos de pessoas, amplia o retorno financeiro das empresas em médio e longo prazo, de modo bem significativo.

Como a prospecção de clientes é feita?

Para que o Marketing de atração auxilie no alcance dos objetivos empresariais, as companhias precisam se apoiar em três pilares distintos, porém complementares, no processo de prospecção da futura captação da clientela:

  1. Search Engine Optimization (SEO);
  2. Marketing de Conteúdo;
  3. Estratégias em redes sociais.

SEO ou, em português, otimização para mecanismos de busca, é definido como um conjunto de técnicas e metodologias aplicadas, de acordo com as nuances de cada negócio e de seus objetivos preestabelecidos, para aumentar o tráfego de pessoas nos sites e blogs das empresas.

Esse primeiro suporte é essencial, na medida em que garante a consolidação de análises bem embasadas sobre quais os conteúdos e palavras-chave mais pesquisadas nos sites de busca, como o Google e Bing, pelos públicos-alvo das companhias. Assim, o objetivo é definir quais temáticas e abordagens precisam ser inseridas nos blogs para ampliar o número de acessos. 

Quanto mais relevante e acessado, mais bem posicionado pelos sites de pesquisa será, aparecendo nas primeiras páginas do Google, por exemplo, caso as pesquisas dos internautas sejam compatíveis aos conteúdos publicados nos blogs.

Marketing de Conteúdo, como segundo pilar, nada mais é do que a produção desses textos e materiais propriamente ditos, para sua publicação nas páginas virtuais. É essencial que novos assuntos (previamente pesquisados pelo SEO) sejam constantemente criados e publicados para a manutenção da relevância dos blogs nos sites de busca.

A estratégia das redes sociais, como último pilar, pode ser vista como a cereja do bolo. Isso porque grande parte dos futuros clientes somente acessarão os conteúdos publicados nos blogs se existirem chamadas sociais postadas pelas empresas nos canais de interação social, como o Facebook, Instagram e LinkedIn, que os direcionam aos blogs empresariais. 

Quais as etapas do inbound marketing?

Com a constante atualização de conteúdos e sua publicação nos canais de interação social mais usados pelo público-alvo, a operacionalização do Marketing de atração pode ser resumida em quatro etapas bem simples:

  1. atração;
  2. conversão;
  3. venda;
  4. encantamento.

A atração baseia-se na produção e divulgação de conteúdo personalizado e relevante para o público-alvo. No entanto, durante essa primeira etapa, não somente os potenciais clientes chegam até os blogs das empresas, mas também outros perfis de consumidores. Isso porque textos e vídeos publicados englobam temáticas, em certa medida, mais amplas — o que atrai uma variedade maior de internautas.

Em seguida, já com uma quantidade expressiva de visitantes regulares nas páginas virtuais, é preciso, então, separar o joio do trigo. Ou seja, definir e converter esses internautas em potenciais consumidores das marcas (ou também chamados de leads).

Para isso, as empresas podem oferecer diferentes tipos de conteúdo, mais aprofundados e diversificados, por meio de download de e-books e/ou webinar, desde que esses interessados forneçam algum tipo de dado pessoal, como e-mail ou número telefônico.

A partir disso, o Marketing de venda das empresas pode ser mais bem direcionado para seus leads. Nesse sentido, os e-mails personalizados, o agendamento de reuniões e as ligações são, agora, ações absolutamente recomendadas às empresas para viabilizar boas chances de vendas.

Por último, o mais importante: a fase de encantamento. Ela ocorre após a primeira venda. Assim, é fundamental que as empresas mantenham um relacionamento cordial e atencioso com seus clientes. É desejável - se possível - que seja parte de uma ampla política de Marketing de Relacionamento, que não termina aqui, mas que extende-se até este ponto. 

Isso para que o marketing boca a boca seja adequadamente explorado pelas marcas com o apoio dos promotores, que são aqueles clientes satisfeitos e sempre fiéis às empresas.

Quais os benefícios?

A aplicação do inbound marketing nas estratégias de divulgação da marca trazem grandes vantagens aos negócios. Afinal, os visitantes e leads são atraídos, e não forçados, a conhecer as marcas e seus respectivos produtos e serviços. Por isso, entenda alguns desses benefícios:

Alcance do público-alvo certo

Como os conteúdos postados são direcionados para um público específico, o número de visitantes nas páginas que entram em contato com as empresas pode aumentar em até 3,2 vezes, de acordo com pesquisas divulgadas pela Content Trends.

Poder de persuasão mais eficaz

Geralmente, os conteúdos são elaborados para atrair o acesso de visitantes que se enquadram nos perfis de compradores das marcas. Assim, fica mais fácil conseguir demonstrar e convencer por meio de textos e vídeos informativos, como as empresas serão capazes de satisfazê-los.

Encurtamento do ciclo de vendas

A conversão de meros visitantes da página virtual para efetivos leads, ocorre naturalmente. A depender da precisão dos conteúdos publicados nos blogs, essa fase acontece em pouco tempo. Por isso, quanto mais eficaz o processo de atração, menor o tempo gasto nas vendas.

Portanto, o inbound marketing é a metodologia bastante eficiente na divulgação de produtos e serviços de qualquer segmento ou porte empresarial. Isso se justifica no aumento crescente das marcas que já o adotaram como planejamento estratégico de vendas, obtendo resultados mais expressivos.

Se gostou desse artigo sobre o Marketing de atração, então você não pode perder nossas 6 dicas de como elaborar um bom plano de marketing em uma empresa

Comentários ({{totalComentarios}})