O que um site de tutoriais ou DIY pode fazer por você?

O que há de comum entre “como fazer uma cadeira de pallet” ou “como instalar o Ubuntu em dual boot com o Windows”? Aparentemente nada. Mas e se dissermos que têm muito a ver?

Ambas sentenças são exemplos de buscas que vêm crescendo continuamente na Internet e que por isso, vem alavancando sites e redes sociais de pessoas que compartilham seus conhecimentos em diversas áreas. São sites, blogs e canais no Youtube de tutoriais e DIY (Do It Yourself), que têm centenas de milhares e as vezes milhões de seguidores fiéis e extremamente engajados.

Quer saber mais sobre essa verdadeira febre?

O que são tutoriais ou de DIY?

Tutoriais são em linhas gerais, um conjunto de passos para se fazer algo. Está relacionado à palavra tutor, que é ensinar e/ou orientar alunos pedagogicamente.

Embora não seja específica da área de informática, é onde é empregada com maior frequência.

É fácil encontrar na Internet tutoriais das coisas mais simples, como configurar uma conta de e-mail no seu smartphone ou de como instalar e configurar o Linux em um servidor.

E o que é o DYI? É a abreviação de “Do It Yourself” ou em bom português, “faça você mesmo”.

Se por um lado está mais relacionado a processos manuais para se fazer algo, como a construção de uma cadeira a partir de um pallet, como nosso exemplo inicial, por outro é também um tutorial.

Bem como a instalação de um sistema operacional em um servidor, também não deixa de ser um “faça você mesmo”, em vez de pagar para que alguém faça.

Por que um site de tutoriais ou de DIY?

A lista de razões é extensa e consistente.

Uma das primeiras razões, tem a ver com entender o que é um e o outro. As pessoas cada vez mais estão dispostas a fazerem por elas mesmas, em vez de pagar por alguém que faça por elas.

Essa motivação pode esconder outras razões. Porque não têm dinheiro para pagar, porque querem ter certeza de que será bem feito, porque querem desenvolver novos talentos ou habilidades, porque descobriram uma nova fonte de renda ou porque apenas gostam do tema envolvido.

E por que não tudo isso? O que pode ser melhor do que economizar, fazer do seu jeito algo, aprimorando um talento, de algo que goste e ainda ser pago por isso?!

Os tutoriais são mais comuns em sites e blogs, visto que é um tipo de conteúdo que tem uma boa apresentação nesses tipos de site. É predominantemente em texto e por vezes ilustrado com algumas imagens.

Já o conteúdo associado ao DIY, encontra muito espaço em canais do YouTube, onde os vídeos são muito apropriados a processos mais complexos, com muitas etapas e/ou detalhes, cuja visualização facilita a compreensão.

No entanto, essa não é uma regra rígida. Uma receita detalhada, é um exemplo de DIY, é também um tutorial e pode ser encontrada em qualquer tipo de site, dependendo da criatividade e da disposição do seu criador para apresentá-la.

Há blogueiros que se tornaram micro-influenciadores digitais criando conteúdo do tipo DIY. Muitos deles, hoje estão presentes nas redes sociais também, seja para apresentar belas imagens que ajudam a ensinar a fazer ou dos resultados finais no Instagram, comunicar um novo post “faça você mesmo” no Twitter, ou uma versão mais detalhada no YouTube.

Há quem percorreu o caminho inverso e começou nas mídias sociais e ampliou sua presença digital com um blog ou até mesmo um site de e-commerce, em que vende produtos que cria, ou a matéria-prima e ferramentas para fazer ou até mesmo e-books, nos quais o conteúdo aparece mais detalhado ou onde pode ser consultado offline.

A gama de possibilidades é inesgotável. Depende apenas do tempo e disposição de quem está por trás.

Que conteúdo criar para tutoriais ou DIY?

A verdade é que basta fazer bem feito e ter conhecimento sobre algum tema e sempre haverá interessados.

Uma rápida pesquisa revela uma infinidade de assuntos.

Há sites, blogs e redes sociais segmentadas por tudo que se imagine, desde gastronomia, informática, tecnologia, moda ou qualquer tema do nosso quotidiano, passando por atividades não tão comuns.

Imagine que você é um torneiro mecânico e resolve mostrar ao mundo o que sua experiência de anos pode produzir. A quem pode interessar esse tipo de assunto? Pergunte aos mais de 800 mil inscritos no canal do “Leandro Torneiro” no YouTube.

E quando você reúne as habilidades na forja e marcenaria e mais alguns talentos, para transformar o que deveria ser sucata e lixo, em objetos que podem ser belas peças de decoração ou uma faca personalizada feita inteiramente por você mesmo. É isso e muito mais que o americano mostra aos seus quase 2 milhões de seguidores no canal “Jimmy Diresta”.

Até mesmo um aposentado, morador da zona rural, em um rincão afastado, pode gerar interesse de quase outras 800 mil pessoas, ensinando coisas que fazem parte do dia a dia de um pequeno agricultor, de maneira simples, autêntica, mas muito simpática, no canal do “Marcelino Colatino”.

O conteúdo naturalmente importa, mas o que vale em todos esses e nos outros casos de iniciativas de sucesso, é a forma como se apresenta o tema tratado. Você pode escolher o tema que quiser, desde que sua apresentação seja única. Crie sua identidade e comunique-se.

Qualquer dos três exemplos apresentados, têm uma audiência que só faz crescer, altamente engajada, que comenta, compartilha, curte.

As razões que levam as pessoas a consumirem cada vez mais esse tipo de conteúdo, quase faz com que um conteúdo amplo e bem trabalhado, alavanque-se por si só.

Isso se comprova no terceiro exemplo que demos, do Marcelino Colatino. O conteúdo é de interesse? A apresentação é boa? As pessoas buscam o que não têm ou não conhecem? Sim, há muitas razões para seu canal ser atrativo, mas sobretudo, ele é original.

Marcelino é simples, é simpático, cativante e parece como muitos de nós e fala sobre cada assunto, como se estivesse falando com qualquer um. E no fundo está e as pessoas gostam disso, como se vê nos comentários que deixam.

Os tutoriais, o DIY e o SEO

É certo que a forma que o conteúdo é apresentada, ajuda muito e os visitantes acabam trabalhando por você, pelo seu site, blog ou rede social, compartilhando, curtindo e voltando, mas só isso não basta.

Até chegar nesse ponto, bastante trabalho precisa ser feito. E isso significa SEO.

O trabalho de SEO tem tudo a ver com esse tipo de conteúdo, porque está provado que o interesse que ele desperta, é grande. Vamos a um exemplo?

Digamos que a grana esteja curta e você queira preparar um jantar romântico para o dia dos namorados. Qual uma provável pesquisa? Que tal: “Como fazer um jantar romantico por R$ 50,00”?

Ao fazer exatamente essa pesquisa, o primeiro resultado da lista, é um vídeo do consagrado “Dupla Gourmet”.

Além do canal no YouTube, eles têm página no Facebook com mais de 2 milhões de curtidas, Twitter, Instagram e um concorridíssimo blog com milhares de visitantes diários.

O foco principal do conteúdo do casal, nem são os tutoriais ou o DIY, mas ao usar esse exemplo, eles conseguem potencializar visitantes que apenas querem saber como fazer um simples, romântico, mas acessível jantar para o dia dos namorados, mas que também eventualmente interessam-se pelo restante do conteúdo.

“Como fazer”, são as palavras mágicas!

Ao pesquisar tutoriais e DIY que constam nos primeiros resultados orgânicos, o que se encontra é sempre o mesmo.

É natural iniciar pesquisas do tipo, usando esse tipo de construção e, portanto, nada mais adequado do que usá-la no título e no meio do conteúdo.

Muitas empresas já enxergaram o que isso pode fazer por elas. Isso se vê no segmento de ferramentas, que patrocina influenciadores digitais que mantém sites com esse conteúdo e mesmo algumas delas mantém seus próprios sites de “faça você mesmo”, como meio de atrair mais visitantes, afinal nada melhor do que ver na prática o que um produto desses é capaz de fazer.

Mas lembre-se que nada ainda indexa melhor no Google, do que texto. Assim por mais que se tenha lindas fotos no Instagram, ótimos vídeos no YouTube, o bom e velho tutorial descrevendo detalhadamente como fazer algo, ainda é muito importante.

Na prática isso se comprova por uma presença digital completa por parte de muitos produtores de conteúdo bem sucedidos, além do fato de que ao fazê-lo, aumentam as chances de serem encontrados por quem tem preferências diversas quanto aos formatos.

Conclusão

Sites de tutoriais e DIY são excelentes meios de potencializar o trabalho de SEO e consequentemente melhorar o posicionamento orgânico nos resultados de busca, graças à crescente demanda por conteúdo do gênero. Por isso, criar e manter sites que tenham essa proposta, é um importante meio de ampliar o SEO.

Comentários ({{totalComentarios}})