Entenda o que é Transformação Digital, seus impactos e as vantagens

O que a Pedra Lascada, o domínio do fogo, a Era do Bronze, o surgimento da escrita, as navegações, as máquinas a vapor e a primeira Revolução Industrial, têm em comum com a transformação digital? Quando você entender o que é e qual a importância da transformação digital, será mais fácil ver o que torna comuns uns aos outros estes marcos históricos.

Como é de praxe em nossas abordagens de alguns assuntos, costumamos lançar mão de alguns conceitos tanto para trazer luz aos assuntos que abordamos, bem como para situá-lo em um contexto. Essa prática ajuda a entender melhor a importância de alguns temas e este é um caso em que isso é fundamental.

Por isso, não apenas vamos voltar no tempo, mas olhar a trajetória humana desde os seus primórdios, para poder enxergar o paralelo e a importância que este evento está tendo e terá em termos históricos.

O que é um marco histórico?

Quando se estuda a história da humanidade, desde a pré-história, todos os livros em algum ponto ressaltam momentos em que ocorreram adventos e descobertas específicos e são chamados de marcos ou fatos históricos.

A Idade da Pedra, dividida entre Pedra Lascada e Pedra Polida, figura entre os iniciais e os registros são literalmente materiais, na forma de objetos encontrados e que consistem dos primeiros instrumentos que o homem criou e que possibilitaram a ele produzir as primeiras ferramentas e a caçar, bem como desenvolver a agricultura e a pecuária.

Posteriormente, o domínio do fogo deu ao homem a condição de contar com uma fonte de calor, proteção e mudanças alimentares, visto que a partir daí poderia cozinhar. Mais tarde o uso do fogo também permitiria que existisse a Idade do Bronze e mais tarde ainda, a metalurgia, quando todo tipo de instrumentos de diversos metais fizeram com que ingressássemos em uma época de grandes avanços e conquistas.

Em meio ao período anterior, o desenvolvimento das escritas antigas, foi sem dúvida um dos marcos históricos mais significativos em relação aos passos rumo ao progresso, na medida em que permitia registrar não apenas o conhecimento adquirido, mas as ocorrências. Costuma-se dizer, que o surgimento da escrita, é o que determina onde termina a Pré-História e começa a História, justamente porque agora tudo poderia ser registrado.

A bússola, o sextante e o conhecimento das estrelas, entre outros, possibilitou o surgimento das navegações e com isso, a expansão por mar de muitas civilizações. O comércio e a expansão geográfica tiveram um impulso decisivo desde então.

Nesta rápida e resumida viagem ao longo da trajetória humana por tantos séculos, chegamos à primeira Revolução Industrial, quando o uso do vapor para produzir máquinas que se movimentavam sem uso de força motriz animal ou humana, permitiu que se produzisse mais, melhor, em menos tempo e com menor custo, dando início à industrialização.

Todos estes fatos acima, bem como outros que ocultamos, pois não é nosso propósito aprofundarmo-nos, são considerados marcos históricos, porque cada um em diferentes proporções, implicou em avanços significativos à humanidade e possibilitaram o surgimento de novas eras de desenvolvimento e mudanças profundas na vida das pessoas.

Reservando a importância que cada qual teve, a transformação digital pode-se dizer que veio para mudar em caráter permanente e de forma decisiva muitas coisas no mundo contemporâneo, as relações de trabalho, produção e até mesmo o comportamento das pessoas.

Muito provavelmente, em algumas décadas, alunos abrirão os livros de história e verão que em algum momento na virada do século XX para XXI, a humanidade ingressou na “Era da Transformação Digital” e com ela experimentou literalmente novas formas de viver a vida e que nós somos parte desta transformação.

O que é transformação digital?

Uma definição resumida do que é transformação digital, pode não explicar suficientemente bem, mas se é o que você quer, podemos dizer que é o conjunto de processos que ocorrem no dia a dia das pessoas e empresas, que mudou de formatos e métodos analógicos, para digitais.

Se você é como a maioria, esta definição não basta e não é suficientemente clara!

Mas se você olhar para o passado recente - algo como 20 anos – e como era a vida das pessoas e comparar com o que temos hoje, começará a entender o que é esta transformação. Se você é mais novo que isso ou tem apenas uns poucos anos a mais, terá alguma dificuldade.

Por volta da virada do século, já havia Internet e computadores, mas quando se caminhava pelos departamentos das empresas, era possível ver ainda muito papel nas mesas, lápis, canetas, borrachas, réguas, grampeadores, clipes. Muito do trabalho ainda era manual. As pessoas usavam agendas de papel, tinham calendários sobre as mesas, aparelhos telefônicos grandes e pesados, recebiam memorandos, circulares, relatórios e vários documentos impressos, que eram trocados pelas pessoas. Quem sabe um fax ou até uma máquina de escrever?

Hoje, quando se observa um escritório padrão, até é possível que alguns destes itens ou rotinas ainda insistam em existir, mas o que predomina é um notebook e apenas ele. Praticamente tudo que um colaborador precisa para desempenhar suas funções de maneira eficiente, está naquele dispositivo à sua frente.

Tudo – ou quase tudo – migrou ou está em processo de mudança para o ambiente digital. Há 20 anos, as pessoas anotavam algo importante e/ou que não poderiam esquecer em um pequeno pedaço de papel colorido e adesivavam-no por toda a mesa. Eram os “post its”. Hoje, um aplicativo faz a mesma função, de forma melhor e mais completa.

Sua agenda, seus relatórios, seu bloco de notas, suas planilhas de gastos, sua caixinha com cartões de visita de clientes, as fotos do evento de confraternização da empresa e até seu “cartão de crédito”, suas músicas preferidas e mais algumas coisinhas, hoje estão na palma da sua mão, mais especificamente, no seu smartphone, também em formatos digitais.

E a transformação vai muito além, porque não envolve apenas coisas, mas processos também. Se no passado você abria uma lista telefônica para procurar o telefone de algum serviço, contatar algumas alternativas de fornecedores, colher preços, esclarecer dúvidas, entre outras etapas, agora um aplicativo reúne tudo isso e com algumas poucas telas e cliques aqui e ali, resolve-se a questão em minutos.

E não para por aí. Até mesmo situações nas quais não se poderia imaginar um equivalente substituto digital, já há concorrência digital, graças à tecnologia de realidade virtual e com isso, você praticamente viaja o universo, a partir da sala ou do quarto da sua casa, “andando” em uma montanha russa ou fazendo sexo.

As redes sociais também são um outro exemplo de transformação no modo como as coisas ocorrem. As relações que no passado se davam estritamente de forma presencial, hoje em muitos casos se dão exclusivamente em caráter virtual. É uma mudança radical no modo de como acontecem as coisas e no comportamento dos envolvidos.

Portanto, transformação digital ocorre quando coisas e procedimentos são substituídos por um equivalente digital.

Os impactos e as vantagens da transformação digital

Há a grosso modo, três âmbitos em que a transformação digital interfere – o pessoal, o profissional e o empresarial. Em uma avaliação de cunho sociológico, podem haver outras implicações, mas estas três nos bastam.

Em termos pessoais, geralmente o que se vê, são os benefícios ou vantagens, já que atualmente a gama de aplicativos e serviços digitais, é enorme. É difícil imaginar algo que uma pessoa não possa dispor se tiver a mão um smartphone ou notebook, acesso à Internet e um meio de pagamento. Tudo é muito mais rápido, mais fácil e com mais opções.

Do ponto de vista profissional, por um lado exige-se que as pessoas capacitem-se mais e de forma contínua, para serem capazes de lidar com as tecnologias existentes, bem como as novas, que rapidamente surgem e colocam as anteriores em processo de obsolescência. Do outro, ao mesmo tempo que podem fazer com que algumas profissões se extinguam, criem-se novas, como também novas habilidades e aptidões dos respectivos profissionais.

Por fim, as empresas devem cada vez mais serem capazes de fazer uma leitura adequada nas necessidades e, sobretudo, antever e se preparar para as tendências. Não basta apenas serem capazes de adaptarem-se. A velocidade das mudanças é cada vez maior e por isso, ter a capacidade de antecipar-se ao novo, será o único meio de acompanhar as demandas.

Em qualquer das três esferas ou âmbitos em que há influência da transformação digital, resistir a participar dela, pode literalmente significar ser excluído. Quando pensamos em termos das pessoas, manter-se fora da transformação, significa no mínimo deixar de aproveitar oportunidades novas e importantes. Quando pensamos nas empresas, é quase certo em 99% dos casos, o seu fim.

Conclusão

Transformação digital, é um fenômeno em que as tecnologias digitais substituem coisas, processos, oferecendo novos modos de se fazer as coisas, opções novas e mais variadas, rapidez, entre outros benefícios, mas que também pode consistir de fator de exclusão social e profissional, para aqueles que resistirem à sua adoção, seja por opção ou por dificuldades naturais de ingressar e participar dela.