O que são metas? Qual sua importância e como defini-las?

Boa parte das realizações humanas são resultados de determinação, conhecimento, trabalho e até algumas vezes, do acaso. Mas há um bom contingente de coisas, que são resultados individuais de pessoas que estabeleceram metas e objetivos e os perseguiram com afinco e perseverança. Você sabe responder objetivamente, o que é uma meta? Como estipular metas? Como que as metas podem ajudar no desenvolvimento de pessoas e organizações?

Se não tem estas respostas e outras relacionadas, então chegou a hora de mudar isso!

O que são metas?

Metas, nada mais são do que objetivos quantificáveis ou mensuráveis. Mais do que isso, costumam ser bastante específicos ou precisos.

Em termos linguísticos, é comum considerar metas e objetivos como sinônimos, mas em termos administrativos, metas e objetivos costumam diferir um do outro, sutilmente. Ainda em termos de significado, um em especial ajuda-nos a entender o que a palavra meta representa: “Marco que assinala o ponto-final de uma corrida (de cavalos, pedestres etc.).”.

Ou seja, em uma atividade esportiva, como a corrida, os participantes têm uma meta, representada por algo que se deve cumprir ou alcançar e que é bem sabido e perseguido por todos. Aqueles que atingem a meta primeiro, são tidos como os melhores.

Mas de certa forma, fora do âmbito da competição profissional, muitas vezes todos que atingem a meta ou no nosso exemplo, a linha de chegada, podem considerar-se bem sucedidos, pois cumpriram o que se propuseram. Imagine correr os mais de 42 quilômetros de uma maratona e terminá-la, não importa em que posição. Para a maior parte das pessoas, é uma vitória pessoal.

Assim, tomando como exemplo a maratona, o objetivo de alguém pode ser participar de uma. A meta, seria não apenas participar, mas concluir a prova dentro de 5 horas, por exemplo. Ou seja, visto desta forma, uma meta é um objetivo bastante específico e quantificável.

Por que é importante ter metas?

Há muitas pessoas que vivem sem metas. Algumas até vivem bem, são felizes e satisfeitas com o que têm, mas em geral essa não é a regra. Também a simples existência de metas, não é requisito que garantirá o sucesso e a realização pessoal e profissional de todos que as tenham.

A primeira justificativa da importância de estabelecer metas, é não andar ou viver a esmo, que é sem destino e propósito. Você pode dizer a si mesmo que irá estudar, crescer, trabalhar, constituir família e assim por diante. Isso não é nem mesmo um objetivo, na medida em que é assim que acontece com a maior parte das pessoas e a não ser que fatores excepcionais ajam, tudo isso acontecerá naturalmente.

Já o estabelecimento de um ou mais objetivos, seria estudar, concluir uma faculdade, conseguir um bom emprego, morar em um bom bairro e casar-se e ter alguns filhos. Porém aqueles que estabelecem metas, determinam qual a faculdade se formarão, em que empresas trabalharão, que cargos vão ocupar até 30 anos, 35 anos, 40 anos, que patrimônio irão acumular, em que bairro terão suas casas e assim por diante.

Visto dessa forma, uma meta é a garantia de que você sabe onde pretende chegar, como fará para chegar, quando chegará e o que irá obter quando tiver conseguido, planejando e avaliando cada etapa cumprida e se necessário, fazendo os ajustes necessários para conquistar tudo o que deseja.

Ou seja, metas ajudam a dar orientação às pessoas - como também as organizações – em relação a todos os seus passos. Por outro lado, quem não tem metas, pode simplesmente contentar-se com o que conseguir, não importando o quanto conseguiu.

Voltando a competição esportiva, as metas são a mola que impulsiona os vencedores. Entre muitos exemplos conhecidos, podemos citar Usain Bolt, cujas metas certamente foram conquistar medalhas em provas diversas, através do atingimento de tempos que ele tinha conhecimento preciso, por meio de planejamento da carreira, treinamento, aperfeiçoamento, estudo, etc. Certamente ele não queria apenas ser mais um corredor de 100 metros rasos.

Como estipular metas?

Estipular metas é possivelmente das questões mais difíceis, não porque seja difícil estipular números e persegui-los, mas porque ao errar na determinação destes números, pode ser quase tão desastroso como não ter meta alguma.

Invariavelmente empresas estipulam metas para suas equipes de vendas, tendo como base apenas os números que gostariam ou precisariam ter em termos de faturamento, sem atentar quanto à viabilidade destes números, nem se são realistas e refletem o momento, o mercado e até mesmo aspectos como infraestrutura, treinamento, produto, valores, e outras condições que influenciam no atingimento das metas por parte dos vendedores.

Quando isso ocorre – é bastante frequente que ocorra – o que se observa, é uma equipe desmotivada, porque já parte para o desafio, sabendo que não atingirá os resultados pretendidos, por mais que se esforce e mesmo a despeito de prêmios ou recompensas bastante atraentes.

O inverso também é prejudicial, na medida em que o atingimento constante de metas, pode causar a falsa impressão de que se é muito bom, muito capacitado e tudo vai muito bem. Em pouquíssimos casos, pode até ser verdade, mas não é essa a realidade. Geralmente não são as vitórias que ensinam, mas as derrotas.

Neste ponto, deve estar óbvio que o que se deve buscar, é o equilíbrio, o bom senso e saber medir as doses de ambição para que as melhorias venham de forma duradoura e consistente. Ao invés de pensar em uma rampa ascendente, prefira a escada. É para isso que ele foi feita, ou seja, permitir que se suba aos poucos e se necessário, parar em algum degrau para descansar e poder prosseguir depois. Cada degrau é uma meta intermediária.

Em termos práticos, parta de números conhecidos e que se sabe que são atingíveis. Acrescente pequenos incrementos que se imaginam possíveis com pequenos investimentos de trabalho, treino, esforço. Deve haver flexibilidade para fazer mudanças, quando os incrementos foram mal calculados ou os degraus são muito altos, assim como deve ser possível avaliar porque não se conseguiu subir algum degrau.

Deve-se também premiar além e aquém da meta. O vencedor dos 100 metros, leva o ouro, talvez o recorde mundial e/ou olímpico, mas o segundo também tem a prata e o terceiro, o bronze. Para uma equipe de vendedores, chegar a 95% da meta, deve ser também motivo de reconhecimento pelo trabalho feito, da mesma forma que aquele que foi a 105%, deve receber algo a mais por isso.

Como as metas podem me ajudar? Que lição tirar das metas?

Usain Bolt não ganhou apenas medalhas de ouro - embora tenha ganho a maior parte delas - nas provas em que disputou. É fato conhecido também, que a genética lhe é favorável, mas em um mundo de 7,7 bilhões de pessoas, é improvável que ele seja o único e que não haja alguém ainda mais favorecido neste aspecto.

A diferença entre Bolt e o resto do mundo, é o conceito por trás de tudo o que foi feito e que envolveu planejamento, trabalho, dedicação, apoio, infraestrutura, outras pessoas, enfim, uma gama de fatores todos orientados a atingir metas possíveis, bem definidas, como, quando e porque atingi-las.

O mundo é repleto de exemplos iguais aos do jamaicano, em diversas áreas, mas você não precisa ser mais um Usain Bolt para realizar-se, nem tampouco sua empresa também precisa sê-lo, no mundo dos negócios.

A vida e o negócios, podem dar prêmios tão ou mais valiosos a todos os que sabem exatamente o que querem, o que farão para ter o que querem, quando e com ajuda de quem e porquê. Mas é preciso saber que as vezes o tempo não ajuda, a pista não é como aquela em que você treinou, os adversários existem para tentar impedi-lo e até o seu calçado pode não ser o mais adequado.

O que importa, é que você não seja apenas mais um corredor, para correr uma corrida qualquer, na qual qualquer resultado serve. Neste caso, é melhor ficar sentado no sofá de casa, comendo pipoca, tomando refrigerante e vendo as medalhas indo para Jamaica!

Metas perseguidas como devem ser, ajudam na qualidade de vida, na satisfação pessoal, no crescimento pessoal e profissional, produz pessoas melhores, sociedades mais justas, grupos melhores e mais produtivos, afinal sempre se estará perseguindo o melhor que é possível fazer em todas as áreas, com consciência e determinação.

Conclusão

Pode-se dizer que metas são objetivos precisamente quantificáveis, que são planejados meticulosamente, considerando todos os fatores necessários ao seu atingimento. Elas servem para dar um norte ao que as pessoas e empresas fazem, porque fazem, quando e como fazem, recebendo em contrapartida, satisfação, sucesso e crescimento.

Comentários ({{totalComentarios}})