Quais tipos de conteúdo utilizar para marcar presença digital?

Quem já tem alguma presença na Internet, provavelmente também sabe que ser encontrado na grande rede depende muito de conteúdo. A questão que muita gente não sabe ou tem dificuldade para pôr em prática, é a questão de como formatar adequadamente o conteúdo que é produzido para atrair a sua audiência. Se esse é o seu caso, saiba quais são as principais maneiras de produzir um conteúdo atrativo e que funciona.

O que é importante ao criar conteúdo?

Antes de mais nada é importante ter em mente como as pessoas chegam até você na Internet. A resposta mais curta é: através de conteúdo! Melhor explicando a Internet funciona motivada pelo que as pessoas querem saber a respeito de algo.

Assim cada vez que alguém abre o navegador e vai para busca do Google, essa pessoa está buscando um serviço, um produto, uma receita, o esclarecimento de dúvidas a respeito de um assunto, aprender mais sobre o outro, divertir-se, resolver um problema, etc. Todas essas situações são satisfeitas através de conteúdo.

O melhor, o mais completo, o mais atualizado e mais consumido conteúdo a respeito de algum assunto, é o que o Google vai mostrar nos resultados da sua busca.

Portanto, esta é parte da sua preocupação para produzir conteúdo para o seu site, para seu blog, para suas redes sociais, enfim todas as formas pelas quais você marca presença digitalmente.

A outra parte relativa ao que você deve considerar para produzir conteúdo, está relacionada com formato deste conteúdo. Da mesma maneira como você tem preferências quanto a forma que consome a informação apresentada, as pessoas que vão até você na Internet, também têm.

Em outras palavras, há pessoas que gostam de ler textos, há pessoas que gostam de ver imagens, há aquelas que gostam de ouvir áudios, há os que preferem vídeos e ainda há quem goste de um pouco de tudo, de acordo com o momento.

Por isso tendo em mente estas diferenças e conhecendo bem a Persona ou as Personas que representam o seu cliente típico, é o que você deve utilizar para orientar o seu trabalho quanto à produção do conteúdo em termos do assunto envolvido e do formato que esse conteúdo será apresentado.

Como criar conteúdo e escolher seus formatos?

Quer um exemplo? Ok, imaginemos que o seu negócio seja um açougue. Os clientes do seu açougue podem ser a dona de casa, o solteiro que mora sozinho, a pessoa preocupada com a qualidade da sua alimentação, aquele sem tempo para se dedicar a cozinha, ou uma série de outras pessoas.

A diversidade de público é bastante ampla, não é mesmo? Seus perfis e o que buscam podem variar enormemente, quase como tanto como todo o universo de pessoas que existem, excluídos apenas os vegetarianos e veganos.

O que fazer em um caso como esse, deve ser a pergunta que você está se fazendo. Naturalmente não se responde a essa pergunta com uma simples resposta. Na verdade você tem que vislumbrar o leque de opções que você tem a frente.

De fato você é um privilegiado, na medida em que tem uma clientela bastante diversificada e assim a gama de opções para criar conteúdo e apresentá-lo também é bastante ampla. Cabe a você enxergar o universo de possibilidades e saber tirar proveito disso.

Para a dona de casa você pode simplesmente apresentar uma lista das 20 melhores receitas para se fazer utilizando coxão duro ou carne moída. Normalmente este tipo de assunto aparece no formato de um tutorial, que constitui o que é uma receita. O mesmo se aplica a todos os demais cortes de carnes que você vende.

Para o solteiro que mora sozinho, as receitas também são importantes, mas as dicas de como produzir e congelar porções individuais, provavelmente serão igualmente úteis.

Já aqueles que demonstram preocupação o valor nutricional da comida que consomem, tabelas e gráficos com informações relacionadas com o valor calórico, quantidade de proteína, quantidade de gordura, e outros dados de cada um dos cortes vendidos no açougue, serão de muita utilidade e até ajudarão na hora de escolher o que comprar.

Por fim, para todos os tipos acima será de muito valor um vídeo mostrando as características que devem ser observadas na hora de escolher cada corte de carne que é vendido no açougue, tais como aparência da peça, tamanho, quantidade de gordura, como cortar e porcionar a carne, etc.

Deve ter ficado claro por meio deste exemplo, o quê considerar em termos de assuntos abordados na produção de conteúdo e quais os formatos adotar para que este conteúdo seja útil e atrativo.

O mesmo tipo de abordagem deve ser usado para qualquer nicho de atuação, pressupondo que você conhece muito bem as necessidades, os desejos e expectativas que as personas que representam o seu público apresentam.

Quais os tipos ou formatos de conteúdo?

A tecnologia presente na internet, tem feito com que uma grande quantidade de tipos ou formatos de conteúdo sejam disponíveis. Alguns formatos parecem-se muito entre si. Outros tem aplicações mais restritas. O quê deve ser considerado em todos os casos, é a possibilidade ao seu alcance para produzir e obter o resultado final apropriado.

Portanto, não produza conteúdo em um determinado formato se os recursos dos quais você dispõe (investimento, tempo, conhecimento da tecnologia, equipamentos, etc) não são apropriados para criar um produto final de qualidade. Conteúdo mal apresentado conta negativamente. Faça sempre o melhor que puder sempre.

Blog Posts

Blogs foram por muito tempo um dos principais formatos para se apresentar conteúdo. Quando falamos em blog posts, estamos nos referindo a apresentação mais tradicional do conteúdo que estamos acostumados a ver.

Constituem textos corridos abordando um determinado assunto, exatamente como é o caso desse artigo. É um formato muito apropriado quando se quer discutir a respeito de um tema, contar histórias a respeito de algo, dissertar sobre um assunto específico e esclarecer, exatamente como estamos fazendo.

A ressalva quanto a este formato, é que ele geralmente restringe-se às pessoas que gostam de ler e têm disposição e tempo em fazê-lo.

No entanto, ainda é um dos formatos prevalecentes e por isso deve ser sempre considerado, sobretudo, porque também é ainda um importante impulsionadores de visitas.

Vídeo posts

Este é o formato de apresentação de conteúdo que mais tem crescido ultimamente. A prova do sucesso desse formato, é evidenciada pelo assombroso crescimento o que o YouTube apresentou nos últimos anos. Também costuma ser o tipo de mídia que mais recebe interação (compartihamento, comentários, likes, etc) em outras redes sociais como o Facebook;

Ao mesmo tempo que esse formato tem uma aceitação muito grande, ele exige cuidados com a produção, uma vez que as ferramentas e recursos de comunicação utilizados precisam cumprir bem seu papel. Se por um lado você consegue comunicar por imagem e som, por outro, se um ou ambos não forem bem utilizados, o resultado pode ser negativo.

No exemplo que demos anteriormente da empresa que atua no segmento de carnes, um vídeo bem elaborado pode ser altamente esclarecedor comparativamente a qualquer texto e pode motivar fortemente o consumo do seu produto.

E-books

O termo vem de Electronic Book. Embora também correspondam aos livros impressos em sua versão digital, aqui o termo e-book como formato de conteúdo de Internet, corresponde muitas vezes a uma versão digital também, de um conteúdo um pouco mais específico, cuja abordagem em um blog post não seria a mais adequada.

Geralmente são disponibilizados em formatos como PDF e são fornecidos para download para uma leitura posterior. Tanto pelo propósito quanto pela razão de ser, e-books são materiais extensos direcionados ao esclarecimento mais amplo de um determinado assunto.

Ainda utilizando o nosso exemplo de açougue, uma possibilidade de e-book atraente seria algo como o “guia definitivo de como preparar um churrasco perfeito” ou “tudo que você precisa saber sobre congelamento de carnes”.

Áudio

Esse constitui outro formato que vem ganhando muitos adeptos. Há variações na forma como ele aparece na Internet, com destaque para os podcasts. Aqui não vamos diferenciar um podcast de outras propostas de formato de áudio, pois a apresentação de qualquer variação se dá sempre da mesma maneira, ou seja e obviamente, por áudio.

Assim em muitos lugares costuma-se fazer diferenciação em relação aos formatos de áudio sob suas diversas manifestações como audiobooks e audioposts, para citar apenas dois exemplos. No nosso entendimento, o consumo de conteúdo neste formato, se dá sob a mesma forma e pelas mesmas razões e por isso não exige distinção.

A razão do seu sucesso, é a facilidade de se consumir conteúdo apresentado nesse formato. As pessoas podem ouvir um podcast no seu smartphone enquanto vão para o trabalho, no ônibus, no carro, no metrô, ou simplesmente enquanto fazem qualquer outra coisa em casa ou em quaisquer outras situações em que possam estar com ouvidos livres para ouvir.

O que precisa ficar claro e é importante entender, é quando a informação pode ser consumida com melhores resultados através de um áudio, da mesma forma como costumava ser quando o hábito de ouvir rádio era comum. Nesta época ouvia-se notícias, futebol, entrevistas e outros tipos de comunicação, todas pelo mesmo veículo de áudio.

Infográficos

Embora soe redundante, um infográfico é mais do que um gráfico tradicional. Ele é uma apresentação visual de informações que estão dispostas de maneira mais completa e didaticamente mais compreensíveis.

Todo gráfico é uma apresentação de informações, mas no caso de um infográfico a construção e disposição dos dados e demais elementos visuais, tem o objetivo de ilustrar melhor como as informações nele contidas se relacionam.

Infográficos bastante bons, podem dispensar informações de texto explicando-os. Isso não significa que não possa haver texto complementar e inclusive eles podem fazer parte de um e-book um blog post por exemplo.

Seguindo a nossa linha de situações hipotéticas um infográfico que apresente onde se localizam no boi cada corte que é comercializado, é um excelente exemplo para ilustrar as características de sabor e maciez cada corte apresenta.

Tutoriais

Esse é o formato de conteúdo em que prevalece a informação colocada na forma de texto e eventualmente pode conter imagens que ajudam na apresentação do conteúdo.

Geralmente os tutoriais destinam-se a ensinar como se fazer algo através da explicação de cada passo necessário ao cumprimento de uma tarefa. Receitas são exemplos práticos de tutoriais, na medida em que explicam detalhadamente os passos necessários para execução de um prato.

Ao imaginar as possibilidades de apresentação do conteúdo do nosso açougue, um vídeo em que o açougueiro demonstra como desmembrar uma peça de alcatra para tirar a maminha, o steak do açougueiro, o baby beef e o miolo do alcatra, temos a conjunção do formato vídeo e tutorial em uma mesma situação.

Webinars

Em sua manifestação mais comum, um webinar utilizará o formato de vídeo para sua apresentação. Normalmente ele é utilizado em situações em que se deseja transmitir uma palestra, ou seminário, ou ainda uma conferência relativa algum tipo de assunto.

Muitas vezes ocorrem em situações com transmissão ao vivo, que em muitos meios são tratados como as populares lives, o que não impede que possam ser gravados para exibição posterior.

Se o nosso açougueiro entender que fornecer um curso de ensino a distância para a formação de outros açougueiros. é um bom negócio, esta é uma possível aplicação desse formato.

Memes e Gifs

Mesmo constituindo formatos tecnicamente diferentes, em termos de como eles são consumidos pela audiência o meme e o gif assumem papel semelhante. Ambos têm tido uma elevada utilização em redes sociais e o seu emprego deve ser considerado em casos mais informais e quando a informação detalhada é irrelevante.

Fotos / Imagens

As imagens têm sido um formato de comunicação e de produção de conteúdo bastante utilizado, bem como seu consumo tem sido avalizado em redes como o Instagram.

Produzir fotos suficientemente boas, não apenas em termos de qualidade da imagem, mas também pelo que elas comunicam, requer cuidados. Mesmo com a disponibilidade de boas fotos por meio de qualquer smartphone, sempre que possível é aconselhável recorrer a um profissional da área.

Se bem exploradas, podem substituir longos textos e até mesmo vídeos, em alguns casos. Imagine uma sequência de fotos em quantidade e qualidade suficiente, em que o nosso açougueiro demonstra como fazer um bife a rolê. Pode ser até mais esclarecedor e atraente que um tutorial (receita) convencional.

Newsletter

Apesar de ser outro formato de texto, constitui um meio distinto de comunicar o nosso público.

Seu uso deve ser feito com ponderação e moderação, objetivando sempre estimular a participação e o engajamento, atraindo a audiência para o conteúdo que de fato é relevante para ela. Isso se consegue através interpretação adequada de métricas que vão determinar que tipo de conteúdo e formato deve ser divulgado.

Conclusão

A produção de conteúdo para Internet é algo que requer mais do que simplesmente conhecimento a respeito dos assuntos abordados. Produzir um conteúdo que além de bom, seja atraente e alcance os desejos de consumo da sua audiência, requer a escolha e uso dos formatos mais apropriados para comunicar com qualidade e alcance.