O que é Newsletter? Por que eu devo ter uma?

É de se supor que ninguém que pesquise sobre o que é uma newsletter, no Google ou no Bing e tenha desembarcado aqui, seja um grande especialista em Internet. Na verdade, é bem provável que você esteja dando os primeiros passos no sentido de marcar presença neste universo cheio de possibilidades que a Internet representa. Se é esse o seu caso, preparamos um material que contém tudo o que você precisa saber para começar e ao final de tudo, poder responder “por que eu devo ter uma?”.

O que é newsletter?

Antes de mais nada, é importante destacar que ao contrário de muitos outros artigos que você encontra por aí, você não vai ler nada sobre leads, pipeline ou funil, Marketing de Atração, ou outros termos que inundam conteúdos similares, mas que mais confundem do que esclarecem a quem quer apenas começar. Não que não sejam importantes, mas antes de você conquistar sua primeira medalha olímpica nos 100 metros rasos, você antes precisa aprender a nadar! Cada coisa no seu tempo, certo?

A newsletter, ou simplesmente carta ou boletim de notícias, em uma tradução direta para o português, nada mais é do que um e-mail – que também é uma carta eletrônica – que tem como objetivo fornecer notícias. O principal que você precisa saber, já está aqui, ou seja, você vai usar e-mail como meio para enviar notícias. Simples não é mesmo?

Você pode até não ter criado e enviado nenhuma newsletter, mas se tem uma conta de e-mail que utiliza com alguma frequência em cadastros, é improvável que não tenha recebido algumas. Toda mensagem de e-mail de empresas, que contém chamadas ou breve notícias com links que o levam a uma página em que a notícia completa é exibida, é uma newsletter.

Sim, é de fato mais simples do que você poderia supor ou que muita gente não deixa transparecer, quando usam abordagens extremamente complexas e povoadas de terminologias que não significam absolutamente nada para quem está apenas começando.

É tão simples, que já era praticado pelos primeiros sites de conteúdo ou portais de notícias. É dos recursos mais antigos e uma das formas mais populares de comunicação com um público, objetivando ser lembrado. O mesmo princípio que intuitivamente está presente na mente dos mais simples comerciantes de rua – o cliente precisa lembrar de mim, quando precisar de algo que eu tenho!

Quando você institui uma política de comunicação eficiente com seu público, que tem o newsletter como um dos elementos do processo comunicativo, em algum momento ele terá você como referência toda vez que os assuntos ou ideias chaves que você trabalha, vierem à tona.

Atualmente, em que tudo o que se faz na Internet tem sido sistematizado e/ou colocado em teorias, estudos e vem recebendo abordagens profissionais, há um refinamento no trabalho associado às newsltetters, mas que continua conceitualmente simples e ao alcance de qualquer empresa ou pessoa que queira construir uma atuação efetiva junto aos seus clientes em potencial e sua audiência / público.

Por que eu preciso de uma newsletter?

Não espere ser convencido de que você precisa criar uma newsletter, porque quem lhe disser que precisa, pode não estar sendo 100% transparente com você. Na verdade, você tem que saber se a newsletter é uma ferramenta que vai atender o que você almeja e se o seu plano de presença digital comporta uma. Portanto, nossa proposta com este artigo, não é vender-lhe a ideia da newsletter a qualquer custo!

Há pessoas e mesmo empresas, cujas atuações na Internet são bastante modestas, seja porque sua conformação de negócios não exige algo maior, seja porque faltam-lhe condições e recursos para ampliar o trabalho que têm. Para estes uma newsletter é desnecessária e até mesmo inviável em termos práticos.

A newsletter, é o tipo de ação que necessariamente está associada àqueles que têm uma atuação razoavelmente intensa, tanto no plano de negócios convencional, quando no plano virtual, afinal deve haver uma periodicidade mínima e uma quantidade mínima de conteúdo novo e que representam as notícias que se pretende divulgar pela newsletter. Lembra da definição? Boletim de notícias!

Ou seja, seu negócio precisa produzir um volume de notícias e informações relacionadas ao que você faz, ou pelo menos, que estejam relacionadas ao segmento em que você atua, ou ainda assuntos relevantes ao seu nicho e ao seu público, que justifique que você as envie de tempos em tempos.

Você não vai enviar informações aleatoriamente, que podem ser até interessantes, mas que não têm qualquer relação com o que você faz, a não ser que você seja um jornalista ou tenha um site de notícias.

Portanto, a primeira condição fundamental para que faça sentido você criar e manter uma newsletter, é ter condições de produzir conteúdo relevante ligado direta ou indiretamente ao que você faz.

Pode-se dizer que a newsletter, é na sua forma mais básica – uma dentre um conjunto extenso de ações – uma maneira de realizar Marketing de Relacionamento e Marketing de Conteúdo, na medida em que você consegue levar a sua audiência, informações importantes do mercado em que você atua, tendências, novidades, produtos e serviços que você está promovendo ou lançando ou ainda reformulando e todo tipo de informações que podem ter utilidade para ele, estreitando assim seu vínculo com seus clientes constituídos e os que ainda não são, mas que têm potencial para sê-lo.

Ao cumprir todas estas funções, é difícil conseguir distinguir nitidamente quando seu papel está servindo ao conteúdo ou ao relacionamento. Nesta condição, pode-se dizer sem chances de errar, que atende a ambos.

Na verdade, toda vez que o conteúdo que você produz serve ao seu público e ele vê valor, utilidade e importância em diferentes níveis, a imagem da sua empresa e de seus produtos e serviços, melhoram, como melhora seu relacionamento com ele.

Por isso, mesmo que você ainda não seja um especialista em Internet, mas já é um profundo conhecedor do seu negócio, já deve estar clara a importância que tem construir relacionamento baseado em valor e utilidade

Como eu faço uma newslleter?

Criar e manter uma newsletter, também não é difícil, tendo em mente que as condições que apresentamos até aqui, estão cumpridas, sendo uma das mais importantes, é você ser capaz de produzir o conteúdo que irá alimentar a newsletter.

A segunda condição primordial, é contar com uma ferramenta de e-mail Marketing, que é o meio pelo qual as notícias chegarão até seu público. A terceira, é dispor de uma ferramenta de cadastro, pela qual aqueles que têm interesse fornecerão nome e o endereço de e-mail onde receberão as newsletters.

Outro ponto fundamental e que de forma nenhuma pode ser negligenciado, é ter uma política ou termos de uso, que envolvem desde o cadastro e como os dados das pessoas serão utilizados, bem como é a política de opção (opt-in) e desistência (opt-out) da newsletter, entre outras questões relacionadas. É aconselhável utilizar o código de autorregulamentação para prática de e-mail Marketing (CAPEM) como parâmetro para elaboração dessa política.

Naturalmente que é indicado contar com auxílio de alguém com alguma experiência, principalmente porque alguns aspectos exigem algum cuidado para que o retorno seja condizente com o potencial, bem como não se tenha o efeito inverso, quando a newsletter não for bem elaborada. Não é raro newsletters mal formatadas funcionando mais como motivos de chateação, do que de conversão

Portanto, uma newsletter deve basear-se nos seguintes princípios:

  • A objetividade das informações contidas na newsletter é fundamental. Um dos pontos responsáveis pelo seu sucesso, é que as pessoas rapidamente podem identificar as notícias que são relevantes e/ou de seu interesse;

  • Da mesma forma que o item anterior, é importante que haja clareza do conteúdo para identificar do que se trata. As pessoas não gostam de perder tempo com coisas que elas não compreendem rapidamente;

  • Use palavras-chave e ideias-chave. Cada palavra usada, deve refletir as ideias principais por trás de cada assunto que é abordado;

  • Nem curta demais, nem extensa demais, tanto em termos de quantidade de assuntos, como na extensão de conteúdo relacionado a cada um;

  • Lembre-se que a newsletter não contém a íntegra do artigo, mas uma chamada para ele, contendo apenas o que é abordado em cada assunto e havendo interesse, o link que leva, por exemplo, ao blog onde está o artigo completo;

  • Os assuntos não necessariamente são relacionados a coisas novas, mas a conteúdo novo que você esteja produzindo. Se por exemplo, você fala do universo automotivo, um artigo que trata de como o cinto de segurança e o airbag reduzem os índices de acidantes fatais, não é algo inédito, mas que pode ser tratado pelo seu blog pela primeira vez;

  • Estabeleça uma periodicidade para envio, que pode ser semanal ou menor ou maior, não importa, mas que deve ser sempre a mesma e que também tem relação com o tempo que você consegue produzir uma quantidade de conteúdo apropriado ao envio da newsletter;

  • Cuide da estética e do layout. Uma apresentação simples, mas agradável, ajudam na legibilidade da informação, poupando tempo de quem lê;

  • Tenha ferramentas para medir o retorno e quais assuntos mais geram interesse, ou seja, que mais recebem cliques, de forma que se possa refinar a escolha do conteúdo que será produzido e divulgado;

  • Não faça SPAM de forma alguma, independente de qualquer justificativa. Isso pode influenciar negativamente o seu trabalho. Ninguém gosta de receber SPAM!

Conclusão

A newsletter é dos recursos mais antigos da Internet e constitui uma ferramenta para divulgação de notícias por e-mail, que uma vez que seja devidamente elaborada, representa um importante meio de estreitar relacionamento com seu público, bem como a promoção de conteúdo resultante do trabalho de Marketing de Conteúdo.

Comentários ({{totalComentarios}})