Aprenda como fazer e-mail marketing

Se você chegou aqui buscando responder a pergunta, que é o título deste artigo, ou seja, como fazer e-mail Marketing, é de se supor que você não saiba muito sobre o assunto. Talvez quase nada ou muito, mas quer ir além e ter melhores resultados. Que ótimo, porque a partir daqui você terá a oportunidade de fazer o que é certo e realizar campanhas de e-mail Marketing eficazes e que agreguem valor à sua marca, produto, empresa.

O que é e-mail Marketing?

Uma boa escolha para começarmos pelo caminho correto, é esclarecer o que é e-mail Marketing. Certamente muitos podem torcer o nariz e pensar: “Isso eu já sei o que é! O que eu quero, é saber como faço e-mail Marketing!”

A nossa experiência dando suporte aos nossos clientes, tem mostrado ao longo de quase duas décadas, que muitas pessoas têm uma visão inadequada do que é e-mail Marketing. Mesmo que não digam literalmente, suas ações têm evidenciado equívocos importantes.

O mais comum é acharem que todo e-mail enviado com o objetivo de captar clientes ou vender, é e-mail Marketing. De fato este é o objetivo prioritário das ações que envolvem e-mail Marketing, mas a forma como é feito, é tão importante quanto a finalidade.

Esta é mais uma das situações nas quais não vale dizer que os fins justificam os meios. Há cuidados que devem ser adotados e a realização de ações envolvendo e-mail Marketing, devem ser calcadas em ética e profissionalismo, para que os resultados e desdobramentos sejam adequados e consistentes.

De modo bastante objetivo, e-mail Marketing é o uso do e-mail para realizar ações de Marketing.

Como se sabe, o Marketing é extremamente abrangente e atualmente desdobra-se em uma série de subáreas – se é que podemos chamar assim – que tem no Marketing de Conteúdo, um dos principais alicerces do trabalho de atração de prospects ou clientes em potencial, particularmente quando o assunto é Internet.

Mas não para por aí. A newsletter – que é uma forma de realizar e-mail Marketing – é em essência uma ação de Marketing de Conteúdo, mas é também de Marketing de Relacionamento. Ou seja, há momentos em que o trabalho é uma resultante híbrida de áreas de interesse independentes, mas sinérgicas, que podem ser confundidas na forma, mas que produzem resultados distintos e identificáveis.

Mas além da newsletter, se você convida seus clientes a participar de uma pesquisa de satisfação por e-mail, é e-mail Marketing. Se divulga uma promoção por e-mail, é e-mail Marketing. Se anuncia o lançamento de um novo produto e suas características, vantagens e benefícios por e-mail, é e-mail Marketing.

Ou seja, se você for suficientemente criativo e seu interesse é, sobretudo, ampliar o relacionamento com seus cientes e aqueles que têm potencial para sê-lo em algum momento, fundamentando isso em conteúdo sólido, amplo, diversificado e atraente, utilizando para tanto políticas claras e éticas de como usar o e-mail para alcançar sua audiência, você estará fazendo e-mail Marketing de modo eficaz.

Agora que você já tem uma noção razoável do que é e-mail Marketing, vamos tratar do que NÃO fazer em e-mail Marketing

O que não fazer em e-mail Marketing

Como já mencionamos, não é tudo que é feito usando o e-mail, objetivando atrair clientes, que é e-mail Marketing. Há muita coisa que é feita sob tal pretexto, mas que contraria os princípios de um trabalho pautado em profissionalismo e ética e sendo assim, não se convenciona tratar como e-mail Marketing.

Em linhas gerais, é um bom ponto de partida balizar a política de e-mail Marketing, no chamado Código de autorregulamentação para prática de e-mail Marketing, ou simplesmente CAPEM, que consiste de 10 passos que visam regular as ações de e-mail Marketing. O código foi elaborado por diversas entidades, como por exemplo, a ABEMD e a ABRANET, entre outras.

O não atendimento ao que é estabelecido no CAPEM, de modo razoavelmente consensual, é tido por prática de SPAM, o que ao invés de trazer retorno, traz prejuízo à imagem da empresa.

Portanto, vamos resumidamente listar o que não deve acompanhar um trabalho profissional e ético de e-mail Marketing:

  • Não utilize listas compradas. Isso é SPAM! Os nomes e endereços de e-mail utilizados devem ser seus e captados a partir de ações promovidas por sua empresa, como por exemplo, por meio de cadastro no site da empresa;

  • Não menospreze ou subestime o cliente e sua inteligência. Não use “truques” ou formas que não sejam éticas para conseguir cadastros;

  • Não falte com respeito ao seu cliente e suas vontades. Se ele não quer mais receber seus e-mails, interrompa o envio imediatamente. Insistir no envio, só irá acarretar descontentamento adicional. Mais que isso, forneça meios simples dele poder optar por não receber mais o e-mail Marketing (opt-out);

  • Não omita nada ao seu cliente. Seja claro, conciso e direto em relação a todas as informações pessoais do cliente e como as utilizará. Isso inclusive é um dos pontos previstos na Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) que recentemente foi aprovada;

  • Não seja redundante e vazio. Não envie informações repetitivas ou que não agreguem valor, sob risco de chateá-lo por excesso ou por falta de conteúdo. Enviar e-mail Marketing apenas por enviar, não cumpre papel algum;

Como fazer e o que fazer?

E finalmente chegamos ao ponto que lhe trouxe até aqui, que é o conjunto de ações que você deve realizar para realizar boas campanhas de e-mail Marketing, construídas sobre uma base de respeito e profissionalismo.

  • Estabeleça periodicidade adequada. Excesso ou escassez de envios são igualmente inapropriados, seja porque pode irritar quem recebe inúmeros e-mails, congestionando sua caixa de entrada, seja porque é tão pouco que ele se esquece de você. Equilíbrio baseado em bom senso e utilidade no conteúdo distribuído, é fundamental;

  • O conteúdo deve ser relevante e deve agregar valor aos envios. Mas cuidado, o cliente deve enxergar valor e não você e para isso, é importante utilizar ferramentas de envio que lhe deem dados completos de cada campanha e assim permitem identificar que tipo de conteúdo gera mais engajamento e interesse em sua audiência;

  • Cuidado na escolha das ferramentas de envio. Preço é importante, mas ninguém faz milagres. Desconfie de planos exageradamente baratos, os quais muitas vezes significam infraestrutura inadequada, insuficiente ou uso de métodos de envio questionáveis ou pouco eficazes;

  • Outra preocupação importante em relação às ferramentas, refere-se a permissividade dos envios. Muitas empresas permitem qualquer coisa, desde que se pague. Isso é particularmente preocupante, principalmente se os valores cobrados forem excessivamente baratos, pois corre-se o risco de utilizar os mesmos meios que empresas que praticam SPAM e sendo assim, sua marca, seu domínio, podem por associação, ficarem com reputação negativa;

  • Respeite o direito de ir e vir do seu cliente. Forneça meio-claros e informações completas sobre sua adesão ao recebimento de e-mail Marketing, ou seja, sua opção de receber (Opt-in). Pela mesma razão, facilite sua opção de não receber mais e-mail Marketing (Opt-out);

  • Tenha uma política clara e bem definida sobre o uso dos dados dos clientes, onde devem ser tratados aspectos como sigilo e privacidade de tais dados, bem como faça o cliente saber que existe e conhecer a política;

  • Segmente tanto quanto possível. Não é todo conteúdo que sempre atenderá às expectativas, desejos e necessidades de todos. Não há nada mais constrangedor para a empresa e aborrecedor para o cliente, do que receber um conteúdo que não serve ou atende seus anseios e necessidades, como por exemplo, homens recebendo informações de uma campanha de vestuário feminino, em datas que não sejam dia das mães ou dia dos namorados;

  • Esteja atento aos sinais que o cliente lhe dá como feedback e as informações colhidas de cada campanha, analisando corretamente as estatísticas, para realizar ajustes nas campanhas e no conteúdo que você cria. Lembre-se que você não deve apenas gerar conteúdo indiscriminadamente, mas deve também relacionar-se com seu público;

  • Estabeleça objetivos para cada campanha. Onde quer chegar, quem deseja atingir e os porquês. Tenha ferramentas e meios para medir tudo e assim saber se os objetivos almejados foram atingidos e melhor ainda, identificar erros e acertos em cada ação, para que o próximo envio seja melhor que último;

  • Enviar e-mail Marketing, apenas por enviar, ou porque todo mundo o faz e você não pode ficar de fora, é inútil e sem propósito. É na melhor das hipóteses, apenas gasto. Tenha bem definido o que pretende com a ação globalmente, tal como posicionamento de marca, vendas, relacionamento, conhecimento, tudo isso junto, ou nada disso.

Conclusão

Fazer e-mail Marketing, não é apenas efetuar envios de e-mails com o objetivo de captar clientes ou vender, não importando os meios usados para tanto. E-mail Marketing eficaz, profissional e ético, envolve uma série de ações justificadas, planejadas e com objetivos precisos.

Comentários ({{totalComentarios}})