Quando, como e por que refazer meu site?

Você olha para o seu site e vê que ele é antigo e ultrapassado. Compara com outros sites e até das empresas concorrentes e percebe que está desatualizado, os recursos são insuficientes e o design mais parece uma amostra de um museu da Internet. Mas o que fazer? Como refazer o meu site?

Quando esse momento chega – e saiba que um dia isso vai acontecer – muita gente tem as mesmas dúvidas e dificuldades. Para tentar ajudar nessa dura, mas inevitável tarefa, que preparamos esse artigo.

Quando refazer um site?

A primeira questão, é identificar quando é realmente necessário refazer o site da sua empresa. Só a questão estética, as vezes não é suficiente, se o conteúdo, proposta e funcionalidades, atendem o que se espera de um site.

Mas muitas vezes, não é só a aparência e há algumas situações que são indicativos claros que não há outra alternativa, senão criar um site novo, muitas vezes a partir do zero, exatamente como foi com o primeiro.

O mais comum, é a situação inicial do artigo, onde o site atual já tem muitos anos e quando foi elaborado, muitas das tecnologias atuais, ainda não estavam disponíveis ou popularizadas. Às vezes, há problemas evidentes e alguns parecem insolúveis.

Não é raro encontrar as seguintes situações em muitos sites, principalmente em um site institucional:

  • Ausência de mecanismos de atendimento, como chat, helpdesk, WhatsApp, Skype, formulários de contato, etc. Há uma quantidade incrível de sites nos quais a página de contato, exibe apenas um número telefônico e um endereço de e-mail do tipo: contato@dominiodaempresa.com.br;

  • Ainda na página de contato, apenas o endereço – quando há – , sem um mapa, como o Google Maps, tão usado para tornar mais fácil aos clientes, fornecedores e parceiros, chegarem à empresa, quando não conheçam a região ou quando nunca tenham feito uma visita;

  • Também não é difícil encontrar sites que contém páginas com erros de visualização ou no layout, por terem sido desenvolvidos para versões antigas de navegadores ou mesmo alguns que praticamente nem são mais usados, como é o caso do Internet Explorer;

  • Pela mesma razão de terem sido desenvolvidos há muito tempo, muitos sites tem dimensões reduzidas em relação às resoluções de vídeos predominantes atualmente e além disso, não são responsivos, para ajustarem-se aos mais diferentes tipos de tela e muito menos contam com versões mobile, tão necessárias em tempos que grande parte dos acessos são feitos a partir de smartphones;

  • Não contam com uma área administrativa, na qual é possível editar conteúdo, incluir e remover outros, tendo-se que recorrer a edição direta no código-fonte e/ou programação usada no desenvolvimento. Nestes casos, é comum que somente um web designer ou programador é capaz de realizar as alterações que forem necessárias;

  • Embora seja um fator menos decisivo, a parte estética do site costuma revelar a idade do site e que pode denotar no mínimo descaso aos visitantes, justamente em tempos em que a presença digital é tão importante;

  • Dados de contato desatualizados, bem como produtos que saíram de linha e outros novos que não constam, por falta de manutenção e/ou um sistema que permita que qualquer pessoa sem conhecimento técnico possa realizar as correções, também depõe contra a imagem da empresa e, sobretudo, acarreta a perda de faturamento;

  • Páginas de erros e recursos que não funcionam adequadamente, completam a lista das situações que podem transformar um site feito há muito tempo, em um verdadeiro pesadelo e levar mais clientes embora, do que trazer novos.

Se você reconheceu o seu site em alguns ou muitos dos itens acima, é fundamental considerar a possibilidade de criar um novo site imediatamente.

As exigências do mundo digital, não poupam sites e as empresas por trás de sites nestas condições. As vezes, não é exagero dizer que chega ser melhor não ter site algum, do que um site muito antigo e que por isso, tenha tantos problemas.

Como refazer um site?

Justamente por fazer tempo que o site foi criado, não é incomum ouvirmos dos responsáveis pelo site, que já nem sabem quem o fez ou como localizá-lo. Sites antigos eram criados a partir de outros conceitos e tecnologias e a não ser que se pense em um projeto muito maior, a abordagem hoje é outra.

Antigamente era normal que um web designer fizesse dois ou três esboços de possíveis layouts a partir das necessidades e desejos do cliente e este escolhesse o que mais lhe agradasse, com eventuais ajustes ou alterações. Uma vez que a estrutura e layout estivessem prontos, inseria-se o conteúdo.

Hoje graças aos CMSs, é possível inverter o processo de criação propriamente dito e se iniciar pelo conteúdo, adicionar as funcionalidades e recursos, por meio de plugins e complementos e por fim, alterar o aspecto instalando um tema. E o melhor de tudo, que na maior parte dos casos, não é necessário um especialista no assunto.

Um CMS, consiste de um sistema baseado em alguma linguagem de programação executada no servidor web, responsável por organizar as informações contidas em um banco de dados, em uma saída visualmente organizada para o visitante. Da mesma forma que os plugins e temas, também são trechos de programação que adicionam funcionalidades extras e modificam o aspecto e organização visual dos dados, respectivamente.

Há CMSs destinados a criar e administrar os mais diversos tipos de site e que vão desde os tradicionais sites institucionais, aos populares blogs, as lojas virtuais, fóruns e até mesmo redes sociais. São portanto, como os programas que instalamos em nossos computadores, cada qual com uma finalidade de armazenamento, manipulação e exibição da informação.

A partir da escolha e adoção de um CMS, é possível a um dono de site, criá-lo a partir do zero e mantê-lo, fazendo as alterações necessárias e até mesmo mudando sua aparência por completo em apenas 2 minutos, pela alteração do seu tema e sem que se conheça nada de programação ou desenvolvimento de sites, bastando a mesma dedicação que se tem no aprendizado de um programa como o Microsoft Word ou PowerPoint.

A popularização dos CMSs como base de desenvolvimento de sites é tamanha, que hoje praticamente toda empresa de hospedagem fornece um ambiente em que eles estão prontos para utilização ou realizando a instalação de modo rápido e fácil usando para isso um instalador automático de CMS.

O destaque em meio as facilidades e a gama de opções disponíveis, é o WordPress. Nascido como plataforma para criar e gerenciar um blog, hoje ele constitui o meio mais usado no mundo para criar sites de todos os tipos, graças aos inúmeros plugins existentes e que alteram o resultado final produzido.

Criar um site usando o WordPress, é quase tão fácil como criar uma apresentação no PowerPoint, guardadas as devidas proporções. E mesmo que se escolha um profissional de criação web ou até uma agência que faça o desenvolvimento usando a plataforma, a grande vantagem é que hoje qualquer pessoa é capaz de gerenciar um site nele baseado, evitando assim que se crie dependência de uma pessoa ou empresa para tanto.

E se já não houvesse motivos suficientemente bons para optar pelo WordPress como base para criação do seu novo site, já há no mercado de hospedagem de sites, planos de hospedagem WordPress, que basicamente consistem de planos destinados a oferecer um ambiente planejado e constituído a hospedar sites que utilizem a plataforma, oferecendo desempenho otimizado e suporte diferenciado, com evidentes resultados e facilidades.

Por que refazer o site?

Já deve estar razoavelmente claro para muitos casos, os porquês de se abandonar o velho site e partir para o desenvolvimento de um inteiramente novo. No entanto, se você ainda não está convencido, seguem algumas razões importantes que podem justificar a mudança:

Imagem da empresa

Atualmente é comum que o primeiro contato de um cliente em potencial se dê pelo acesso ao site. Qual a imagem e a primeira impressão você vai passar com um site desatualizado e ultrapassado?;

Oportunidades

Um site com problemas e mesmo que não os tenha, mas limitado em termos de funcionalidades e restritivo quanto às informações que fornece, limita de forma decisiva as oportunidades de captação de novos clientes e até mesmo de manutenção dos atuais e consequentemente de gerar negócios;

Alcance e visibilidade

Um bom site, bem pensado e organizado, possibilita fazer um trabalho de SEO, que na pior das hipóteses, vai proporcionar um alcance e visibilidades maiores;

Comunicação com seu público

Sites são o principal meio de gerar comunicação com clientes, parceiros e fornecedores, seja pelos mecanismos de comunicação direta que oferecem, seja pela informação que podem conter;

Recursos

Há muito tempo os sites deixaram de ser apenas um panfleto eletrônico da empresa na Internet ou uma grande vitrine virtual. As tecnologias existentes associadas à Internet, têm em um site o ponto de partida para ampliar o alcance da empresa e potencializar os resultados de determinadas áreas, como por exemplo, o e-mail Marketing alavancando os resultados da área comercial;

Faturamento

Melhorar a imagem da empresa, dar mais alcance e visibilidade à marca, comunicar-se mais e melhor com sua rede de relacionamentos, gerar mais oportunidades e dispor de mais recursos para si, seus parceiros e clientes, representam chances de produzir mais faturamento.

Portanto, criar um novo site, é mais do que simplesmente aposentar um velho em troca de um novo. É almejar uma série de possibilidades que a Internet pode colocar ao dispor de todos que fazem um trabalho consciente de presença digital.

Conclusão

A Internet exige dinamismo e atualização constante daqueles que dela participam. Um site antigo vai contra esses princípios fundamentais e assim, é fundamental que toda organização esteja atenta e saiba reconhecer quando é o momento de mudar e ao não fazê-lo, estar sob risco de perder espaço no mercado.

Comentários ({{totalComentarios}})