Novo Microsoft Edge – 5 razões para usar!

A guerra dos navegadores, é um capítulo a parte em meio às muitas histórias que povoam a Internet. Por muito tempo o produto da Microsoft – na época o Internet Explorer – reinou absoluto, até que há poucos anos foi destronado pelo Google, representado pelo Chrome.

O atual líder ainda está bem longe de perder seu posto, mas depois de muitas tentativas, parece que enfim alguém tem condições de ameaçá-lo – o Novo Edge!

O Novo Edge

Lançado oficialmente em janeiro de 2020, bastaram dois meses para recuperar o segundo lugar como browser mais usado em desktops, posição que antes era ocupada pelo também excelente Mozilla Firefox.

Conforme já havíamos antecipado, o Edge é um produto inteiramente novo, criado a partir do projeto Open Source Chromium, do qual o Google Chrome deriva, razão pela qual muitos o chamam de Edge Chromium.

A Microsoft chama-o apenas de o “novo Microsoft Edge”, conforme consta na página em que é possível efetuar o seu download para Windows 10.

Assim que termina a instalação, é aberto o novo Edge e você tem alguns passos para configurá-lo. Caso você tenha dúvidas, pode seguir com os padrões sugeridos pela Microsoft, já que pode alterar tudo posteriormente nas configurações do navegador.

Se você usa o Google Chrome como padrão, logo na primeira tela de configuração, o Edge lhe pergunta se deseja importar seus dados do Chrome (marcadores, endereços, cookies, extensões, senhas salvas, informações de pagamento, atalhos, cofigurações e guias abertas). Você manter a sugestão, seguir sem importar ou ainda selecionar quais dados importar, clicando em “Mais opções de importação”.

A etapa seguinte, refere-se a aparência do navegador quando é aberto. As opções diferenciam-se entre si por conter apenas acessos rápidos para os sites mais frequentemente acessados, dispostos em uma imagem de fundo (“Inspirador”), a mesma tela anterior, mas com notícias que são destaque no momento (“Informativo”) ou apenas os botões de acesso rápido aos sites mais acessados, em uma aparência mais sóbria e minimalista (“Em foco”).

Também na segunda etapa, pode-se manter o Bing como mecanismo de busca padrão do Novo Edge ao se digitar um endereço ou realizar uma busca diretamente no campo de URL do navegador.

Na terceira e última etapa de configuração, se você tem uma conta Microsoft (Outlook, Hotmail, Msn ou Live) – o que é provável – você é perguntado se deseja ativá-la ou seguir sem ativar. Ao optar por ativar, automaticamente seus dados de conta e perfil Microsoft estarão acessíveis, o que significa que se quiser acessar seu e-mail, não precisará fornecer seu PIN ou senha.

Em linhas gerais e exceto por algumas características, muitas vezes navegar usando o novo browser da Microsoft, consiste de uma experiência muito mais agradável em relação ao seu antecessor, chegando mesmo a não se notar diferenças entre o Edge e seu maior concorrente.

Além das razões que listaremos a seguir, cabe ressaltar que contar com mais uma opção além dos bons Firefox, Opera e Safari, é mais do que ter opções para todos os gostos. Dispor de um concorrente de peso, força os demais a aprimorarem continuamente seus produtos, onde quem ganha, somos nós usuários.

5 razões para considerar o Novo Edge como seu próximo navegador

Nossa proposta não é convencer ninguém a abandonar seu navegador preferido, mas mostrar motivos para considerar alternativas que podem ser tão boas quanto quaisquer outras. Portanto, vamos ao que interessa!

Coleções

Esse recurso (coleções) pode ser muito interessante para aqueles que fazem frequentemente pesquisas na Internet em diferentes tipos de sites para realizar trabalhos, como coleta de informações, links, textos, imagens. Isso porque além de reunir no próprio navegador dados, links, títulos das páginas e imagens, é possível abrir todas as páginas, cada qual em uma guia, enviar tudo para o MS Word ou Excel, ou copiar para a área de transferência.

A Microsoft já havia antecipado esse recurso, mas somente a partir do lançamento e uso quotidiano que pode-se perceber o quão útil pode ser em algumas situações e para determinados profissionais.

Aparência

Este é um aspecto que é bastante subjetivo. Há quem diga que um dos trunfos do Google, é a aparência minimalista que ela emprega em seus produtos / serviços. Se isso é um atrativo para você, o Edge Chromium também pode assumir essa aparência, mas se por outro lado cores, imagens, formas lhe atraem, o novo navegador da Microsoft preenche a lacuna anterior do Internet Explorer e seu sucessor, o antigo Edge.

É possível personalizar o Edge desde sua instalação ou por meio de configurações posteriores e isso o Chrome também permite, é verdade. No entanto, para aqueles que justificavam isso como um mérito do navegador do Google, já não podem fazê-lo.

Desempenho

Eis um fator importante até mesmo para aqueles que contam com hardware de última geração. Quando se tem muitos aplicativos e muitas abas abertas, é que se nota o quanto um simples navegador é capaz de influenciar na visualização de sites e no desempenho geral da máquina.

Com ambos os navegadores abertos e sem nenhum site sendo exibido, pode-se ver no gerenciador de tarefas do Windows, o consumo de memória RAM de ambos. Nessa comparação, bastante simples e acessível a qualquer usuário, é possível ver porque o aplicativo da empresa de Mountain View ficou célebre como devorador de memória. Em determinadas situações, o uso de RAM por parte do Edge, é significativamente menor.

Em avaliações mais técnicas e baseadas em benchmarks diversos que levam em consideração o tempo de renderização das páginas, por exemplo, o Edge vence a maioria, mesmo que em alguns casos, com pequena margem, mas que para usuários com sistemas mais antigos e menos providos de recursos, pode fazer a diferença.

Modo leitura

Essa é uma característica nativa do novo browser e que não requer instalação de nenhuma extensão ou addon. O modo de leitura avançada é um excelente recurso para quem acessa com frequência sites com muito conteúdo de texto.

O Edge baseado no Chromium identifica quando o conteúdo tem boa quantidade de texto e habilita um ícone na barra de endereço, que permite mudar a visualização removendo praticamente tudo que não representa conteúdo relevante, incluindo eventual publicidade, como banners, imagens de fundo, menus e outros elementos que não sejam textuais. Também pode ser ativado via tecla F9.

Além disso, o texto é realinhado e uma fonte padrão em tamanhos e formatos definidos na configuração, são aplicados. Devido à possibilidade de uma extensa personalização das fontes usadas, do espaçamento e das cores, acaba sendo também uma vantagem apreciável com foco na acessibilidade.

Essa funcionalidade é extremamente útil e torna a leitura de conteúdos longos, muito mais agradável e fácil. Mesmo que não seja o caso, também funciona muito bem com aqueles sites que insistem em exibir janelas, popups e outros elementos por cima do texto, ao simples mover do mouse ou ao mínimo esboço de sair do site.

Ler em voz alta

Mais um recurso nativo e, portanto, que evita que se tenha que procurar e instalar uma extensão, tornando o navegador ainda mais pesado. Assim como o modo de leitura avançado e principalmente combinado com ele, já que o conteúdo irrelevante é removido, é outro excelente atrativo voltado à acessibilidade.

Mas não é apenas aqueles que têm baixa acuidade visual que podem se beneficiar dessa característica. Todos que precisam ou querem consumir grandes quantidades de texto, podem ver neste recurso, um importante aliado.

É possível escolher diferentes vozes e velocidades de leitura, embora as mais rápidas tornam muitas palavras incompreensíveis, chegando mesmo a ser desagradável.

Conclusão

O Edge Chromium – ou simplesmente Novo Edge – chegou em 2020 com a difícil missão de disputar o posto de melhor navegador de Internet. Aqui você encontra 5 razões que podem justificar mudar o seu navegador preferido.

Comentários ({{totalComentarios}})