Tutoriais

Tutoriais HostMídia

Como criar um sitemap XML e enviar para o Google

Introdução

Finalmente o site institucional da sua empresa ficou pronto e agora seu negócio está pronto para dar as caras no mundo digital, certo? Quase! De fato o site, o blog, ou o que quer que tenha sido feito, é o primeiro passo, mas não basta.

Aparecer na Internet é importante, mas requer mais do que simplesmente criar um tipo qualquer de site e publicá-lo. Exige-se um conjunto de medidas contínuas e permanentes, que envolvem o Marketing Digital, Marketing de Conteúdo, SEO, entre outras ações.

E quando o assunto é SEO, não há como falar apropriadamente sobre, se não tratarmos de sitemap.

Para quem sabe algo de inglês, já é possível ter uma ideia do que se trata, pois a tradução literal é mapa do site. E como todo mapa, indica a localização de algo, que neste caso é a localização de cada página do site da sua empresa.

Basicamente consiste de um arquivo de texto que contém informações sobre as páginas existentes em um site, sendo aceitável por parte do Google alguns formatos, como TXT, XML, RSS, mRSS e Atom 1.0.

O sitemap mais simples que se pode criar, consiste de uma relação de cada URL de cada página do site, sendo uma por linha e salvo no formato .txt. O mais comum e apropriado, é a criação e submissão de sitemaps em formato XML, que é o nosso propósito aqui.

A importância do sitemap é maior no caso de novos sites, os quais ainda não têm um histórico de visitas e, sobretudo, de links na Internet que façam referência a ele. Ou seja, ainda é desconhecido e nem mesmo o Google ou outras ferramentas de busca “sabem” de sua existência.

É através da sua criação e posterior informação ao Google de sua existência, que existe a possibilidade do conteúdo que foi criado e integra o site, começar a aparecer quando uma pesquisa é feita.

Embora seja um aspecto razoavelmente técnico, fazer o básico – e que já funciona – não requer experiência e conhecimentos profundos. Para esse tutorial, recorreremos a ferramentas gratuitas disponíveis na Internet e que dispensam a instalação de qualquer software no computador do administrador ou mesmo no próprio site.

Ressaltamos que esse tutorial não é destinado a sites baseados no WordPress, o qual dispõe de vários plugins com essa finalidade. Também é importante salientar que dependendo da plataforma ou tecnologia empregada na criação do site, pode ser que a criação do sitemap não identifique todas as páginas existentes.

Pré-requisitos para gerar um sitemap XML e envio para o Google

Os poucos – mas fundamentais – pré-requisitos para criar e enviar um sitemap em formato XML, para o Google, são:

  • Conectividade com a Internet;

  • Ter uma conta no Google, para acesso ao Google Search Console;

  • Dados de acesso FTP à sua conta de hospedagem;

  • Acesso administrativo ao conteúdo do site para envio do arquivo sitemap.xml.

Passos para gerar um sitemap XML e envio para o Google

Os passos que listamos a seguir envolvem a escolha de uma entre quatro ferramentas gratuitas que indicamos e que são o XML-Sitemaps, o Online XML Sitemap Generator, o Xml Sitemap Generator e o Gerador de Sitemap XML Online Gratis, no entanto, há grande variedade de ferramentas gratuitas e pagas, para uso online ou instalando no seu dispositivo e você pode usar a que julgar mais adequada.

Entre as ferramentas gratuitas, costumam haver limitações, como por exemplo, o número de URLs listadas e que na maior parte dos casos contempla até 500 páginas, o que deve atender muitos casos. Para sites muito grandes e consequentemente com mais de 500 páginas, será necessário optar por soluções pagas, mas que em contrapartida, oferecem recursos ampliados, os quais podem ser desejáveis em alguns cenários.

  • Escolha uma das quatro – ou as quatro – ferramentas que indicamos ou outra de sua preferência. O procedimento varia ligeiramente de uma para a outra, sendo que em todas deve-se informar a URL principal do site (https://www.seudominio.com.br) e em algumas pode-se escolher alguns parâmetros, como data da última modificação (resposta do servidor), ou prioridade (1);

    OBS: Ao utilizar todas as ferramentas indicadas, você pode comparar o arquivo XML gerado e utilizar o que preferir;
  • Ao final do procedimento, aparecerá uma mensagem ou ficará habilitado o botão de download do arquivo XML. O tempo necessário para conclusão variará entre alguns segundos e vários minutos, a depender da quantidade de páginas que seu site tem;

  • Uma vez escolhido o sitemap.xml que deseja usar, conecte-se via Filezilla ao FTP à sua conta e envie o arquivo para a public_html ou para a pasta em que seu site está localizado e que deve ser a mesma que usou para informar na ferramenta de sitemap XML. Se por exemplo, o site está em https://www.seudominio.com.br/blog/, o arquivo deve ser enviado para a pasta blog;

  • Acesse o Search Console, que vai exigir que esteja logado com sua conta do Google. No menu que é exibido à esquerda – supondo que seu domínio já tenha sido incluído em “Adicionar propriedade” – clique em “Sitemaps” e à direita, “Adicionar um novo sitemap”. Por padrão, quando você adiciona um domínio, ao clicar em “Sitemaps” no campo de endereço de novo sitemap já aparece o domínio, bastando confirmar o restante do endereço do XML e clicar em “Enviar”;

  • Quando o robô do Google terminar a avaliação do sitemap.xml, aparecerá na mesma página em baixo, em “Sitemaps enviados”, o nome do arquivo, o tipo, data do envio, data da última leitura, status e a quantidade de URLs.

Pronto! A primeira ação necessária para que as páginas do seu site sejam indexadas, foi adotada.

É importante dizer que isso não é garantia de que alguma das páginas apareça em alguma posição específica dos resultados, apenas que elas poderão aparecer.

Conclusão

Gerar um sitemap em formato XML e enviar para o Google Search Console, é um procedimento fundamental para que o robô do Google possa verificar periodicamente seu conteúdo e incluir o que for relevante nos resultados das pesquisas.