Landing Page – o que é e como criar uma altamente eficaz?

Você vai receber alguém pela primeira vez na sua casa e por essa razão se cerca de cuidados, desde a básica mas necessária arrumação e limpeza da sala, passando pelo convite para sentar-se, o oferecimento de café, água, uma outra bebida, um tira-gosto, um aperitivo e um jantar, enfim tudo objetivando que o visitante sinta-se à vontade, confortável, bem atendido e tenha uma boa impressão a seu respeito, certo?

Não, você não veio ao lugar errado! Nossa conversa é sobre landing pages e sua importância para o Marketing Digital!

A analogia em questão visa fazer você enxergar que de certa forma é isso que uma landing page deve provocar no visitante, ou seja, ter motivos para ficar e ao sair estar satisfeito com sua visita.

Conseguir esse e o principal objetivo de uma landing page, que é a conversão, passa por entender alguns aspectos importantes e por isso mãos à obra!

O que é uma landing page?

Landing page ou página de aterrissagem – em tradução direta – é a página especialmente criada com o objetivo de obter uma elevada taxa de conversão, como parte de uma ação de Marketing Digital.

Se você é novo nisso e por essa razão está aqui, essa breve definição pode não lhe esclarecer adequadamente.

De forma mais ampla, uma landing page pode representar duas situações distintas.

A primeira ocorre quando algum visitante chega ao seu site por conta de um clique em um resultado de uma busca orgânica ou mesmo de um link contido em outro site – para citar apenas duas diferentes possibilidades – a página em que ele “desembarcou” ou “aterrizou” é uma landing page.

Também é chamada de página de entrada, por ser a primeira página que ele acessou do site. Não confundir com home page, mesmo que muitas vezes ela tenha esse papel!

Mas essa não é a situação que abordaremos aqui.

A segunda situação, é a página que foi especialmente criada para por exemplo, ser acessada por quem recebeu um e-mail Marketing sobre um aguardado lançamento da empresa ou uma oferta especial.

Essa página, chamada de landing page ou página de aterrissagem – agora por razões mais óbvias – é concebida tendo como principal finalidade converter.

A conversão aqui pode sim ser uma venda, mas pode ser o preenchimento de um cadastro, a realização de uma pesquisa, ou outra ação que faça parte da qualificação do lead ou alguma etapa da jornada de compra do visitante, com vistas a tornar-se cliente.

Mas para cumprir esse papel, uma landing page deve ter características próprias e que a diferenciam de outras páginas do site.

Como deve ser uma landing page eficaz?

Uma landing page em geral deve ser objetiva, sem todos os elementos, links, menus e outros recursos que as outras páginas do site geralmente têm, de forma que o visitante encontre facilmente o que o trouxe até ela, com informações diretas e precisas que esclarecem as dúvidas mais comuns e que o incentivem a agir (Call To Action ou CTA).

Mas se você visitar 10 landing pages de 10 empresas diferentes, cada qual com um propósito, é provável que verá coisas bem diferentes em cada uma.

O que significa que não há uma “receita de bolo” com medidas exatas e que uma vez cumprida, resulte em boas landing pages para todos os propósitos, da mesma forma que você pode visitar a casa de 10 amigos, ir a 10 lojas, 10 restaurantes e ser bem atendido em todas as situações e ter tido experiências totalmente diferentes em cada visita.

No entanto, há aspectos comuns na maior parte dos casos, como no parágrafo inicial dessa resposta.

Sendo assim, vamos mais a fundo nos pontos principais.

Conhecimento da Persona

Parece óbvio, mas a prática mostra que nem sempre é assim.

Não é raro sermos bombardeados com campanhas de Marketing Digital cujo produto / serviço não tem qualquer interesse de nossa parte, simplesmente porque quem está “administrando” a campanha simplesmente não conhece quem é a ou as personas as quais isso pode interessar.

Pode ser que apenas nem tenha pensado nisso e está apenas atirando para todos os lados, o que é igualmente ruim.

Direcionar as ações com base no conhecimento detalhado da persona, ajuda a definir quais e como serão as ações de Marketing Digital, com vistas a atingir as pessoas certas, o que por si só já ajuda a ter taxas de conversão melhores.

Nem mesmo a mais fantástica landing page de um manual completo do churrasco vai ter qualquer conversão para um público vegano!

Objetividade e clareza na informação

Esse ponto também depende do anterior. Conhecer muito bem as personas as quais você mira, ajuda a saber que dúvidas esse público geralmente tem e assim você é capaz de fornecer as soluções para seus problemas.

Além disso, landing pages não devem exigir que o visitante dispense demasiado tempo para identificar o que busca.

É preciso que a informação seja objetiva, sem rodeios, nem muito extensa. Ele não está lá para ler um livro, mesmo que seu objetivo seja baixar um manual completo de algo, um e-book ou algum longo conteúdo. Isso – ler muito – ele fará depois e quando julgar conveniente e tiver o conteúdo em mãos.

Ser objetivo, ser claro e fornecer a informação necessária, passa por:

  • Usar títulos e subtítulos bem explicativos sobre cada porção de texto da página, para que o visitante certifique-se por que está ali e vá direto a aquilo que lhe interessa;

  • Informações essenciais, como uma lista de características e seus respectivos benefícios, podem aparecer como tópicos;

  • Se necessário ou se contribuir para um melhor entendimento por parte do visitante, ilustre com imagens, infográficos, vídeos, tabelas;

  • A “oferta” ou aquilo pelo que o visitante veio atrás, deve ter destaque em relação ao restante do conteúdo.

A informação também deve servir para que ele tome uma decisão e isso conduz a outro ponto.

Call To Action (CTA)

Não tenha receio de “convidar” o visitante a agir. São os chamados “Calls to Action”, ou “CTAs”, ou ainda “Chamados Para Ação”, em uma tradução direta para o português.

Normalmente caracterizam-se desde um botão em destaque, ou mesmo um simples texto – também com algum destaque – e que convidam a pessoa a realizar a ação.

É usual utilizar expressões bem convidativas, por vezes usando um verbo no imperativo como: “baixe seu e-book agora mesmo!”, ou “preencha o formulário e comece a usar agora”.

Identidade visual

Uma landing page não precisa ter e não tem a mesma aparência das demais páginas do site. Porém, é preciso que tenha a identidade visual da marca, da empresa.

Você pode criar uma página mais chamativa, com elementos que ajudam a conduzir o visitante, mas ele deve sempre lembrar-se de onde está. Por isso, procure usar a mesma paleta de cores e fontes que ele já conhece e associa à marca e ao restante das suas ações de Marketing, seja ele o tradicional ou o digital.

Portanto, não crie um carnaval de cores e de elementos visuais, pensando que com isso você está destacando os elementos que julga importante e tampouco, produza um texto corrido nos mesmos moldes do que você tem no site.

É preciso equilíbrio. A mesma fonte do site não implica no mesmo tamanho e cor usado nos textos do blog, mas também não lhe permite usar roxo e verde quando suas cores são preto e branco.

Formulário

Em muitos casos, é o que se objetiva com uma landing page.

Colher informação sobre o visitante que lhe privilegiou com um clique, com seu tempo e sua atenção e que por essa razão demonstrou interesse no que você tem a oferecer, é que acaba sendo a meta de muitos.

Por isso, é importante saber e ter discernimento sobre que informações colher e que mais tarde terão valor nas próximas campanhas de Marketing Digital e Vendas.

Apesar do valor da informação, cuidado! Quanto mais dados você solicitar, maior a possibilidade dele abandonar seu formulário e não lhe fornecer nenhuma.

Tome os seguintes cuidados:

  • Informações menos relevantes, mas desejáveis, devem ser em campos opcionais;

  • De modo complementar ao item anterior, pondere sobre quais são as informações obrigatórias;

  • Use ferramentas de programação que permita-lhe criar formulários apenas com informações que você ainda não tem, evitando que ele redigite informação previamente fornecida;

  • Evite solicitar informações muito pessoais, mesmo em campos opcionais;

  • Quando possível, use a conexão com redes sociais. Essa é uma alternativa interessante ao formulário, porque dispensa o seu preenchimento, uma vez que os dados do visitante são obtidos da rede social;

  • Ao usar a conexão com redes sociais e ainda necessitar algum dado que não é possível obter dela, certifique-se de sua relevância e do que solicitar.

Seja honesto

Entregue o que você prometeu! Ou visto de outra forma, entregue aquilo que você fez o visitante pensar que encontraria.

Se a oferta não é tão boa como parecia, ou se você “apenas” está fazendo ele cumprir 10 etapas para ter acesso ao que ele buscava, ele pode sentir-se enganado e com isso seu conceito, sua imagem e da sua marca estarão sob ameaça.

Obter um cadastro completo de um visitante a qualquer custo, não deve ser seu objetivo.

A LGPD está aí para garantir que os dados pessoais devem ser preservados e por ela e por uma conduta minimamente ética, ele pode anonimizar informações que você colheu, ele pode solicitar um opt-out – ser excluído do recebimento de e-mail Marketing – e se você insistir em lhe reenviar uma simples newsletter, estará realizando SPAM.

Isso para não falar do prejuízo de conceito de marca na mente do visitante!

Por isso qualquer captação de dados do visitante, deve ser condicionada ao fornecimento do acesso à política de privacidade do site, o qual precisa estar adequado à LGPD.

Agradeça

Da mesma forma que quando o seu amigo despede-se da sua primeira visita e você o agradece e o convida a voltar outras vezes, aqui não é diferente!

A página de agradecimento tem mais do que um único papel. Não deve ser apenas cortesia.

Ao receber uma mensagem, ele tem a convicção de que sua ação foi concluída e que o formulário foi corretamente preenchido.

Mas também é o caminho para um outro passo, como o download de um conteúdo, o recebimento de um e-mail com um código, um link ou alguma outra informação relevante.

Uma terceira e possível finalidade, é abrir portas para novos contatos, novos materiais relacionados, oferta de outros produtos / serviços, um convite ao blog da empresa ou o que mais você tiver em mente.

Conclusão

Landing Pages ou páginas de aterrissagem – na tradução direta – são páginas criadas com o objetivo de conversão e para isso, devem seguir determinados conceitos para que esse propósito seja cumprido de modo eficiente.

Comentários ({{totalComentarios}})