O que é PageRank e por que ele é importante?

Ele já foi motivo de obsessão de profissionais de SEO, donos e administradores de sites – o Google PageRank, ou apenas PageRank.

Não que não seja mais. Ainda há quem preocupe-se com ele, mas muita coisa mudou ao longo dos anos e quem ainda está dando os primeiros passos nesse complexo e intrincado universo de SEO, já não houve falar tanto a seu respeito.

Se você é desses para os quais o PageRank é envolto em mistério e muitas perguntas sem respostas, esse artigo é essencial.

O que é PageRank?

Tratado por muito como uma métrica, é bem mais do que isso. Envolve um conceito e o algoritmo que faz uso do conceito e foi criado pelos fundadores do Google, Larry Page e Sergey Bryn, quando ainda estudavam na Universidade de Stanford, no longínquo ano de 1998 e que resumidamente atribui notas entre 0 e 10, para classificar todos os sites que fazem parte do banco de dados do motor de busca.

Quanto mais importante é um site, segundo os critérios de classificação, mais próximo de 10 é sua nota. Inversamente, os menos importantes aproximam-se de 0.

Mas a coisa não é tão simples assim. As notas não são números inteiros e pelo que se diz, faz uso de várias casas decimais.

Outro fator curioso, é que as notas não apresentam uma diferença linear, já que são resultados logarítmicos e, portanto, não se pode dizer que um site cujo PageRank é 4, é duas vezes mais importante que um cuja nota é 2.

Há razoável consenso que um site com nota em torno de 5, é muito bem cotado.

Inicialmente o conceito previa que um dos fatores para seu cálculo, decorria da quantidade de links apontando de outros sites para o site alvo e a relevância ou autoridade destes sites em que constavam tais links e que por sua vez, tinham seus próprios PageRanks calculados pelos mesmos critérios.

Por esse raciocínio, sites com notas mais elevadas contendo link para algum site, transferem maior autoridade do que sites com menores PageRanks.

Por fim, ao contrário do que muito gente erroneamente supõe, PageRank não é ranking da página, mas deve-se ao sobrenome do seu idealizador – Larry Page – e por essa razão, o correto seria algo como “sistema de ranking do Page”, se fosse traduzido.

Como funciona o PageRank?

Pode-se deduzir como funciona, com base na patente cuja detentora é a Universidade de Stanford, mas que o Google tem direitos de uso exclusivos.

No entanto, pelo que se comenta – afinal o Google não confirma oficialmente – há outros fatores que são considerados atualmente na determinação do PageRank de cada site:

  • Quantidade de links que apontam para o site;

  • Qualidade dos sites em que constam os links;

  • Contexto dos sites em que estão os links.

Em termos de analogia, imagine que você queira comprar um carro e receba uma boa recomendação de um colega de trabalho. Isso de certa forma pode ter alguma influência, mas é apenas um outro motorista como você e não um expert no assunto.

Mas e se você vê uma avaliação completa sobre o mesmo carro em uma das mais respeitadas revistas automotivas, a qual aponta o modelo como a melhor opção na sua categoria? Isso tem um peso maior, correto? E se todas as principais publicações especializadas fizerem o mesmo? A influência é ainda maior, não é?

Ou seja, esses são os 3 fatores sendo utilizados:

  • Quantidade – quanto mais revistas fizerem boas avaliações, melhor será sua impressão do veículo;

  • Qualidade – o quão boas são essas revistas vai influenciar ainda mais seu conceito sobre o carro;

  • Contexto – são mídias especializadas no assunto carro e por essa razão, são dignas de crédito.

PageRank e inbound links

Nesse ponto, os mais astutos devem ter deduzido porque um dos importantes objetivos do trabalho de SEO, é conseguir inbound links, ou também chamados links externos de entrada, ou ainda os links que outros sites apontam para nosso site.

Quando um site inclui um link para outro, ele está transferindo parte de sua autoridade ao site destino do link. Chama-se a isso, de link juice ou “suco de link”, que traduzido não tem muito sentido, mas é como é conhecido.

Porém se esse mesmo site contém diferentes links para sites dentro do mesmo contexto, essa autoridade é dividida em tantos sites quantos links existirem.

Voltando à nossa analogia sobre a avaliação de um modelo de carro, se a mesma revista faz um comparativo entre 3 carros e os coloca em condições de igualdade, isso já não o influencia como no caso em que ela apontava o modelo do exemplo, como sendo o melhor da categoria.

Em outras palavras, a influência foi dividida.

Como saber o PageRank de um site?

Antigamente era simples. O próprio Google oferecia um complemento na forma da “Barra de Ferramentas” para diferentes navegadores, na qual a cada site acessado, o respectivo PageRank era exibido.

Desde 2016 isso já não é mais possível, pois o recurso já não faz parte da barra.

Esse dado ou métrica, é usado apenas internamente como parte do vasto e complexo sistema do buscador, constando apenas como mais um entre vários fatores de ranqueamento para determinar o quão bom – ou não – é um site.

Se você tem curiosidade de saber, é possível ter uma ideia aproximada do PageRank, usando-se ferramentas que baseiam-se em conceitos similares, como é o caso do Moz Page Authority e Moz Domain Authority.

A primeira avalia em uma escala entre 1 e 100, cuja pontuação reflete as chances de uma página específica ranquear bem nas SERPs (Search Engine Results Page ou Página de Resultados dos Motores de Busca), sendo que quanto mais próximo de 100, melhor.

Já a segunda, é o mesmo tipo de pontuação, mas em vez de referir-se a uma página, considera o site como um todo.

Deve-se salientar que embora muita gente considere semelhante e confiável, na prática não há como ter certeza o quão próximo do PageRank “oficial” os resultados são.

Em termos práticos, os resultados refletem razoavelmente bem o que vemos nas buscas, mas ainda assim é a ferramenta da Moz e não o legítimo PageRank.

Além disso, não custa lembrar que o direito de uso exclusivo da patente, é do Google, ou em outras palavras se a ferramenta da Moz usa exatamente o mesmo algoritmo, ele estaria quebrando uma concessão e deveria pagar royalties pelo seu uso.

Qual a importância do PageRank?

No passado, muitos sites divulgavam seus pages ranks, como um dos diferenciais para anunciantes.

Os tempos são outros, ele ainda tem sua importância, mas cada vez mais o Google tem usado outros critérios para determinação do posicionamento nas páginas de resultados de buscas orgânicas.

Isso faz-se sentir na prática, quando ainda era possível ter acesso ao PageRank e para diferentes buscas, via-se sites com notas inferiores posicionando-se à frente de outros superiores.

Estima-se que existam algo em torno de 200 fatores de ranqueamento, sendo que alguns deles têm seu peso e sua influência alterada ao longo do tempo, como por exemplo, a experiência na página que agora consta como um dos principais fatores.

O PageRank hoje é apenas um item dessa lista imensa e que tem sua relevância, mas que envolve muitos quesitos que são tão ou mais importantes.

Há ainda que se levar em consideração outros aspectos, como a atualização conhecida como BERT e que entre significativas mudanças, deve dar ainda mais destaque ao conteúdo e a forma como ele é apresentado, a fim de entregar ao internauta cada vez mais conteúdo qualificado.

Portanto, as abordagens que valorizam aspectos como Marketing de Conteúdo, SEO On Page, SEO Off Page, SEM e o todo o arsenal de ferramentas disponíveis no Marketing Digital e cuja aplicação e mensuração de resultados, diferentemente do PageRank, são possíveis, são muito mais importantes e efetivas e devem ser o foco das atenções de donos e administradores de sites.

Conclusão

O PageRank é uma métrica que já foi tida como essencial por administradores de sites e profissionais de SEO, pois ele de certa forma dá a importância dos sites em relação ao universo da Internet. Mas hoje ele é apenas um entre muitos fatores que contribuem para determinar a autoridade e relevância de um site.

Comentários ({{totalComentarios}})