O que é CloudLinux e como funciona no ambiente de hospedagem compartilhado?

Quem conhece alguma coisa de Linux, sabe que existem uma grande quantidade de distribuições e pelo nome deve imaginar que CloudLinux seja mais um das muitas distribuições Linux existentes. Se esta é sua ideia a respeito, não está errado, mas você sabe quando optar pelo CloudLinux? Quais as vantagens de usar o CloudLinux? Quais as diferenças entre o CloudLinux e outras distribuições? Para saber o que é importante sobre esse assunto, que preparamos este artigo para você.

Por que usar o CloudLinux?

O CloudLinux é uma distribuição Linux indicada para ser usada em Servidores Web, tendo surgido justamente para suprir necessidades específicas de um ambiente de hospedagem, da mesma forma que toda distribuição que é criada, objetivando privilegiar determinadas características e requisitos.

Diferentemente de um desktop ou notebook ou mesmo de um servidor empresarial, um servidor de hospedagem compartilhada tem necessidades muito especiais e funciona sob demandas muito intensas. Geralmente um servidor típico de hospedagem pode ter centenas de contas de hospedagem, cada qual com vários serviços (e-mail, site, banco de dados, FTP, etc) e milhares de acessos sendo feitos simultaneamente, por diversos dispositivos (notebooks, tablets, smartphones, servidores, etc), com os quais se trocam montanhas de dados.

Esta condição traz várias implicações, como a já mencionada demanda elevada, aspectos críticos de gerenciamento de recursos e serviços, armazenamento de grandes quantidades de informação, muito tráfego, segurança, etc. Ou seja, o gerenciamento de um servidor de hospedagem compartilhada, sempre foi um desafio enorme, consumindo tempo e muito conhecimento para manutenção do ambiente, do sistema operacional e dos serviços nele instalados.

Ter uma conta de hospedagem em um servidor compartilhado, é análogo a morar em um prédio de apartamentos que dispõe de elevadores, garagem, quadra, piscina, salão de festas e por vezes outros recursos que são compartilhados por todos os condôminos. O que se busca, é que todos os moradores possam usufruir destes recursos de maneira razoavelmente igual. Se por acaso um morador abusa do uso de qualquer destes itens, os demais acabam sendo afetados. Quem vive ou já habitou um prédio, sabe a dificuldade de usar os elevadores em um dia de mudança!

Com um servidor compartilhado, não é muito diferente. Se um usuário tem um site com um volume de acessos muito maior do que a média, envia e recebe quantidades de e-mail muito elevadas, ou possui um site extremamente sofisticado e que consome muita memória e processamento para ser exibido, este usuário pode acarretar um problema de desempenho no servidor ao consumir recursos acima da média, prejudicando os demais usuários.

Assim, é para atender este tipo de situação, bem como outras comuns, que surgiu o CloudLinux. Entre outras coisas, por meio de ferramentas que ele fornece, é possível determinar limites de uso de alguns recursos como memória, processamento, processos, etc. Desta forma um usuário isoladamente nunca será capaz de esgotar a capacidade do servidor, afetando o ambiente de hospedagem.

Quais as diferenças entre o CloudLinux e outras distribuições?

Cada distribuição Linux é desenvolvida pensando-se em determinados cenários. Assim, há distribuições voltadas ao usuário doméstico, há aquelas destinadas a usuários avançados e há as que foram pensadas para os leigos. Se você tem um hardware antigo e precisa de um sistema leve e pouco exigente, vai encontrar uma distribuição que lhe atenda, assim como existem outras distribuições para servidores de hospedagem e até para smartphones, sendo que o próprio Android foi desenvolvido com base em uma.

Portanto, as distribuições Linux têm muitas diferenças entre si e listar todas é algo bastante complicado, mas é possível destacar as diferenças mais marcantes que o CloudLinux possui em relação a maioria:

  • Isolamento de usuários - este é um aspecto que privilegia a segurança, na medida em que cada usuário criado sob o sistema operacional, não consegue nem mesmo saber que há além do espaço determinado para sua conta, como configurações do servidor e quais são os demais usuários que compartilham o sistema e desta forma, problemas de uma conta não afetam as demais, por este conceito de “confinamento”;

  • Linha de comando - por ser um sistema operacional orientado à servidores, sua utilização e gerenciamento é prioritariamente feita por linha de comando, ao contrário de distribuições destinadas ao usuário final, em que o uso é predominantemente por interface gráfica. Há acesso à determinados recursos por meio de ambiente gráfico, porém o todo dos recursos, é via linha de comando;

  • Suporte ao Hardware - devido ao tipo de ambiente ao qual é destinado, o suporte de hardware compatível, é orientado aos servidores. Não se pensa em instalá-lo em um notebook, por exemplo;

  • Red Hat X Debian - o CloudLinux foi desenvolvido à partir do CentOs, que por sua vez é uma distribuição baseada no Red Hat, utilizando o gerenciador de pacotes RPM e assim, possui determinados aspectos que o diferenciam das distribuições baseadas no Debian, como por exemplo, a questão dos repositórios para instalação dos vários recursos que cada distribuição oferece;

  • Licenciamento - diferente de muitas distribuições Linux gratuitas, o licenciamento do CloudLinux é pago, porém o valor é bastante econômico, principalmente se levadas em consideração as vantagens que ele oferece em relação a outras distribuições com a própria CentOS da qual deriva;

Quais as vantagens de usar o CloudLinux?

Ao explicar o porquê do seu surgimento, as mais evidentes vantagens na adoção do CloudLinux são óbvias: estabilidade e controle. Mas a lista de vantagens vai bem além de apenas isso:

  • cPanel - embora seja compatível com alguns outros painéis de controle, o CloudLinux tem integração completa com cPanel, que é o painel de controle para gerenciamento das contas de hospedagem mais antigo e mais usado no mundo. Os recursos do lado do usuário final, são 100% disponíveis e configuráveis no cPanel assim como todos os demais recursos da conta;

  • CentOS - é derivado do CentOS e por isso tem uma administração muito semelhante, bem como a migração de um servidor baseado no CentOS para o CloudLinux, é um processo razoavelmente rápido e simples, tanto quanto é também inteiramente compatível do primeiro para o segundo;

  • WHM - da mesma forma que o usuário final dispõe das ferramentas via cPanel, o administrador do servidor tem os recursos e configurações disponíveis via WHM, embora configurações e recursos mais específicos só estejam disponíveis via linha de comando;

  • CageFS - consiste de um sistema de arquivos virtualizado por usuário, que gera um encapsulamento de cada um e por esta razão nenhum dos usuários do sistema conseguem enxergar os demais, bem como não têm acesso aos conteúdos das demais contas sob o sistema. Além disso, os usuários não podem ver os arquivos de configuração do servidor, nem tampouco os arquivos de configuração do Apache. Na verdade ele só tem acesso à área determinada como sua;

  • Versões do PHP - possibilita que cada usuário defina diferentes versões do PHP para executar seus sites, bem como ajustar configurações do PHP e habilitar / desabilitar mais de 50 extensões diferentes;

  • Ruby Selector - permite aos usuários dispor de diferentes versões da linguagem de programação Ruby, bem como instalar módulos que sejam necessários;

  • Python Selector - da mesma forma que o Seletor de Ruby, dá a possibilidade aos usuários finais de escolher entre diferentes versões do Python e instalar módulos;

  • Inodes - a fim de evitar que um usuário possa criar uma estrutura de diretórios e arquivos demasiadamente grande, que em determinadas medidas pode comprometer o armazenamento e mesmo o desempenho, há a possibilidade de se estabelecer limites de inodes por usuários;

  • Controle – através do LVE (Lightweight Virtual Environment) Manager - que isola os processos de cada usuário e limita a quantidade de recursos de cada conta - o administrador do servidor consegue determinar quanto de processamento, memória, processos do Apache e processos globais (e-mail, banco de dados, FTP, etc) e até mesmo leitura e escrita em disco (I/O) que cada usuário / conta pode alocar e desta forma conter abusos ou mesmo problemas de segurança;

  • Uptime e desempenho – devido a todas as vantagens acima, o servidor opera com maior estabilidade, muito menos suscetível a picos de demanda e segurança e consequentemente com maior disponibilidade (uptime) para todos os usuários;

Conclusão

O CloudLinux é uma distribuição Linux baseada no CentOS, que por sua vez é oriundo do Red Hat, destinado a operar como sistema operacional de servidores de hospedagem compartilhada e que oferece recursos de administração do servidor e para o usuário final, com o objetivo de melhorar a segurança, o desempenho e o uso adequado e equilibrado dos recursos por parte de todos os usuários.