5 certificações de segurança para sites que você precisa conhecer

Segurança para sites é um assunto extremamente atual. Diversos casos sobre vazamentos de dados de pessoas e empresas de diferentes páginas são noticiados. Em um único arquivo, por exemplo, foram encontrados mais de 1 bilhão de senhas da Netflix e do LinkedIn disponíveis na DeepWeb (área da Internet que não é indexado pelos mecanismos padrões de buscas).

É por isso que oferecer segurança ao cliente é de fundamental importância para todo os sites que, de alguma forma, exigem dados do usuário (nome, CPF, dados bancários, senhas, entre outros).

Pensando nisso, preparamos este post para explicar um pouco mais sobre as principais certificações que oferecem segurança para sites. Confira abaixo:

Entenda o que são certificações de segurança

As certificações de segurança se baseiam em sistemas e protocolos que criptografam os dados inseridos pelo usuário em seu site. Em outras palavras, esse protocolo modifica com base em regras de criptografia os dados trocados entre um usuário e um site que ele acessa, de modo que fiquem ininteligíveis para alguém que, por sua vez, consiga o acesso à tais informações.

É por isso que essas certificações trazem mais segurança para sites. Elas garantem ao cliente que não haverá riscos de viabilizar uma utilização diferente daquela proposta inicialmente (fazer um cadastro ou uma compra, por exemplo).

É por isso que sites com certificação digital passam muito mais credibilidade para quem o acessa, permitindo que o usuário se sinta seguro ao passar informações necessárias para efetuar uma compra ou fazer qualquer tipo de transação na página em questão.

Além de proteger os dados do usuário, essas certificações digitais são valorizadas pelos algoritmos dos buscadores, como o Google, que privilegia sites com certificação nos seus resultados de busca (falaremos um pouco mais sobre isso abaixo).

Quais são os tipos de certificados de segurança?

Existem diferentes tipos de certificações disponíveis. Algumas são focadas para profissionais e outras para sites comuns, por exemplo.

Compatível com quase todos os navegadores atualmente utilizados, o SSL é o principal meio de se atribuir uma camada de segurança ao acesso de um site. Certificados baseados em SSL, podem ser classificados de acordo com sua abrangência e requisitos associados ao processo de certificação, sendo que os comuns, são: DV SSL, OV SSL, EV SSL, Wildcard e Multi-Domain Certificate:

1. Validação de Domínio / Domain Validated (DV SSL)

Essa é uma opção econômica para quem quer garantir a segurança do seu site. Ela exibe o cadeado de segurança na barra de endereços e garante que o usuário identifique que a página em que está navegando é, de fato, segura.

A validação de domínio é uma das maneiras mais rápidas de implantar o SSL em seu site. Em poucos minutos após a contratação do serviço, a ativação no site é feita e as informações protegidas e criptografadas.

2. Validação da Organização / Organization Validated (OV SSL)

Essa certificação envolve além do protocolo de criptografia e os aspectos visuais que possibilitam a identificação do certificado, que a empresa, de fato, exista. Isso é fundamental, por exemplo, para pequenas empresas que estão entrando no mercado digital, pois dá a certeza ao usuário de que aquele site corresponde a uma empresa real, com endereço validado por meio de bancos de dados públicos e confiáveis.

3. Validação Estendida / Extended Validation (EV SSL)

Além da exibição do cadeado de segurança, essa certificação não só criptografa, como também valida as informações essenciais da empresa, como CNPJ, razão social e endereço.

Outro ponto que merece destaque, é a exibição da razão social da empresa em uma barra verde ao lado da barra de endereços, tornando transparente ao usuário a identidade da empresa associada ao site em questão. Todas as demais características dos certificados anteriores, também estão presentes neste.

4. SSL Wildcard

Essa certificação é indicada para quem tem diferentes subdomínios, como no caso de uma loja virtual, que utilize por exemplo o subdomínio “loja.seudominio.com.br”, ou um blog, como “blog.seudominio.com.br”, ou ainda uma versão mobile do seu site, como em “m.dominio.com.br”, entre outros.

O Wildcard permite que todos os subdomínios sejam incluídos sem nenhum custo adicional, garantindo segurança na troca de informações entre os visitantes de cada subdominio e seus respectivos conteúdos.

5. Certificado de Multi-Domínios / Multi-Domain Certificate

A empresa que decide por essa opção recebe um certificado para até 100 domínios ou subdomínios diferentes. Isso diminui a burocracia em ter que contratar uma certificação para cada dominio.

É essencial para empresas que têm domínios “.com” e “.com.br” ou até empresas de grande porte ou holdings, cujas marcas abaixo dela, precisam ter um registro de domínio para cada marca.

Qual é a diferença entre SSL e TLS?

Em determinado momento, a TLS foi a sucessora da SSL, com pequenas alterações que forneciam mais segurança, como a criptografia de 256 bits e os 2048 bits para a  chave de criptografia.

No entanto, como a SSL já havia se popularizado entre os responsáveis por segurança de sites, houve a opção por manter a utilização do nome SSL com essa nova roupagem, utilizando as novas características da TLS para torná-la ainda mais segura.

Quais as vantagens das certificações que oferecem segurança para sites?

São diversas as vantagens para empresas que possuem uma certificação de segurança nos seus sites — e elas vão desde a segurança, propriamente dita, até questões de Marketing que auxiliam o seu negócio. Confira abaixo algumas delas:

  • Melhor posição nas buscas: as buscas orgânicas são diretamente afetadas pelas certificações digitais (ou pela falta delas!). Isso porque sites com certificados ganham pontos perante os algoritmos dos buscadores, aparecendo em posições melhores do que as páginas que não possuem certificação.

  • Credibilidade: são diversos os itens que mostram ao usuário a segurança dos sites de quem possui certificados digitais. Isso começa pelo “https” (ao invés de apenas “http”), passa pelo cadeado que indica a segurança da página e vai até a razão social escrita em verde ao lado da barra de endereços, nos casos do SSL EV.

  • Integração com operadoras de cartões: as operadoras de cartões — sejam eles de crédito, sejam de débito — costumam exigir que as páginas tenham certificação digital para permitirem que haja implantação dos seus meios de pagamento no site. Por outro lado, essa transação direta diminui as taxas que a empresa têm que pagar para utilizar o pagamento por meio de cartão.

  • Gestão da marca: tudo que envolve a experiência do usuário com a sua empresa influencia na contratação ou não do seu produto ou serviço. Por isso, garantir essa segurança para ele, do início ao fim, eleva a confiança do seu cliente e aumenta a conversão dos seus negócios.

Se você gostou do artigo, assine nossa newsletter e tenha ainda mais informações sobre a construção e sobre a segurança de sites. E pode ficar tranquilo que as suas informações estão seguras com a gente!