O que é coaching? Tudo o que você precisa saber a respeito!

Desde os anos 90 nos Estados unidos, e a partir de meados de 2000 no Brasil, um termo tem tomadolugar nas conversas relacionadas ao ambiente organizacional. Mas nos últimos anos, alguma polêmica e controvérsia também tem ganhado notoriedade quando se fala em coaching. Por essa razão vamos tratar do que é coaching, o que ele pode fazer por você, e quais os mitos e verdades sobre esse assunto.

O que é coaching?

Coaching é o exercício da atividade profissional, segundo a qual trabalha-se o desenvolvimento de competências e habilidades no sentido de obter melhores resultados nos âmbitos profissional e pessoal.

Abandonando as definições formais, encontradas em muitos sites que tratam do assunto, o coaching é o processo de trabalhar aquilo em que você não é tão bom e aprimorar as suas qualidades, para que você se torne uma pessoa melhor e um profissional mais produtivo.

Quando você faz a busca procurando responder esta pergunta, você encontra muita coisa semelhante a primeira definição. Embora para alguns casos esta definição possa esclarecer razoavelmente bem o que é coaching, ela não dá uma ideia precisa de como a coisa de fato acontece, ou que resultados específicos podem ser alcançados.

É por essa e outras razões que vamos além. Entender de forma precisa e ampla o que é coaching, vai ajudar você e todos que buscam respostas e resultados por seu intermédio, a atingir os objetivos que de fato ele pode proporcionar.

O coaching nasceu baseado no conceito existente há décadas nos Estados Unidos, do "coach", que é a figura do treinador de equipes esportivas. Mais do que um simples treinador, o coach tem o papel de identificar todos os aspectos negativos que precisam ser trabalhados (corrigidos e melhorados) no atleta, assim como os positivos que podem ser explorados e ainda mais desenvolvidos, para produzir os máximos resultados possíveis nas competições nas quais ele participa.

Em determinado momento viu-se que este papel do coach poderia ser utilizado em outras esferas que não apenas a esportiva e dessa forma começou-se a aplicar a mesma conceituação de trabalho, primeiramente no desenvolvimento profissional.

Como invariavelmente é difícil - e por vezes impossível - dissociar o profissional do pessoal, a metodologia por trás do coaching, também começou a ser direcionada para trabalhar os aspectos profissionais que se desejam aprimorar, para melhor desempenho no ambiente corporativo.

Assim, coaching é processo e metodologia, bem definida, amparada em coisas que já conhecemos, como por exemplo, psicologia e administração, orientada a prover melhorias nas pessoas e consequentemente nos resultados que elas podem produzir em diversas esferas (pessoal, profissional, social, esportiva, etc).

Já o coach, é a pessoa que aplica o método!

Qual o papel do coaching?

Antes de entender exatamente qual o papel, ou o que o coaching pode fazer, é preciso entender um pouco da natureza humana, dos comportamentos, das motivações e das possibilidades de mudança associadas a condição humana.

Muito ou quase tudo do que somos, é resultado de variáveis como o ambiente em que nascemos, crescemos e vivemos. É fruto também dos princípios e valores que nos foram passados pelos nossos pais e pessoas que nos circundavam e que assimilamos. É consequência ainda daquilo que queremos, acreditamos e precisamos.

Essa constituição do indivíduo, é um processo complexo que envolve muitas variáveis e que vai consolidando-se durante toda a nossa vida, provocando mudanças e moldando aquilo que somos perante nós mesmos e os meios sociais nos quais vivemos.

Mas muitas vezes esse comportamento e esse modo de ser que talhamos com o passar do tempo, precisa ser mudado. Temos algumas fraquezas, ou determinadas dificuldades, ou simplesmente a ausência de capacidades que às vezes são necessárias para se fazer algo e isso precisa ser trabalhado, sem o que, muitas vezes os resultados do que fazemos podem estar comprometidos.

É exatamente esse o papel do coaching, ou seja, ajudar-nos em um primeiro momento a identificar todos estes fatores limitantes, e em um segundo momento determinar um planejamento e a colocação em prática de um conjunto de ações para mudar o que é necessário e o que é possível mudar.

Quais os tipos de coaching?

Embora seja comum atribuir-se nomenclaturas, deve-se entender que o coaching pode ser aplicado em diferentes esferas, com propósitos de maior ou menor alcance, mas sempre partindo do pressuposto da mudança e melhoria de competências individuais e coletivas:

  • Individualmente visando o desenvolvimento de um profissional ou pessoa, ou ambos;
  • Coletivamente, quando se almeja que grupos de pessoas produzam como equipe resultados melhores;
  • Também individualmente, porém quando o enfoque é orientado para um papel de liderança, ou seja, executivos e gestores;
  • Organizacional, quando toda a estrutura de uma empresa é envolvida.

Como é o trabalho do coach?

Assim como o corre na atividade que deu origem a esta metodologia, a figura do coach, que mais do que um treinador, é uma pessoa com conhecimentos, experiência, sensibilidade, visão, entre outras competências e que será o vetor através do qual ocorreram as mudanças desejadas.

Inicialmente parte-se de uma etapa de diagnóstico da situação em que se encontra o coachee, que nada mais é do que o treinando ou o cliente ou ainda o alvo da mudança que se deseja promover.

A partir daí, o coach está apto a estabelecer conjuntamente com o treinando, a trajetória que será percorrida e o conjunto de ações que serão adotadas para perseguir os objetivos.

A etapa seguinte corresponde ao trabalho de mudança propriamente dito. É quando as sessões de coaching começam a ocorrer. Deve-se entender que parte do resultado virá exclusivamente da dedicação do treinando, da mesma forma que o coach na atividade esportiva, não é quem vai para a competição, mas aquele que é treinado / orientado.

Outro ponto que deve-se atentar, é a consolidação dos hábitos. Muito do que somos traduz-se em hábitos constituídos ao longo de uma vida inteira. Não se muda algo que você faz de uma determinada forma ao longo de 10, 20 ou 30 anos, de um dia para o outro. Nem mesmo é fácil fazê-lo.

Por fim, mas não menos importante, tenha em mente que apenas saber o que precisa ser trabalhado não basta. Um fumante geralmente conhece detalhadamente os males provocados pelo cigarro, mas isso não é suficiente para fazê-lo largar o vício.

Portanto, saiba que bons resultados são sim possíveis, mas vêm como resultado de esforço e tempo e de seguir com rigor as orientações recebidas do coach.

O que o coaching não pode fazer por você?

Este é a abordagem na qual reside boa parte das controvérsias que têm surgido relacionadas a essa atividade profissional.

É preciso compreender que contrariamente ao que ocorre em muitas das profissões que conhecemos, ainda não existe uma regulamentação e instâncias de controle para delimitar a atuação das pessoas que trabalham com coaching e assim muito do que se faz, é baseado exclusivamente em critérios individuais.

Da mesma forma que há bons e maus engenheiros, bons e maus médicos, boas e más pessoas, há bons e maus coaches.

Temos visto pessoas divulgando que são capazes de promover determinados tipos de mudanças através do coaching, mas que em alguns casos, beiram o absurdo. Entre toda a sorte de coisas, há a reprogramação de DNA, o coaching para bebês e até mesmo a cura de doenças através do coaching!

É importante ter bom senso e discernimento para identificar quando alguém se apresenta dizendo que é capaz de ajudá-lo a obter resultados extraordinários, fantasiosos, inalcançáveis por outros meios. O coaching bem conduzido, é uma ferramenta de mudança poderosa, mas ainda é incapaz de fazer milagres.

Isso nos leva a uma preocupação bastante pertinente.

Como identificar um bom profissional de coaching?

Da mesma forma que você faz quando contrata um prestador de serviços de qualquer área, é a resposta mais direta e objetiva possível.

Existem apenas alguns cursos de formação de coaching e exatamente como em qualquer área, há bons cursos e outros não tão bons assim. Mais do que isso, essa é uma atividade ainda nova, que carece ainda de ser organizada e formalizada em torno de associações, faculdades, órgãos de controle e supervisão, entre outras ações regulatórias e de organização da atividade.

Mas enquanto isso não acontece, é possível utilizar algumas dicas visando identificar quem de fato é capacitado a prestar um serviço de valor ou minimamente amparado em ética e profissionalismo:

  • Embora um curso especializado na formação de para exercer coaching ou atuar como coach, seja algo desejável, um certificado de formação na área, não é condição que atesta a qualidade do profissional. Há cursos de centenas de horas de carga horária e há cursos que teoricamente formam um coach em poucos dias. Um coach devidamente habilitado, é um profissional constituído por uma série de conhecimentos e práticas interdependentes acumuladas ao longo do tempo;
  • Como boa parte do trabalho do coach está relacionado a mudanças comportamentais e aspectos individuais, os profissionais com formação e experiência na área de psicologia, tendem a ser mais capacitados para produzir os resultados desejados. Todavia não é condição fundamental;
  • Decorrente do item anterior, a experiência é outro fator de suma importância. Jovens devem ter suas oportunidades, no entanto, não se pode imaginar que um jovem profissional na área tenha muita experiência para dar como contribuição no processo. Há valor no que se aprende em livros e na sala de aula, mas a prática e a vivência em muitos casos é fundamental;
  • Analogamente ao que se faz em muitas áreas, indicações são outra forma de chegar aos bons profissionais. Colha informações de quem já utilizou os serviços do coach;
  • Depoimentos, listas de clientes atendidos, participação em eventos, palestras, treinamentos, enfim o histórico profissional do coach, muitas vezes é um ponto sólido para avalizar sua atuação;
  • Duvide de propostas exageradas ou que prometem resultados questionáveis ou demasiadamente rápidos e de alcance muito extenso, ou ainda uma mudança tão drástica que você mesmo duvide;
  • Sobretudo, ninguém é capaz de prometer algo a você, que não seja capaz de cumprir a si próprio, ou em outras palavras, o coach deve ser em sua vida profissional e pessoal, um reflexo nítido do que ele lhe propõe.

Conclusão

O coaching é uma metodologia aplicada a pessoas, que tem como objetivo identificar e desenvolver habilidades e competências pessoais, de forma a produzir melhores resultados em âmbitos diversos, como o profissional e pessoal. Deve ser conduzido por profissionais comprometidos com resultados e formados por uma gama ampla de conhecimentos, consolidados na prática e em extensa vivência.