Programa de afiliados: É bom? É confiável? É justo?

É comum que toda pessoa que considere entrar em um programa de afiliados, faça algumas perguntas e tenha algumas dúvidas. O mais frequente, principalmente quando não se tem muito conhecimento do assunto ou nunca se trabalhou com isso, é se um programa de afiliados é bom, se é algo confiável para se trabalhar e se é justo em termos de retorno. Estamos admitindo que você já sabe o que é um programa de afiliados, mas caso ainda não saiba, pode mudar esta situação, clicando aqui.

Vamos começar pelo fim, ou seja, respondendo a última pergunta, pois ela envolve um paradigma e um dos principais dilemas de quem considera aderir a um programa de afiliados.

Programas de afiliados são justos?

Objetivamente, sim. Mas a questão não é tão simples assim, visto que existe um paradigma que rege muitas das relações e crenças das pessoas e que se baseia no modelo comercial tradicional, o qual existe desde a época do comércio baseado no escambo, quando as pessoas trocavam um bem que possuíam, por outro que necessitavam ou queriam.

Este modelo evoluiu com a criação do dinheiro e assim as pessoas começaram a trocar coisas, que podiam ser objetos, mão de obra, ou mesmo conhecimento, pelo dinheiro e que por sua vez, servia para adquirir outros objetos ou coisas, ou pagar pela mão de obra de alguém ou usufruir do conhecimento de um terceiro. É assim até hoje, exceto pelo fato de que o dinheiro hoje compra praticamente tudo que possa interessar a alguém, mas não vamos entrar neste mérito.

Um programa de afiliados, em essência não tem muita diferença, exceto por uma sutileza e que envolve a palavra parceria. Mais do que uma simples relação comercial, o resultado ou o sucesso obtido pelas duas partes envolvidas, depende de uma relação mais duradoura e baseada na confiança recíproca, onde as duas partes devem ganhar mutuamente, sem o que a parceria não é caracterizada como tal.

Isso pode parecer um tanto quanto filosófico, mas é factual. A diferença fica clara quando confrontamos uma situação real e comum, que é a publicidade convencional, versus a divulgação de um afiliado. No primeiro modelo, o suposto “parceiro A” faz a divulgação do produto / serviço do “parceiro B” e recebe um valor fixo, acordado determinado previamente por isso, independente de quantas vendas do produto / serviço de “B”, sejam feitas.

Se por acaso a publicidade feita por “A” for um fracasso absoluto, ou seja, resultar em zero vendas, “A” recebe o valor acordado. Por outro lado, se for um sucesso, “A” continuará recebendo o mesmo montante. Nos dois extremos desta situação hipotética, um dos parceiros sairá perdendo, o que evidencia que o paradigma usado pela maioria, não é justo.

Já no modelo de afiliados, os pagamentos são proporcionais às vendas que são convertidas e assim, a monetização é diretamente proporcional aos resultados produzidos pela divulgação. Boas divulgações, atingindo um público adequado, com bom alcance, gerarão receitas progressivas a ambos os lados e é justamente neste conceito que se ampara a justiça deste modelo e sua efetividade.

É óbvio que em ambos os modelos podem ocorrer exceções e particularidades de acordos estabelecidos entre os participantes, de modo a diminuir as disparidades, mas em linhas gerais o modelo de afiliados tende a ser o que mais se aproxima de uma real parceria, ou seja, em que ambas as partes ganham em iguais medidas.

Programa de afiliados é bom?

Depois de tudo o que já foi dito, você não esperaria que a resposta a esta pergunta, seja não. Mas não é apenas pelo que foi exposto que justifica-se a resposta. Ao avaliar o conceito por trás de um programa, fica evidente o quão benéfico pode ser para os parceiros envolvidos e que acaba remetendo ao real significado da palavra parceria.

Vamos supor que hoje você não faça nada e resolva aderir a um programa de afiliados. Após uma longa pesquisa, optou por divulgar meia dúzia de produtos / serviços, para a sua rede de contatos e todos aqueles que você está disposto a alcançar. Mas e se ao invés de divulgar estes produtos / serviços, você mesmo fosse o fornecedor destes produtos / serviços? O que você precisaria fazer para tornar isso possível? Consegue imaginar os desdobramentos?

Este é o primeiro e um dos principais diferenciais de quem opta por atuar como afiliado, ou seja, tem que investir apenas seu tempo, seu conhecimento e relacionamento. O produtor fornece o produto / serviço, toda a infraestrutura administrativa, produtiva, suporte e tudo o que envolve criar e manter e fornecer para o consumo, o bem ou serviço.

Assim, aderir a um programa de afiliados trás as seguintes vantagens ao afiliado:

  • Investimento – os valores investidos são os menores possíveis, já que em um primeiro momento, só se dedica tempo, o que é necessário em qualquer atividade profissional / empresarial;

  • Tempo de retorno – normalmente as marcas e produtos envolvidos já são consagrados no mercado e assim não é necessário aguardar para que o negócio se consolide;

  • Risco – baixíssimo risco, muito em parte pelos dois itens acima, como também por não exigir outros aspectos comuns aos negócios físicos tradicionais;

  • Flexibilidade – na maior parte dos casos, os produtos / serviços que se pode trabalhar, permitem ao afiliado atuar em regimes de trabalho alternativos em termos de horários e localização, próprio de nômades digitais e assim, não importa quando e onde você esteja, sempre poderá trabalhar e ganhar;

Programa de Afiliados é confiável?

Assim como a pergunta anterior, você não espera chegar até aqui e receber um não. Da mesma forma que respondemos anteriormente, a questão se deve a fatores bastante objetivos e próprios.

Como qualquer outra atividade que você se envolver, sempre é importante pesquisar. Históricos, reputação e depoimentos, são as melhores formas de você saber se o terreno em que você está pisando, é seguro. Há muitas empresas conhecidas que mantém programas de afiliados antigos e bem sucedidos, como Amazon, Submarino e Magazine Luiza, para citar apenas alguns, de uma lista que só faz crescer e que inclui a própria HostMídia.

O conceito de afiliados por si próprio tem um retrospecto importante que serve de aval, mas sempre deve-se ficar atento com empresas desconhecidas e com uma atuação muito recente no mercado. Nenhum dos grandes participantes do segmento lhe cobram absolutamente um centavo para participar e ainda lhe dão suporte, orientações e todo acompanhamento que você necessitar para desenvolver seu trabalho.

E aqui novamente a palavra parceria aparece na sua forma mais plena, já que o produtor ou a empresa a qual você está se filiando, precisa agir com total transparência e idoneidade com seus afiliados, pois é através de um trabalho consistentemente amparado em retorno, que o afiliado irá expandir o alcance da marca, dos produtos e dos serviços da empresa a qual ele se afiliou. Tão fácil e rápido como se tornou afiliado, ele pode abandonar o barco se perceber que ele não tem o retorno, o respaldo e a transparência esperados.

Ou seja, a confiabilidade do programa, dos produtos e serviços, da marca e da atuação de ambos os lados, é a base de sustentação e continuidade de um programa de afiliados duradouro.

Conclusão

Programas de afiliados são formas alternativas de relação comercial entre duas partes, em prol de uma terceira e que tem como alicerce fundamental a palavra parceria, assumindo o seu sentido mais verdadeiro e amplo, com intuito de produzir um bom retorno, instituir confiabilidade e produzir resultados de forma justa e proporcional a todos os envolvidos.