Uma questão de ponto de vista: quando 1 é igual a 4

Dia Mundial do Doador de Sangue

Na semana que representa o dia mundial do doador de sangue, parte da nossa equipe foi colaborar com a causa e deixar a marca da HostMídia nesta campanha.

Investir na conscientização para que um número maior de pessoas seja doadora é essencial. A Organização Pan-Americana de Saúde determina que pelo menos 2% da população de um país seja doadora. No Brasil, aproximadamente 1,8% das pessoas doam sangue regularmente, mas este número precisa aumentar. De acordo com os dados estatísticos da Anvisa, 34,23% do perfil de quem doa sangue são mulheres e 65,67% são do gênero masculino.

Outro ponto relevante para o quadro do banco de sangue nacional é que cerca de 72% de quem contribui, faz de maneira voluntária/espontânea. O restante desta porcentagem é distribuído entre reposição e doação direcionada/personalizada para algum paciente específico. (fonte: Anvisa)

Mas, independente do motivo, o desconforto é mínimo e quase não é sentido. Apenas uma picada que leva a quem precisa um novo sopro de vida e a certeza de fazer o bem. São cerca de 450ml de sangue que podem salvar até 4 pessoas.

As palavras e a experiência de quem colaborou

Um dos principais aspectos que interferem na decisão de doar sangue é a limpeza. Muita gente tem receio por causa da higiene e medo de se contaminar. Mas, tudo isso foi desmistificado pela nossa equipe quando chegamos ao local de doação.

“Onde eu fiz era limpo, dava pra ver que tudo era esterilizado, novo. Cada um que doava tinha o seu próprio kit.”

David Araujo, 28, que esteve com a gente no dia da ação e fez a sua primeira contribuição

Motivo da doação: curiosidade e conhecer o processo

Além disso, também é válido ressaltar que por ser uma campanha de grande alcance e que diz respeito à vida, processos são padronizados. É uma maneira de diminuir riscos e transmitir segurança ao doador.

“Dificilmente você vai achar algum lugar que não esteja de acordo, que não tenha fiscalização. Eu como já tinha doado, percebi que foi o mesmo padrão da vez anterior. Não senti diferença”.

Marcelo Bressan, 42, já havia doado sangue outras vezes e afirma que não há distinção de etapas

Motivo da doação: ajudar o próximo

Para as pessoas como o David, que estão doando pela primeira vez, fica a dica: as equipes que fazem parte do processo de coleta são profissionais da saúde responsáveis por uma triagem. Ou seja, uma espécie de entrevista é realizada para analisar as suas condições de saúde para poder doar.

Alguns requisitos que qualificam o doador são fáceis de ser encontrados na internet, nos hospitais e em outros canais de divulgação. Porém, algumas coisas deveriam ser mais claras. Assim, não há riscos de cometer alguma coisa que te desclassifique.

“Há uma triagem. Nela, são feitas todas as perguntas e, para algumas, estamos desprevenidos. Por exemplo, sobre o uso de bebida alcoólica dentro de 12 horas.”

Marcelo

“Uma pré-triagem facilitaria a exposição de informações que nem sempre são divulgadas. Isso também faria com que o doador tomasse cuidados mais assertivos nos dias que antecedem a doação.”

Leonardo Santos, 21

Motivo da doação: fazer boa ação para ajudar as pessoas

Sobre a alimentação, é importante dizer: uma quantidade de sangue será retirada do seu organismo. Por isso, ele precisa estar abastecido e preparado para te manter saudável durante o processo.

“Eu achei que eu deveria ir em jejum. Quando cheguei, me mandaram ir comer para não desmaiar.”

Robson Galvão, 26

Após a doação, o seu corpo precisa se recuperar. Mesmo sendo uma quantidade que não afetará o doador, há um determinado tempo para você se recompor. Logo, respeite seus limites.

“Não senti nada de fraqueza, mas achei que eu fosse ter, já que foi a primeira vez.”

David

Após o processo, retomar o ritmo habitual da rotina requer cuidados para evitar algumas complicações.

“À noite eu me senti um pouco estranho, porque fui fazer exercício físico. Fiquei mal, fraco.”

Marcelo

Por fim, depois de finalizada a doação, o que ficou para o Robson foi o sentimento de ter ajudado.

“Sensação de missão cumprida. Saber que você pode ajudar com a doação de plaquetas se suas veias tiverem boas condições .”

Robson

Motivo da doação: Ajudar o próximo e incentivar outras pessoas a irem doar


Se você também quiser colaborar e deixar a sua marca nesta campanha, basta procurar um hemocentro e manter o ciclo sempre funcionando.

Nós, da HostMídia, temos orgulho de apoiar e de termos ajudado quem precisa um pouco do tanto que temos.