Qualcomm vs Intel: Quem ganha esta batalha?

Feiras de tecnologia ao redor do mundo acontecem há décadas e o seu ponto alto são sempre as novidades e lançamentos que são apresentadas pela indústria, com o objetivo de encantar e conquistar o público. Na última Computex realizada em Taipei, entre os dias 27 de maio e 1º de junho de 2019, a Qualcomm trouxe ao mercado o Snapdragon 8cx, com a promessa de rivalizar a Intel. Ela vai ganhar a batalha? Saiba o que este processador vai fazer por você e porque ele pode revolucionar o mercado!

O que é a Computex?

A Computex Taipei, ou simplesmente Computex - como costuma ser referida - é a maior feira de tecnologia, com foco em computação a ocorrer no continente asiático, desde 1981, mais especificamente na cidade de Taipei, em Taiwan.

Pela localização, já que Taiwan conta com muitas unidades fabris e de desenvolvimento de gigantes da tecnologia, o evento reúne grandes empresas do setor, que utilizam o evento para lançar e apresentar detalhes de seus produtos, o que acaba por atrair analistas e jornalistas especializados em tecnologia, bem como homens de negócio da indústria eletrônica, preocupados em manterem-se informados em relação à vanguarda tecnológica e o que a concorrência vem fazendo.

O que é o Snapdragon 8cx?

Quem é antenado com tecnologia, especialmente tecnologias mobile, certamente conhece o nome Snapdragon e a empresa por trás deste nome, a estadunidense Qualcomm. E como já era de se esperar. uma das principais estrelas do evento 2019, vem da família de processadores Snapdragon, mais especificamente o Snapdragon 8cx.

Contrariamente a outros processadores da família Snapdragon, este processador não é destinado a um smartphone. Ele foi concebido com objetivo de equipar uma nova geração de notebooks. O 8cx promete ser o processador mais rápido da Qualcomm para equipar notebooks com Windows 10 e tem sido classificado como concorrente direto do Intel Core i5-8250U.

Mas por que o Snapdragon 8CX é importante?

Até então, concorrentes que prometem desbancar os processadores da família Intel Core iX, não são novidade. A AMD tem se empenhado por muitos anos em produzir processadores para tentar tirar a supremacia da Intel. Outros conceitos e abordagens, como da taiwanesa Via Technologies, também tentaram o mesmo, sem muito sucesso.

E finalmente ao que parece a Qualcomm conseguiu. O 8cx é um processador com litografia de 7 nanômetros (contra 14 nm do Core i5), octa-core (cores Kryo 495), com baixíssimo consumo de energia, construído para suporte ao 5G e quando não houver uma rede 5G disponível, operar na 4G. Conta também com o chip gráfico Adreno 680, com suporte a DirectX 12.

Em testes realizados em dois notebooks equipados com o processador da Intel e da Qualcomm, o desempenho geral foi ligeiramente maior em prol do Snapdragon 8cx. Quando assunto foi autonomia da bateria, o tempo máximo de duração da bateria da máquina equipada com Core i5, foi inferior ao tempo mínimo de autonomia alcançada pelo 8cx, ou seja, não há como competir neste quesito.

Em outros testes, os Benchmark variaram de acordo com os aplicativos utilizados, com vantagem para o processador da Qualcomm em operações como edição de texto e navegação web, mas ligeiramente inferiores em aplicações como o Microsoft Excel. O Snapdragon também saiu vitorioso, em aplicações de ambiente gráfico.

Vale destacar que algumas das aplicações que serviram como base para o teste, como por exemplo, o Photoshop e o pacote Office, foram emuladas, já que foram desenvolvidas para a arquitetura x86 e o 8cx utiliza arquitetura ARM. Na medida em que a indústria de software começar a desenvolver software para rodar sobre Windows 10, mas baseado na arquitetura ARM, o desempenho deverá ser ainda melhor.

Outro ponto alto do evento foi a divulgação por parte de um acordo de colaboração entre a Qualcomm e a Lenovo para lançar um notebook em 2020, baseado neste processador. Isso porque graças a esta nova tecnologia este notebook deverá ser ainda mais fino e leve que os atuais e ficar por muitas horas longe da tomada.

A mágica por trás de tudo se deve ao fato de que este processador dispensa a refrigeração por cooler, tem a conectividade baseada no 5G e deverá vir equipado como unidades de armazenamento Flash e tudo isso contribui para uma autonomia bastante superior da bateria ou ainda exigiria baterias bem menores e mais leves para entregar a mesma autonomia que se tem hoje.

Mais do que simplesmente um novo concorrente no segmento de processadores, este lançamento abre a possibilidade de uma nova geração de notebooks que levam o conceito de mobile ao seu extremo. O nome do projeto resultante da parceria entre Lenovo e Qualcomm revela um pouco das ambições de onde os dois gigantes pretendem chegar - Project Limitless, ou seja, projeto sem limites.

Se de fato virmos proliferar uma nova geração de processadores com o mesmo conceito de Snapdragon 8cx, veremos surgir notebooks que se não frearem a migração provocada pelos smartphones, pelo menos poderá ajudar a manter o que era a promessa dos ultrabooks, desde que o preço também não seja também “limitless”.

Quem ganha a batalha Qualcomm vs Intel?

Ainda é muito cedo para estabelecer até mesmo um prognóstico. Este é um segmento disputadíssimo e somente uma sucessão de produtos competindo entre si, pode mostrar para que lado está se desenhando a vitória. No entanto, o Snapdragon 8cx cria perspectivas animadoras na disputa.

Em outras palavras e como diz o velho ditado, "uma andorinha não faz verão". A Intel é um player consolidado no segmento, não é à toa. Não se pode esperar que apenas um processador seja capaz de acabar com a condição da Intel, mas se a Qualcomm mantiver o conceito e, sobretudo, der continuidade ao mesmo, com uma linha de processadores que levam o conceito à diante, poderemos ver uma disputa interessante.

O que é certo até o momento, é que o consumidor sai ganhando, na medida em que o duelo pela liderança, vai nos render produtos melhores e quem sabe, também mais acessíveis e esta é a parte da notícia que nos é mais importante.

Conclusão

A Qualcomm apresentou na Computex Taipei 2019, o processador Snapdragon 8cx, o qual representa um novo marco em termos de tecnologia de processadores para notebooks, em um segmento do mercado em que a Intel vem mantendo-se soberana. O 8cx deve permitir fabricar notebooks ainda mais finos, mais leves, com grande desempenho e muita autonomia em termos de bateria, amplificando o conceito de mobilidade para notebooks e acirrando a disputa pelo mercado.